quinta-feira, 16 de junho de 2011

IGREJA CATÓLICA - DEGRADAÇÃO DA IGREJA PRIMITIVA

Índice das Mentiras

Autor: Oswaldo



I - A MENTIRA



”... quanto ao desenvolvimento da Igreja Cristã primitiva, é muito difícil fixar com exatidão a data de sua fundação, porque seu afastamento das doutrinas bíblicas deu-se aos poucos e não de uma vez. (...) Muitos Católicos dizem que a Igreja Católica é mais antiga. Contudo, a História deixa claro que ela nasceu por questões políticas, com a universalização do Cristianismo promovida por Constantino, a partir do Concílio de Nicéia 325 d.C. Isso se deu em decorrência à invasão dos Bárbaros no Império Romano do Ocidente. Ela ganhou este nome somente em 381 com o imperador Teodósio. Conclusão: a Igreja Católica não é a mais antiga. Ela consiste, na verdade, de uma paganização do Cristianismo puro das Escrituras para fins políticos...” Portal “ESTUDO BÍBLICOS” (sic) - Presbítero Edvaldo (Osasco) 21/05/2005



II - ONDE ELA SE ENCONTRA

http://www.creioeunabiblia.com.br/Evangelismo.htm

OBSERVAÇÃO: O link acima não mais responde. Deve ter sido apagado. Por outro lado, não encontramos sua reprodução em nenhum outro sites a não ser  nos que repetem esta mesma denúncia.


III - A VERDADE


DEMONSTRAÇÃO LÓGICA/DOCUMENTOS: -

Uma coisa não ficou muito clara. O articulista afirma: “... quanto ao desenvolvimento da Igreja Cristã primitiva, é muito difícil fixar com exatidão a data de sua fundação, porque seu afastamento das doutrinas bíblicas deu-se aos poucos e não de uma vez...”.

Parece que não sabe quando se deu a fundação da Igreja Primitiva. Deduzo que está se referindo ao aparecimento da IGREJA CATÓLICA com “desvio” da Igreja primitiva.

Aqui surge uma QUESTÃO DE LÓGICA.

A Igreja primitiva demonstrou muito amor a Cristo enfrentando o martírio com firmeza. Seus santos fundadores foram Cristo e os apóstolos e, pelo que vejo, não obstante a promessa de Cristo em contrário de que as portas do inferno não poderiam prevalecer contra ela, sofreu uma grande degradação apenas em três séculos de existência.

A SANTIDADE DOS FUNDADORES

Que poderíamos dizer, então, dos pobres PROTESTANTES que já vão completar cinco séculos de existência e dizem que continuam “incólumes” ou mais ainda, cada vez mais perfeitos?!!!!!

Será verdade?

Poderíamos, proventura, comparar a santidade dos fundadores da Igreja primitiva com os das igrejas protestantes? Qual era a santidade de Martinho Lutero? Pelo que sabemos através de suas palavras constantes de suas cartas, panfletos e anotações e dos escritos de seus admiradores (Tischredden), Lutero não passava de um glutão, beberrão, adúltero, polígamo e, sobretudo blasfemo:

BEBERRÃO E DESOCUPADO - "Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão freqüentemente? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar. É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguês, caso contrário ficarei muito raivoso." (Lutero). (Marie Carré, Jai choisi lunité – D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).

MENTIROSO - "Que mal pode causar se um homem diz uma boa e grossa mentira por uma causa meritória e para o bem da Igreja (luterana)." (Grisar, Hartmann, S.J., Martin Luther, His life & work, The Newman Press, 1960- pág 522).

 MARTINHO LUTERO - Autor
da rebelião protestante "Tive
 já três esposas ao mesmo
tempo..."
POLÍGAMO - "Sou um famoso namorador... Admiro-me que, escrevendo tantas vezes sobre o matrimônio, et misceor feminis, não tenha ainda virado mulher e tenha casado com uma deles... Entretanto, se queres o meu exemplo, tem o seguinte: TIVE JÁ TRÊS ESPOSAS AO MESMO TEMPO, e as amava tão ardentemente que perdi duas delas, que foram procurar outros maridos... Quanto a ti, és um namorador mole não tendo sequer a coragem de ser marido de uma só" (De Wette II. 646)


BLASFEMO - Em suas “Conversas à Mesa” (Tischredden – em alemão), ela chama a Deus de ESTULTÍSSIMO e a Cristo de LEVIANO, FORNICADOR E ADÚLTERO e em outro escrito o considera DEUS e DIABO ao mesmo tempo.

Não vou falar dos demais fundadores de igrejas para não aumentar desmesuradamente esta DENÚNCIA.

Sem duvida, seu fundador-mor, o pai do protestantismo, nada tem de santidade. Agora fica no ar a seguinte pergunta:

POR QUE a Igreja de Cristo, tendo tão santos fundadores, demonstrando tão grande fidelidade a Cristo, decaiu tão rapidamente, e ainda, começou a se corromper logo em seus primeiros anos de vida apesar da promessa de Cristo de que “as portas do inferno” não poderiam prevalecer “contra ela”, e o PROTESTANTISMO, bem ao contrário, que não teve nenhum santo por fundador e nunca apresentou em toda sua existência um único santo, continua fiel e cada vez mais PERFEITO? Qual é o mistério?

Nenhum mistério!

A verdade é que o PROTESTANTISMO cada vez mais se afasta da sã doutrina, cada vez mais se divide estando hoje pulverizado em mais de 300.000 seitas heréticas, cada qual anunciando um evangelho diametralmente oposto ao das demais facções, incorrendo por isto na maldição predita por São Paulo:

“Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema” (Gálatas 1,8)

Mas os “Crentes (Hahahaha!!!!)” dizem que as diferenças entre as seitas são pequeninas e não essenciais. Verdade? Quais serão estas diferenças “não essenciais”?

DIFERENCINHAS 


Lázaro e o Rico Avarento - Do
Inferno não se pode sair!

Vejam que as tais não são assim tão desprezíveis, pois, algumas igrejas afirmam que a Santíssima Trindade é uma fórmula pagã; algumas igrejas dizem que JESUS é a única pessoa de DEUS; algumas igrejas dizem que não existem sacramentos, mas ordenanças; algumas igrejas acreditam que CRISTO reinará num milênio antes do juízo final; algumas igrejas afirmam que o Inferno não existe como realidade; algumas igrejas crêem que o Inferno não é eterno; algumas igrejas defendem que o Batismo no Espírito Santo é conhecido unicamente pelo dom de línguas; algumas igrejas dizem que o batismo não é necessário para salvação, mas puro símbolo; algumas igrejas crêem numa terceira revelação, num terceiro testamento; algumas igrejas afirmam que os grandes milagres pararam nos tempos pós-apostólicos; algumas igrejas não dão valor a alguns livros do Novo Testamento; algumas igrejas não aceitam como válido o batismo de crianças; algumas igrejas guardam o sábado como dia santo, etc., etc., etc. Tudo surgiu em meios protestantes, que têm como única unidade entre si o mesmo fundamento sobre a "areia": que o Espírito Santo guia cada crente na interpretação da Bíblia. Nada mais antibíblico do que isso..

NOME DE IGREJA CATÓLICA


Bem, mas passemos para os documentos.

O “presbítero” Edvaldo diz que a Igreja Católica apenas passou a se chamar assim a partir do ano de 381 d.C. Entretanto costumamos rezar o SÍMBOLO DOS APÓSTOLOS, oração por eles composta que diz o seguinte: “Creio na SANTA IGREJA CATÓLICA, na comunhão dos Santos, na Vida Eterna. Amém”;

Também, ainda em 107 d.C. já vemos esta expressão numa epístola de INÁCIO DE ANTIOQUIA:

"Considerai legítima a EUCARISTIA [missa] realizada pelo bispo ou por alguém que foi encarregado por ele. Onde aparece o bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que onde está Jesus Cristo, aí está a IGREJA CATÓLICA" (Inácio de Antioquia, bispo cristão martirizado por volta de 107 d.C. por sua fidelidade a Cristo - Carta aos cristãos de Esmirnia cap. 8).

AFIRMAÇÃO SEM DOCUMENTOS É MENTIRA

Temos também o testemunho constante de um documento chamado CÂNON DE MURATORI:

"Um só rabanho e um só pastor" (Jo 10,16)
"Deve-se, entretanto, reconhecer uma só Igreja, disseminada por toda a terra. João também, no Apocalipse, embora escreva só para as sete Igrejas, fala para todas. As cartas a Filemon, Tito e as duas a Timóteo, se bem que tenham sido redigidas por amor (a essas pessoas), não o foram menos para a honra da IGREJA CATÓLICA e para organização da disciplina eclesiástica. Há em circulação também uma epístola aos Laodicenses e uma aos Alexandrinos, escritas sob o nome de Paulo em favor da heresia de Marcião, e certo número de outras, que não podem ser aceitas na IGREJA CATÓLICA, porque não convém misturar o fel e o mel". (Cânon de Muratori escrito por volta de 150 dC).

QUANTO À AFIRMAÇÃO “... a História deixa claro que ela nasceu por questões políticas, com a universalização do Cristianismo promovida por Constantino, a partir do Concílio de Nicéia 325 d.C.”

Em que livro de história o Edvaldo leu este disparate? Tudo reles suposição sem qualquer apoio histórico. O autor se contenta apenas em afirmar mas não prova coisa alguma.

Se alguém, porém, aqui neste fórum quiser apresentar provas está em aberto a discussão.

=========

08/08/08
OSWALDO -

Meu caro irmão Gabriel:

É inútil trazer este tópico para discussão. Não há quem possa contraditar nada do que está escrito, pois tudo o que foi falado aqui está baseado em documentos históricos.

====================

08/08/08
Osires \†/

Os protestantes odeiam história.

======================

Índice das Mentiras
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >