TRADUZIR

sábado, 11 de junho de 2011

394 - O CULTO CRISTÃO É SUBSTITUÍDO PELA MISSA

Autor: Oswaldo


I - A MENTIRA



“… 394, o culto cristão é substituído pela missa”




II - ONDE ELA SE ENCONTRA





Palavra da Verdade




III - A VERDADE/DOCUMENTAÇÃO



A MISSA foi instituída por Cristo na ÚLTIMA CEIA e não em 394. Antigamente o ritual eucarístico era designado pelas expressões: fracção do pão (Act 2, 42;

20,7), “ceia do Senhor”, “ação”, “oblação”, “sacrifício”ou “sacrifício eucarístico”.

Após os ritos iniciais de Louvor, Kyrie, Glória, Leituras Bíblicas etc., os catecúmenos eram despedidos com a palavra “missio” pois lhes era vedado participar da liturgia eucarística.

É pois da palavra “MISSIO” que deu orígem ao nome MISSA.

Na Missa se oferece ao Pai uma oferta pura e agradável
em todo o tempo e lugar.


“O nome “Missa” não se deve a Pascásio Radberto. É uma palavra latina equivalente a missio (missão ou envio); significava a despedida ou o envio dos catecúmenos para fora da igreja, quando terminava a homilia ou a liturgia da Palavra. Aos catecúmenos não era permitido participar da Eucaristia propriamente dita, pois ainda não haviam sido batizados. O nome Missa, que designava tal momento da liturgia, foi no século IV aplicado a todo o rito eucarístico, de modo que este hoje se chama Missa.

O primeiro a usar a palavra Missa no sentido atual foi provavelmente S. Ambrósio (+ 397) na epístola 20,4. S. Agostinho (+ 430) escrevia:

“Eis que após o sermão se faz a missa (= despedida) dos catecúmenos; ficarão apenas os fiéis batizados” (serm. 49,8).

Foram introduzidas algumas alterações secundárias entretanto, o cânon (parte central e invariável da Missa) encontrava-se já substancialmente em Santo Ambrósio e propriamente com o Papa Gelásio (Século IV). A missa pontifical já tinha o formato definitivo com São Gregório Magno (século VI). E a base para o Missal de São Pio V foi o “Missal da cúria romana”, do século XIII. (Amiot, François, A Missa e sua história, Ed. Flamboyant, 1958).

MISSA/PATRÍSTICA - Fazia parte do primeiro Catecismo cristão: “Reuni-vos no dia do Senhor para a fração do pão e agradecei (celebrai a eucaristia), depois de haverdes confessado vossos pecados, para que vosso sacrifício seja puro.” (Didaqué, XIV,1).Se o Senhor Jesus nos garantiu que o pão e vinho são o seu CORPO e o seu SANGUE, então não nos resta mais qualquer dúvida: Devemos adorá-LO.

A Missa já era celebrada no Século I

Segundo a Didaqué, escrita no século I a "fração do pão" é verdadeiro sacrifício "para que o vosso sacrifício seja puro" (citação acima) enquanto a "santa ceia" protestante não. Segundo eles "a Santa Ceia é memorial do sacrifício, não sacrifício real" (http://somentedeusgloria.blogspot.com/2009/06/heresia-do-corpus-christi.html)


Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >