TRADUZIR

terça-feira, 30 de abril de 2013

DOUTRINAS: PROTESTANTES INVENTAM, A IGREJA ENSINA





 A  última  ponta  da  ramificação   (a
mais no fundo) representa o credo
católico    definitivo   e   aceite   no
Concílio  de   Calcedônia   (451).   O
diagrama    ilustra    bem    como    a
Igreja foi formulando, com base  na
razão  e  no  testemunho apostólico
e  escriturístico,  uma  ideia correta
acerca    de    Cristo,   deixando   as
heresias para trás.


"Mas, no íntimo do vosso coração, confessai Cristo como Senhor, sempre dispostos a dar a razão da vossa esperança a todo aquele que vô-la peça" - (1 Pe 3,15).


IMPORTANTE

A Igreja cristã não ia "criando" doutrina, mas sim "formulando" doutrina, ou seja, procurando a linguagem precisa necessária para se poder definir com a melhor precisão possível a doutrina deixada por Cristo.




Diagrama - Heresias cristãs




(fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Christology)


Durante muito tempo, procurei um esquema que explicasse bem as primeiras heresias, e como se foi definindo a doutrina cristã ao longo dos vários concílios. Este esquema, que afinal estava à mão de semear, está excelente.

No final do esquema, onde esta "chalcedonianism", leia-se "doutrina católica". A última ponta da ramificação (a mais no fundo) representa o credo católico definitivo e aceite no Concílio de Calcedônia (451). O diagrama ilustra bem como a Igreja foi formulando, com base na razão e no testemunho apostólico e escriturístico, uma ideia correta acerca de Cristo, deixando as heresias para trás.

Já agora, vejamos as características de Cristo que foram definidas como credo cristão, e as respectivas heresias que foram rejeitadas em consequência da formulação da doutrina:

- verdadeiro Homem

(contra os docetistas)

- verdadeiro Deus

(contra os ebionitas)

- consubstancial ao Pai

(contra os arianos; o termo "homoousion", "consubstancial" é o único termo de jargão filosófico que surge no Credo)

- uma só hipóstase (um só indivíduo)

(contra os nestorianos)

- diofisita - (dotado de naturezas distintas: a humana e a divina)

(contra os monofisitas em geral, contra os eutiquianos, os apolinarianos e os miafisitas)

- diotelita - (dotado de duas vontades distintas: a humana e a divina)

(contra os monotelitas)

----------------------

Um ponto importante a reter é que a Igreja cristã não ia "criando" doutrina, mas sim "formulando" doutrina, ou seja, procurando a linguagem precisa necessária para se poder definir com a melhor precisão possível a doutrina deixada por Cristo. 

Veja o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:



Fonte:


POSTAGEM SEGUINTE - Há mais uma boa para você ler. Nossos irmãozinhos rebelados não podem mostrar: 1. Um santo de verdade surgido em suas fileiras; 2. Pelo menos um milagre que tenha sido rigorosamente examinado; 2. Pelo menos uma mentira encontrada em sites católicos que seja  devidamente identificada e comprovada como tal.

.

 
POSTAGEM ANTERIOR - No artigo que segue você poderá ver porque somente Deus pode operar milagres e porque, através deles, nos dá a entender onde se encontra a verdadeira fé:
 
 

sábado, 27 de abril de 2013

O DEMÔNIO NÃO FAZ MILAGRES


Antonio dos Reis Vê-se aí a sua descrença total  no que Jesus disse segundo o registro no Evangelho! E ainda diz que segue a doutrina dos apóstolos! Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? Mt 7. 22. Fica correndo atras de milagres e terás no juízo final grande decepção, tarde demais! Jesus lhe dirá: não te conheço! Acorda, Oswaldo enquanto é tempo. Arrepende de teus pecados e confessa-os a Jesus Cristo. Deixa de uma vez os embustes do capeta que segundo o apóstolo São Paulo, transfigura-se  em anjo de luz  II Co 11.14.


...Será que os milagres operados por Deus, como manifestação divina a fim de indicar aos homens onde é que se encontra a verdade, PODEM ser menosprezados? 


Apreciemos o que nos diz o Livro Sagrado a respeito:

1. O próprio Jesus a eles recorre como testemunho a respeito de si mesmo e para provar que ele foi legitimamente enviado pelo Pai:

AS OBRAS DE CRISTO (MILAGRES) TESTEMUNHAM SUA PESSOA E SUA MISSÃO

 "... tenho maior testemunho do que o de João, porque as obras que meu Pai me deu para executar - essas mesmas obras que faço - testemunham a meu respeito que o Pai me enviou" (Jo 5,36)

2. Os santos apóstolos alegam que seus ensinos eram verdadeiros porque Deus confirmavam tais ensinos através desses sinais. Os pagãos os viram curar e operar muitíssimos outros prodígios, por isso, imediatamente deixavam suas antigas crenças e abraçavam as doutrinas apostólicas, pois nelas viam o dedo de Deus:

DEUS COMPROVAVA A VERDADE DA PREGAÇÃO APOSTÓLICA MEDIANTE 
SINAIS

"...A verdade da salvação, que foi inicialmente transmitida pelo Senhor, foi em nós confirmada por aqueles que a ouviram, comprovando-a Deus por sinais, milagres e por muitos dons do Espírito Santo" (Hb 2,3);

FALSOS MILAGRES SÃO EMBUSTES DO DEMÔNIO
 "Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava a sua palavra com os milagres que a acompanhavam" (Mc 16,20);


3. Grande mal fazem a si mesmos aqueles que se fanatizam a tal ponto que nem mesmo os sinais de Deus que indicam que a verdade não se encontra em suas crenças, os podem arrastar à Igreja de Cristo. Para permanecer no erro inventam eles as mais descabeladas desculpas, negando a se converter:



A DESPEITO DOS MUITOS SINAIS NÃO CRERAM EM JESUS


"Apesar de ter realizado tantos sinais diante deles, não creram nele" (Jo 12,37).

4. Haverá severo julgamento para os que, tendo visto as maravilhas de Deus e, nem mesmo assim, voltaram-se para ele:

SEVERO CASTIGO ÀQUELES QUE NÃO CRERAM APESAR PRESENCIAR OS PRODÍGIOS 
OPERADOS POR CRISTO



 "Ai de ti Corazin! Ai de ti, Betsaida! Pois se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que em vós se realizaram, há muito teriam se convertido" (Lc 10,13);


5. O demônio não pode fazer milagres verdadeiros, pois isto  tornariam ineficazes os sinais divinos como sinalizadores da verdade e da única e verdadeira fé, como vimos acima, operados exatamente para evidenciá-las.

Além disso há muitos que, negando os milagres na Igreja, alegam que santos não podem fazer milagres, mas somente Deus, o que não é verdade:

 "Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai" (Jo 14,12)

E O QUE SÃO ESSES MILHARES DE MILAGRES CONSTATADOS NAS IGREJAS EVANGÉLICAS?

Ora, se Deus não permite que o Demônio opere milagres verdadeiros, o que são esses milhares de milagres que são propalados como acontecidos nos mais diversos ramos das religiões?

São simplesmente os falsos frutos de enganos tendo em vista que o ser humano é propenso a acreditar no maravilhoso, assim como na maioria das vezes o crente também é sugestionado de tal forma que muitos sintomas acabam por desaparecer, coisa que pode causar sérias consequências à saúde, porque sem os sintomas e acreditando-se curado, o enfermo abandona os tratamentos e a doença avança livremente; há também os truques e simulações. O demônio, profundo conhecedor do ser humano, se aproveita de qualquer brecha para se apossar das almas:

O DEMÔNIO, INTELIGENTÍSSIMO, ENGANA FACILMENTE O HOMEM DE POUCA FÉ


 "A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios ENGANADORES" (II Tss 2,9)


Na Súmula Teológica de Tomás de Aquino há um estudo mais técnico e completo a respeito. Ver: FIRMAT FIDES

FALSOS MILAGRES ACONTECEM COM MUITA FREQUÊNCIA

Realmente. Esses falsos milagres ocorrem com muita frequência, inclusive na Igreja Católica. Os mais comuns se referem a fenômenos paranormais através de auto sugestões e até mesmo por indução hipnótica. Entre estes contam-se diversas curas que levaram a fins trágicos. Dentre estas, a mais célebre se deu com a Sandra, que se tornou conhecida como filha do Pelé. Ela estava se tratando de um câncer na mama. De repente, passou a acreditar que Jesus a tinha curado porque no culto de sua igreja, percebeu que todos os sintomas dolorosos haviam. desaparecido. Não obstante, poucos meses depois morria vítima da doença que continuava sua marcha destruidora, agora sem qualquer impedimento.


Também conheci uma senhora que se convertera ao adventismo porque acreditava ter sido curada de câncer.

Quando a visitei ela já se encontrava moribunda porque a tal cura não passou de ilusão.

Há também diversos outros casos dessas curas dentre elas a da menininha que se tornou conhecida como a "Missionarinha" que diziam ter o dom da cura. O rapaz visto à esquerda é o Ediberto canceroso em estágio avançado que também sentiu-se curado pelo dom de cura da "Missionarinha". Pouco depois morria desse mesmo mal.

Sem contar que há, e muito, os trambiques.

Quando o chamado Missionário Davi Miranda montou sua igreja em forma de navio em Maringá, tornou-se famoso pela enorme quantidade de "milagres" que o povo viam-no fazer. Naquele tempo ouvíamos pessoas dizendo que muitos eram pagos para simular curas instantâneas.




Outra vez, no antigo fórum evangélico hoje chamado Web Servo um crente me mostrou um milagres "a vivo e a cores" de um homem cujo braço encolhido crescia à medida que o pastor ia repetidamente falando "cresciendo... cresciendo... cresciendo...". Algum tempo depois analisando o "milagres" retirei este flagrante que você pode apreciar à direita.

Maracutaia das "brabas" é o que não falta nesses falsos milagreiros. Vejamos alguns exemplos flagrados:



Muitos já viram o Pr. José Fernandes, que deita nas partes afetadas do doente uma boa quantidade de óleo e depois fica alisando e por fim sai com um treco que diz ser, conforme o caso, um tumor, um cálculo, etc. Estive analisando cada partezinha do "milagre" e acabei extraindo estes diversos detalhes nas imagens que seguem à esquerda e abaixo.

CALVINO E A TENTATIVA DE SIMULAR MILAGRE.  DEUS, PORÉM, AGIU A FAVOR DO POVO NÃO PERMITINDO QUE A FARSA SURTISSE EFEITO

Querendo dar-se ares de taumaturgo, pretendeu realizar um dia publicamente um milagre, fazendo reviver um companheiro das suas devassidões, chamado Brulé.

Para isso, este se fingira de morto, e sua mulher, cúmplice da hipocrisia, ficou chorando perto do pretenso cadáver do marido, na ocasião em que Calvino passava por ali. Soluçando, a mulher dirigiu-se a Calvino, comunicando-lhe a morte de seu marido. Este consolou-a, dizendo que ia ressuscitar o defunto, para provar a sua missão de reformador.

Aproximando-se do morto simulado, ordenou, em nome de Deus, que ele se levantasse; mas... felizmente, por castigo de Deus, o homem ficara realmente morto.

A mulher exasperada, proclamou em altas vozes a sacrílega hipocrisia” (Narrada pelo santo Cardeal Belarmino).







.






O caso seguinte foi relatado pelo Marcelo, de Campo Largo-PR., da Igreja Quadrangular, em 30/9/2003, no fórum (CGF hoje WEBSERVOS):

"Bom, quem diz sobre armações em igrejas pentecostais não são as demais igrejas, mas sim a polícia. Lembro-me bem do caso de um "pastor" em mandaguari PR, que um dia armou uma "tenda", "A Tenda do Senhor". 





Começaram os milagres... Gente que andava, gente que ouvia, gente que arrumava emprego, até que um dia o tal pastor foi preso. 

Motivo : Tentou pagar para dois homens simularem um milagre. Azar, os dois eram policiais que estavam já no encalço do dito cujo há alguns meses. "








QUANDO UM FENÔMENO EXTRAORDINÁRIO É UM MILAGRE

6. Como devemos proceder para saber se um fenômeno extraordinário é um milagre? Podemos fazê-lo examinando cuidadosamente todos os detalhes, históricos e documentais relacionados ao fenômeno. Se, porventura, nos falham recursos tecnológicos e intelectuais para estabelecer uma análise confiável devemos recorrer a peritos capacitados a identificar  o agente natural que provocou o fenômeno. Se, porventura não for possível descobrir este agente natural, perante a ciência este fenômeno será considerado inexplicável, havendo, então, alguma probabilidade de se tratar de milagre verdadeiro. Todavia,´ainda há possibilidade de a ciência se enganar, pois que, encontra-se em contínua evolução. Pode acontecer que, posteriormente, o que para ela era outrora inexplicável,  agora se torne facilmente explicável.

- E então? Como poderemos ter a certeza de que um fenômeno ainda INEXPLICÁVEL é milagre?

QUANDO TAIS FENÔMENOS INEXPLICÁVEIS ACONTECEM EM SUA TOTALIDADE EM UM SÓ AMBIENTE COM EXCLUSÃO DOS DEMAIS

Resta ainda mais uma observação:

Verificar em que ambiente estes fenômenos acontecem quase em sua totalidade. Se, ocorrem somente em um determinado e com exclusão dos demais, se exige descobrir qual é a razão. Se não for descoberto o motivo, então, há probabilidade muito grande de se tratar de milagre verdadeiro e isso é verificado frequentemente na Igreja Católica, que, tem uma atitude prudentíssima ao tratar com estes fenômenos. Como exemplo disso, basta-nos saber que dentre as milhares de constatações médicas de ocorrências sem explicações verificadas no santuário de Lourdes, a Igreja somente declarou 68 como milagre verdadeiro, o que já é mais que necessário para concluir que Deus a identifica como sendo a única e verdadeira Igreja instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo.

IMPOSSIBILIDADE DE MILAGRES NOS DEMAIS GRUPOS RELIGIOSOS

Há mais de seis anos que tenho pedido aos evangélicos que mostrem ao menos um milagre acontecido em seus meios e que tivesse sido rigorosamente examinado por peritos de tal forma que estes não pudessem indicar sua origem natural e até agora nenhum teve condição de mostrar sequer um caso, pelo que forçosa e logicamente temos de admitir que

DEUS NÃO OPERA MILAGRES EM AMBIENTES CONTAMINADOS POR HERESIAS PARA QUE SEUS PRÓCERES NÃO TENHAM COMO SE UTILIZAR DELES COMO PROVA DE QUE SEUS ENSINOS SEJAM VERDADEIROS.




Transcrevo aqui o que disse a respeito Santo Tomás de Aquino:

Tomás responde: Os maus podem fazer milagres?

Fra Angelico, A Disputa de São Domingos e o Milagre do Livro (1430-1432)

Parece que os maus não podem fazer milagres:
1. Com efeito, os milagres se obtêm pela oração. Ora, a oração do pecador não merece ser ouvida, conforme dz o Evangelho de João: Nós sabemos que Deus não ouve os pecadores(9, 31), e no livro dos Provérbios: Quem desvia os seus ouvidos para não ouvir a Lei, até a sua oração será execrável(28, 9). Logo, parece que os maus não podem fazer milagres.
2. Além disso, os milagres se atribuem à fé, segundo afirma o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Transporta-te daqui para lá, e ele se transportará” (Mt 17, 19). Ora, a fé sem obras é morta”, diz a Carta de Tiago (2, 20); assim ela não parece ter uma operação própria. Logo, parece que os maus, que não praticam boas obras, não podem fazer milagres.
3. Ademais, os milagres são testemunhos divinos, pois se lê na Carta aos Hebreus: comprovando Deus o seu testemunho por meio de sinais e maravilhas e vários milagres (2, 4). Eis por que, na Igreja, alguns são canonizados pelo testemunho dos milagres. Ora, Deus não pode ser testemunha do erro. Logo, parece que os maus não podem fazer milagres.
4. Ademais, os bons estão mais unidos a Deus que os maus. Ora, nem todos os bons fazem milagres. Logo, muito menos os maus.
EM SENTIDO CONTRÁRIO, o Apóstolo escreve na primeira Carta aos Coríntios: Ainda que eu tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada (13, 2). Ora, todo aquele que não tem caridade é mau; como escreve Agostinho: É só este dom do Espírito Santo que distingue os filhos do Reino dos filhos da perdição”. Logo, parece que até os maus podem fazer milagres.
RESPONDO. Entre os milagres, há os que não são verdadeiros, mas fatos imaginários, que enganam o homem, fazendo-o ver o que não existe. Outros, são fatos reais, embora não mereçam verdadeiramente o nome de milagres, pois são produzidos por certas causas naturais. Ora, essas duas categorias de milagres podem ser feitas pelos demônios.
Os verdadeiros milagres não podem ser realizados senão pelo poder divino, pois Deus os produz para a utilidade do homem. E isto de dois modos:
Primeiro, para confirmar a verdade sagrada.
Segundo, para manifestar a santidade de alguém, que Deus quer propor como exemplo de santidade.
Ora, no primeiro caso, os milagres podem ser realizados por todos os que pregam a verdadeira fé e invocam o nome de Cristo, o que, às vezes, pode ser feito pelos próprios maus. Por isso, a respeito das palavras de Mateus: acaso não profetizamos em teu nome? (7, 22) etc., diz Jerônimo: Profetizar ou fazer milagres e expulsar demônios, às vezes não vem do mérito de quem o faz; mas é a invocação do nome de Cristo que o faz para que os homens honrem a Deus, por cuja invocação se realizam tantos milagres”.
No segundo caso, só se realizam milagres pelos santos, para manifestação da sua santidade, seja durante a sua vida, seja depois de sua morte, tanto por si mesmos, como por meio de outros. Assim, lemos nos Atos dos Apóstolos: Deus fazia milagres por mão de Paulo; de tal modo que, até quando se aplicavam aos enfermos os lençõis que tinham tocado o seu corpo, saíam deles as doenças (19, 11-12). E, deste modo, também nada impede que algum pecador faça milagres por invocação de algum santo. Porém, tais milagres não deverão ser atribuídos ao pecador, mas àquele cuja santidade Deus pretende manifestar por meio deles.
Quanto às objeções iniciais, portanto, deve-se dizer que:
1. Ao tratar da oração de súplica, se ela é atendida não o é por causa do mérito de quem a faz, mas da misericórdia divina, que se estende até os maus. Por isso, às vezes Deus ouve também a oração dos pecadores. A esse respeito, diz Agostinho: O cego pronunciou aquelas palavras antes de ser ungido”, isto é, antes de ter sido perfeitamente iluminado, pois Deus ouve os pecadores”. O que diz o livro dos Provérbios, a saber, a oração do que não ouve a Lei é execrável, é preciso entendê-lo referindo-se ao mérito do pecador. Contudo, essa oração às vezes alcança a misericórdia de Deus, quer para a salvação daquele que ora, como aconteceu com o publicano de que fala Lucas; quer também para a salvação dos outros e para a glória de Deus.
2. A fé sem as obras é morta, quando aquele que crê não vive por ela a vida da graça. Mas, nada impede que um vivo opere por um instrumento morto, como um homem quando age por meio de um bastão. E é assim que Deus utiliza como instrumento a fé do pecador.
3. Os milagres são sempre verdadeiros testemunhos daquilo que eles confirmam. Por isso, os maus que ensinam falsas doutrinas não poderiam jamais fazer verdadeiros milagres para confirmar seu ensinamento, embora, às vezes, eles possam realizá-los em nome de Cristo, que eles invocam, e pela virtude dos sacramentos que administram. Mas aqueles que anunciam doutrinas verdadeiras, fazem às vezes verdadeiros milagres, para confirmá-las, mas não para atestar sua santidade. Por isso, Agostinho observa: Há uma grande diferença entre os milagres dos magos, os dos bons cristãos e os dos maus cristãos: os magos os fazem por pactos particulares com os demônios; os bons cristãos, em virtude da justiça pública; os maus cristãos, por sinais desta justiça”.
4. Como diz Agostinho: Não se concede a todos os santos realizar milagres, para que os fracos não caiam no erro perniciosíssimo de pensarem que em tais fatos haja dons maiores do que nas obras de justiça, com que se ganha a vida eterna”.
Fonte: ST II-II, 178, 2

Autor: Oswaldo
Veja o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:


POSTAGEM SEGUINTE: - No artigo seguinte são esquematizadas as diversas heresias que foram surgindo ao longo a História da Igreja, que, a cada oportunidade, como mestra enviada a todas as nações, vai formulando de forma inequívoca explicitando tudo o que na revelação divina se encontra de forma implícita:

POSTAGEM ANTERIOR: - Os evangélicos nos criticam por nossas tradições, mas eles têm as suas e que são bem mais recentes; Cristo é monogâmico, portanto tem uma só esposa; não se podem aceitar os atentados contra a Bíblia e a Igreja Católica é a única que a observa rigorosamente... tudo isso e mais você verá no artigo que segue:



sexta-feira, 26 de abril de 2013

PASTORES PROTESTANTES RECONHECEM A AUTORIDADE DO PAPA


Vemos que hoje até mesmo os pastores protestantes já começam a enxergar que o protestantismo não é uma doutrina que realmente está indo nos ensinamentos de Jesus e já existem alguns que defendam o Papa e a Igreja Católica, com frases de impacto, que realmente impressiona como realmente os olhos estão se abrindo, deixando divergências de lado e enxergando mais claramente a Igreja Católica e sua importância para o cristianismo.



IMAGEM à esquerda -  Pr. Juan Carlos Ortiz







Pastor Juan Carlos Ortiz em seu livro diz:


"Não obstante o que a Bíblia ensina, também nós os protestantes temos as nossas tradições: as denominações. Jesus tem somente uma esposa,a Igreja. Ele não é polígamo. No entanto chegamos até a dizer que as denominações fazem parte da vontade de Deus. Assim nós culpamos a Deus pelas nossas divisões e falta de amor. E depois criticamos os Católicos pelas suas tradições. Pelo menos suas tradições são mais antigas que as nossas. Não devemos tentar remover o argueiro dos olhos dos católicos, enquanto não tiramos a trave que encontra-se diante dos nossos" (O discípulo, p.132,Editora Betânia).



Sobre a "Bible League," o dr. Booth diz:



"Se as agressões às Escrituras continuarem, virá o tempo quando quem for fiel a Deus terá um refúgio, e será a Igreja Católica Romana".



O Bispo Anglicano de Londres, Eng. , dr. Ingraham, diz:


"No momento presente, só há uma Igreja na Inglaterra que oficialmente aceita as Escrituras como a Palavra infalível de Deus, e esta Igreja é a Igreja de Roma".



Dr. Decosta (Protestante) disse:



"A Igreja de Roma foi, antes do inglês ser descoberto e dos protestantes, a única defensora da Bíblia em sua integridade e totalidade".


A Rev. O. J. Nelson, de Bellingham, Wash. , diz:



"No sentido exato, ninguém além dos Católicos tem uma Bíblia infalível e ninguém além dos Católicos podem ser chamados de cristãos ortodoxos. . . só há uma Igreja Cristã de realidade e autoridade consistente e é a Igreja Católica".

Charles Buder (Protestante), em sua "Horae Biblicae", " diz:

"Pelas escritas sagradas que contêm a Palavra de Deus, e pelas tradições, nós estamos endividados, sob a Providência, pelo zelo e esforço dos padres e monges da Igreja de Roma".

Um editorial no New York "Sun", diz:

"O tempo está vindo, se, realmente, já não veio, quando estas igrejas definitivamente e decididamente têm que se perguntar se a Bíblia é de Deus ou do homem. E neste campo, o Papa é o único e exclusivo Campeão da Bíblia como a Palavra de Deus".

O Reverendo dr. A. S. Crapsey, escrevendo a "Free Religious Association":

Crapsay
"A maioria das denominações protestantes estão retornando, voltando para os Católicos. Eles estão perdendo sua liderança intelectual por não manter passo com os estudiosos. O protestantismo seguirá e obedecerá a lei da gravitação, desintegrará,e assim perderá todo o poder ".

O Bispo metodista, Dr. Seliew :

"O espírito do protestantismo está declinando na América com o Progresso do Catolicismo. Está morrendo, e logo será uma coisa do passado".

Diz o Rev. C. Tinsley, um ministro metodista :

"A Bíblia é um livro muito embaraçoso por causa de suas muitas contradições".

Na "History of Literature", de Hallam, lemos:

"A tradução do VT e NT por Lutero é mais renomada pela pureza da linguagem alemã que por sua aderência para o texto original. Simon foi acusado de ignorância do hebraico e quando vemos o quanto ele chegou no conhecimento do hebraico e grego, e em seu uso, vemos que ele foi muito avançado".

O Rev. Dr. Aked, ministro batista, escrevendo em"Appleton's Magazine," setembro. , 1908, disse:

"Nas páginas da versão protestante da Bíblia será achado erros históricos, enganos aritméticos, inconsistências e contradições múltiplas, e, o que é longe pior, a pessoa acha que os crimes mais horríveis são cometidos por homens que falam: 'Deus disse,' em justificação de seus terríveis atos. Além disso, a Bíblia inglesa é uma versão de uma versão que é uma tradução de uma tradução. Veio do hebraico, grego e latim em inglês. Em todas suas fases antigas foi copiada à mão de um manuscrito a outro por escritores diferentes, um processo que resultou em muitos enganos".

O crítico bíblico protestante, George Campbell, diz:

"A vulgata é, no geral, uma versão boa e fiel".

Obs. a Vulgata contêm os sete livros excluídos por Lutero nas bíblias protestantes.

Fonte: Lista Apologética Aplicada



POSTAGEM SEGUINTE - Artigo em que poderá ver porque somente Deus pode operar milagres e porque, através deles, ele nos dá a entender onde se encontra a verdadeira fé:


POSTAGEM ANTERIOR - O artigo que segue mostra a outra face do episódio da dura repreensão de São Paulo, ante à dissimulação de São Pedro frente aos cristãos de Jerusalém com pendências judaístas:



.

BRIGA ENTRE SANTOS



OSWALDO: - Portanto, somente a Igreja Católica, por seu magistério infalível, é a autoridade capaz de determinar quais livros são ou não inspirados.

BRIGA ENTRE OS "APÓSTOLOS"
ANTÔNIO DOS REIS - "Magistério infalível"! Pare com isso moço. Isso é querer ser mais realista do que o rei. O tal ministério é tão "infalível" quanto aquele que adotaram como seu primeiro papa? Mesmo depois que Jesus restaurou Pedro, confiando-lhe o pastoreio das ovelhas, vemos o papel nada elogiável daquele intrépido apóstolo de Jesus. (Continua...)



"Pedro, diz AGOSTINHO, aceitou com santa e piedosa humildade a
observação que utilmente
lhe fizera Paulo.
São Paulo escreveu: E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão. 

E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação Gl 2. 11-13. Já sei. Os “infalíveis” entenderam a dissimulação de Pedro como grande exemplo a ser copiado. Sobretudo, na mesma Bíblia que a Santa Igreja de Roma reconheceu como inspirada estão registrados comportamentos nada dignos da parte de grandes homens de Deus. Como exemplo maior cito Davi, ancestral de nosso Senhor Jesus, Nem é preciso citar os podres do rei Davi. Por acaso os “infalíveis” da igreja se julgam melhores do que Davi? Só pode!


RESTAUROU a Pedro de que?  E os demais apóstolos que fugiram vergonhosamente dos guardas do templo não precisavam também de restauração?

Como "crente" gosta de confundir as coisas!

COMO "CRENTE" VÊ PAULO REPREENDENDO
A PEDRO
"Em Paulo louvemos a
 
justa liberdadeem
Pedro a 
santa humildade"
O seu julgamento é um tanto sumário; em consciência não o posso subscrever. Instauremos novamente o processo: supõe que Pedro, pela sua tríplice negação decaíra  de sua dignidade de apóstolo. 

E a prova, Sr. Antônio dos Reis? 

Primeira asserção gratuita. 

Segunda asserção e essa não só destituída de provas senão absolutamente falsa, assegura que "a tríplice recomendação de Jesus RESTAUROU Pedro"

E, dado que dele tivesse decaído, até ali não havia sido reintegrado no múnus apostólico? Não foi Pedro o primeiro dos apóstolos a quem Jesus ressuscitado honrou com uma aparição singular? Mais: antes da cena a que se refere, descrita por S. João 21, conta o mesmo evangelista no capítulo anterior a aparição de Cristo a todos os apóstolos (exceto Tomé) na tarde do dia da sua Ressurreição, e as palavras que então lhes dirigiu: “Como o meu Pai me enviou assim eu vos envio a vós... Recebei o Espírito Santo, a quem perdoardes os pecados lhe serão perdoados, a quem os detiverdes lhes serão detidos”.  

Pedro favorecido por Cristo de uma visita particular, Pedro enviado por Cristo (apóstolo = enviado), Pedro investido do poder de perdoar os pecados... e Pedro ainda não havia sido restaurado na sua dignidade de apóstolo? Inadmissível!

Agora passemos ao "papel nada elogiável" deste admirável apóstolo.

Para os "crentes", no episódio, Paulo "vibra golpe mortífero na herança papal da INFALIBILIDADE de Pedro", em virtude do, alguns chegam a considerar o apóstolo São Paulo como o "campeão antipapal".

É até notável como por ocasião deste incidente timbram os antigos intérpretes em revelar a virtude e a autoridades de Pedro. "Pedro, diz AGOSTINHO, aceitou com santa e piedosa humildade a observação que utilmente lhe fizera Paulo inspirado pela liberdade do amor, deixando destarte aos pósteros o raro exemplo de se não dedignarem em ser corrigidos pelos inferiores onde quer que se desviassem do reto caminho: exemplo mais raro e mais santo que o deixado por Paulo aos inferiores que, por defender a verdade evangélica, ousarem resistir confiadamente sem lesar a fraterna caridade... Em Paulo louvemos a justa liberdade, em Pedro a santa humildade" (75. Epist., 82, n. 22 (ML, XXXII, 285-6). Cfr., também TEODORO DE MOPSUESTA, Epist. aos Galat., n. 20, 21; GREGÓRIO MAGNO, em Ezech., 1. 2, Hom. 6, N. 9 (ML, LXVII, 773).

"Como explicar a prevalência de exemplo tácita de Pedro sobre a pregação explícita de Paulo sem admitir a persuasão universal de que Pedro sobrelevava em dignidade a Paulo e a sua era a autoridade suprema na Igreja?

Assim que todos os argumentos coligidos pelos protestantes o primado de Pedro vêm, em última análise, confirmar a tese católica. Só falseando indignamente a significação das palavras e dos fatos da Escritura puderam apresentar aos seus leitores no procedimento de Paulo a atitude de um "campeão antipapal". 

Para colorir aos olhos dos leitores a legitimidade de tão descabelada conclusão era mister não só recorrer aos artifícios de uma exegese tendenciosa mas ainda passar em injustificável silêncio todos os trechos em que o grande apóstolo das gentes insinua inequivocamente o alto conceito em que tinha a dignidade e a primazia de Pedro. 

Chama-o quase sempre com o nome hebraico Cefas que lhe impusera Cristo como que a relembrar a alta função, que lhe fora confiada, de pedra fundamental da Igreja. Todas as vezes que menciona os apóstolos, a Pedro cede sempre o lugar de honra. "Cada um de vós diz: eu na verdade sou de Paulo e eu de Apolo e eu de Cefas e eu de Cristo". 

O clímax é evidente: Paulo, por modéstia, ocupa o último lugar, Cristo o primeiro, imediatamente antes de Cristo, Pedro. Talvez, os apóstolos são reunidos sob uma expressão coletiva, só Pedro é explicitamente nomeado numa saliência singularmente enfática: 'Acaso não Temos nós o direito de levar uma mulher irmã assim como os outros apóstolos e os irmãos do Senhor e Cefas?' "(Texto emprestado do livro "A IGREJA, A REFORMA E A CIVILIZAÇÃO" - Livro I - Capítulo I - §2 - Pg 58).

Para finalizar resta-nos perguntar:

O que têm a ver os pecados pessoais dos papas com o carisma da INFALIBILIDADE? Porventura este dom foi conferido ao Papa com a finalidade de exaltá-lo ou de preservar o depósito da fé? Pelo que resta observar sobre a fraqueza do primeiro dos apóstolos nada relaciona com uma declaração de verdade de fé, tal qual se encontra nas três epístolas deste admirável primeiro papa

Os evangélicos nos criticam por nossas tradições, mas eles têm as suas e que são bem mais recentes; Cristo é monogâmico, portanto tem uma só esposa; não se podem aceitar os atentados contra a Bíblia e a Igreja Católica é a única que a observa rigorosamente... tudo isso e mais você verá no artigo que segue:



POSTAGEM ANTERIOR - Somente eles fazem tais afirmações, tentando justificar a própria revolta...





Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >