quarta-feira, 22 de junho de 2011

TODOS OS DIAS MAIS DE 120.000 HEREGES SÃO QUEIMADOS NO VATICANO!!!

ARITMÉTICA ELEMENTAR:  
2014 - 1186 = 829. Em 829 anos 
100 milhões de vítimas! 
120.627 HEREGES queimados por dia:
100 milhões/(829 * 360)  = 120.627
QUE MONSTRUOSIDADE! 
Sem contar que os 1200 anos
só irão se completar em 2386:
1186 + 1200 = 2386

I - A MENTIRA


 - O anticristo  -  Reinstalação do inquisição -
"... Citaremos documentos católicos exatamente como eles foram impressos, para que você possa ver a verdadeira face dessa besta que matou entre 75-100 milhões de pessoas ao longo de 1200 anos... apesar de a Inquisição original ter matado dezenas de milhões em 1200 anos, a profecia bíblica nos diz que o Falso Profeta matará bilhões de pessoas em três anos e meio! Visto que o papa católico romano foi escolhido como o futuro Falso Profeta (leia os artigos N1094 e N1519), faz sentido que o Ofício de Inquisição seja reinstalado... "


Autor: David Bay - Radical batista, diretor do 
"The Cutting Edge Ministries; tradução: Wal-
ter Nunes Braz  Jr.;  data de publicação:17/1
/2003; transferido  para a área pública em 22
/6/2003 -  Á  ESQUERDA  - 

Autor da denúncia de mentira: - Oswaldo



II - ONDE SE ENCONTRA A LOROTA


1. ESPADA


2. PISTIS SOFIHAH




III - A VERDADE



LÓGICA/DOCUMENTAÇÃO - A CALÚNIA, da qual reproduzi a parte de cima, é uma das piores que são maquinadas, pelas profundezas dos infernos, contra a Igreja de Cristo. Seu autor não está absolutamente preocupado em ser desmascarado. Ele sabe que, CALUNIANDO, muitos fracos na fé acreditarão e serão arrastados para a heresias conforme os desígnios do MALIGNO.

Tanto é verdade que são os próprios MENTIROSOS que se desmentem. Vejam o que diz outro AUTOR SAFADO em um site igualmente CALUNIADOR cujo autor é DANIEL LISANDRE ALEXIUS - Londrina - Paraná:

"1186 - A "Santa Inquisição" é estabelecida no Concílio de Verona"


PAPA GREGÓRIO IX
 Muito embora a Inquisição há muito deixou de existir, não obstante, façamos uma simples continha de adição: 1186 + 1200 = 2386.. putz!!! Ainda faltam muitos anos para chegarmos lá (nós não, talvez os filhos dos filhos, dos filhos...)!!!...

OBSERVAÇÃO: Esta data também é mentirosa (eta!!! não se pode confiar nesses contos protestantes!!!) a Inquisição foi estabelecida pelo Papa Gregório IX no ano de 1231 e durou no máximo até o século XVI quando foi substituída pelo Santo Ofício.

Outra aberração é a quantidade de execuções: SETENTA E CINCO A CEM MILHÕES...

Cara, é gente à bessa!!!!

Estudos recentes fornecidos por RINO CAMILLIERI, autor do livro "LA VERA STORIA DELL INQUISIZIONE", ed. PIemme, Casale Monferrato, 2.001:

Camillieri afirma que em 50.000 processos foram levados a efeito pela inquisição. Desses, apenas uma ínfima parte levaram à condenação à morte, e dessas só uma pequeníssima minoria conduziu efetivamente a execuções (Cfr. op. cit , p. 17).

Diz ainda o autor que na principal cidade medieval - centro da heresia cátara que ATORMENTOU OS CATÓLICOS POR QUASE DUZENTOS ANOS, com saques, assassinatos, destruições de Igrejas, conventos, castelos etc. : "... em um século, houve apenas 1% de sentenças à morte (Cfr. Op cit. p. 36). Outro autor dá o número total de condenações à morte em Toulouse, durante 100 anos: 42 sentenças"

QUARENTA E DUAS PESSOAS PARA SETENTA E CINCO A 100 MILHÕES já é uma senhora diferença!!!...



16/05/07

Fernando



VEJA ESTA, OSWALDO:

Pondo um fim nas fantasias protestantes, ainda há pouco, foi noticiada a publicação de um livro escrito por historiadores insuspeitos, cuja edição foi encorajada pelas portas abertas do Vaticano. Veja a nota da imprensa mundial

"Atualmente, os pesquisadores têm os elementos necessários para fazer uma história da Inquisição sem cair em preconceitos negativos ou na apologética propagandista, afirma o coordenador do livro «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”.

No volume, Agostino Borromeo, historiador, recolhe as palestras do congresso que reuniu ao final de outubro de 1998, no Vaticano, historiadores universalmente reconhecidos e especializados nestes tribunais eclesiásticos. Isto se deve, entre outras coisas --indicou--, ao «grande passo adiante» dado pela abertura dos arquivos secretos da Congregação para a Doutrina da Fé (antigo Santo Ofício), ordenada por João Paulo II em 1998, onde se encontra uma base documental amplíssima. -- Descobriu-se, só para vermos como mentem os protestantes que:-- na Inquisição da Espanha, afirmou, em referência ao tribunal mais conhecido, celebrou entre 1540 e 1700, 44.674 juízos. Os acusados condenados à morte foram 1,8% e, destes, 1,7% foi condenado em «contumácia», ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos. As mortes não chegaram a 100.”

Total de mortes causadas por maus católicos em desobediência:

“Na Espanha morreram 59 «bruxas», na Itália, acrescentou, foram 36 e em Portugal 4”.

Total: 99.

Isso sem o aval Papal. O Papa Alexandre III escreveu: "Mais vale absolver culpados do que, por excessiva severidade, atacar a vida de inocentes... A mansidão mais convém aos homens da Igreja do que a dureza".

H. C. Lea, o historiador que mais escreveu sobre a inquisição universal, cita 47 bulas nas quais a Santa Sé continuamente insiste na jurisprudência que deve se observar nos tribunais eclesiásticos. Alertam para não cair na violência e injustiças frequentes dos juízes leigos.



Uma instrução da Câmara Apostólica, de 1657 — então os processos de bruxaria somente se realizavam nos tribunais civis —, apresenta a advertência da Inquisição: "A Santa Inquisição confessa que os processos são longos para serem instruídos regularmente; ela censura os juizes pelas vexações, encarceramentos injustos, torturas. Muitos têm-se mostrado demasiado cruéis encarcerando pela mínima suspeita e têm aplicado a tortura apesar do malefício não ter sido provado". Fonte: (Hansen, Zauberwahn..., op. cit., pp. 24s).

A história registra: Daniel-Rops, História da Igreja de Cristo, vol. III, A Igreja das Catedrais e das “Cruzadas”, Quadrante, pp. 605-606). 16/05/07

Panorâmica das mortes causadas por Tribunais civis e protestantes:

Enquanto que pelo lado civil e protestante: “na Suíça foram queimadas 4.000; na Polônia-Lituânia cerca de 10.000; na Alemanha 25.000 e na Dinamarca-Noruega cerca de 1.350. Ressaltemos que as mais numerosas mortes foram causadas nos citados países então protestantes, e por protestantes, alheios ao tribunal católico. Ainda segundo o novo relatório, no auge da Inquisição a Alemanha protestante matou mais bruxas e bruxos que em qualquer outro lugar, cerca de 25 mil.” (Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM) e BBC". 

Só o protestante luterano Benedict Carpzov, que se vangloriava de ter lido a bíblia 56 vezes, assinou sentença de morte de 20.000 mulheres. (Benedict Carpzov, Practica Nova Rer. Criminalium Imperialis Saxonica in 3 Partes Div., Wittenberg, 1635).

Dentro de cada região da Alemanha protestante, havia oscilações pendulares inclusive extremas, segundo os critérios subjetivos do mesmo senhor e segundo os conceitos das diversas sucessões no poder através dos anos e dos séculos. Daí a dificuldade em se calcular o número de pessoas condenadas à fogueira e à forca na Alemanha. Mas das crônicas e processos regionais que chegaram até nós cabe deduzir que as vítimas se contaram por milhares. Gardner calcula nove milhões (*). Morrow simplesmente diz que foram milhões (**).

Difícil é o acesso aos documentos ocultos pelos protestantes.
___________________

(*). Gerald B. Gardner, Ursprung und Wirklichkeít der Hexen, Weilheim, 1965, pp. 30s.

(**). F. Morrow, no prólogo e Montagne Summers, The history of wttchcraft and

demonology, 2a ed., Nova Iorque, 1956.
____________________

Até quando o protestantismo vai silenciar, diante de tamanho genocídio???

================================

. 16/05/07

OSWALDO


Fernando,

Muito esclarecedoras estas últimas notícias. Valeu! Este fórum está sendo sobremaneira valioso para quem queira se inteirar sobre as muitas calúnias que evangélicos e outros inimigos da Igreja lançam contra ela.

=================================

17/05/07
Fernando




Eis a fonte do estudo elucidativo, Oswaldo:

Agência Zenit, Sunday, June 20, 2004 1:17 PM).

É lamentável que tenha "zé", que ainda prefere a mentira.
=================================

27/10/08

Fernando



BBC desfaz calúnias sobre a Inquisição

Talvez nenhuma instituição tenha sido tão denegrida, e com tanta fúria, ao longo dos tempos, quanto a Inquisição, sobretudo a Inquisição espanhola.

Contra ela falou-se cobras e lagartos. As criancinhas, nos primeiros anos de vida escolar, já eram assustadas com fogueiras onde se queimavam vítimas inocentes, torturas em fim, sentenças sem julgamento e por aí a fora. E as acusações se repetiam continuamente nos cursos superiores, na mídia, de boca em boca etc.

O próprio leitor deve ter ouvido muitos ataques contra a Inquisição, sempre agitada como um espantalho. De uns tempos para cá, porém, o desejo de realizar estudos sérios por parte de muitos historiadores de peso, levou-os a debruçar-se sobre os documentos relativos à Inquisição. E a verdade brilhou. A Inquisição era inocente dos crimes que a acusavam.

Livros passaram a ser publicados, desfazendo a "legenda negra", e mostrando como os castigos aplicados pela Inquisição não só foram moderados, mas muito reduzidos em número; e mediante provas obtidas em processos escrupulosamente regulares.

Agora, também a insuspeita emissora BBC de Londres vem refutar o mito da Inquisição como paradigma de terror. A notícia nos vem através do diário madrilenho "El Pais" (8-11-94), em artigo de Lola Galán, intitulado "A falsa história da Inquisição espanhola". Diz ela: 
"As sinistras salas de tortura dotadas de rodas dentadas, engrenagens quebra-ossos, grilhões e demais mecanismos aterradores só existiram na imaginação de seus detratores. O Santo Oficio (nome do Tribunal da Inquisição) viu-se frente a uma gigantesca máquina propagandística.”

"Domingo, num programa noturno de maior audiência - Time Watch - a BBC mostrou o verdadeiro rosto• do tribunal criado pelos Reis Católicos contra a heresia. Peritos do porte de Henry Kemen, Stephen Haliczer ou os professores José Álvares Junco e Jaime Contreras reconstituíram a verdadeira fisionomia de uma instituição intencionalmente desvirtuada.

"Em cerca de 7 mil casos, aplica-se apenas em 2% algo parecido com a tortura. Em 350 anos de história, enquanto a lenda fala de milhões de assassinatos, a cifra real de vítimas situa-se entre 5 a 7 mil pessoas.

"É paradoxal que tenha sido a prestigiosa BBC, a televisão estatal britânica, a encarregada de reconstituir a imagem de uma instituição espanhola".
É curioso notar que muitos dos detratores de Inquisição diziam-se admiradores da Revolução Francesa, a qual comprovadamente cometeu crimes horrendos.
Citado em: http://www.comunidade.cn/icox.php?mdl=pagina&op=listar&usuario=96412

Estudos mais recente e completo:
Em dados mais recentes, o historiador Agostino Borromeu, informou que o número de mortos não chegou a 100 condenados.
(...) O especialista constatou que, à «lenda negra» criada contra a Inquisição em países protestantes, opôs uma apologética católica propagandista que, em nenhum dos casos, ajudava a conseguir uma visão objetiva.
Isto se deve, entre outras coisas --indicou--, ao «grande passo adiante» dado pela abertura dos arquivos secretos da Congregação para a Doutrina da Fé (antigo Santo Ofício), ordenada por João Paulo II em 1998, onde se encontra uma base documental amplíssima.
Borromeu ilustrou alguns dos dados possibilitados pelas «Atas do Simpósio Internacional “A Inquisição”».
A Inquisição na Espanha, afirmou, em referência ao tribunal mais conhecido, celebrou entre 1540 e 1700, 44.674 juízos. Os acusados condenados à morte foram 1,8% e, destes, 1,7% foi condenado em «contumácia», ou seja, pessoas de paradeiro desconhecido ou que em seu lugar se queimavam ou enforcavam bonecos.
Pelo que se refere às famosas «caçadas de bruxas», o historiador constatou que os tribunais eclesiásticos foram muito mais indulgentes que os civis. Dos 125.000 processos de sua história, a Inquisição espanhola condenou à morte 59 «bruxas». Na Itália, acrescentou, foram 36 e em Portugal 4.
«Se somarmos estes dados --comentou o historiador-- não se chega nem sequer a cem casos, contra as 50.000 pessoas condenadas à fogueira, em sua maioria pelos tribunais civis, em um total de cem mil processos (civis e eclesiásticos) celebrados em toda Europa durante a Idade Média». (...) (MONTFORT)..

ANOTAÇÕES - TUDO SOBRE


Autor: Oswaldo
Veja o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:

.

Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >