TRADUZIR

domingo, 6 de abril de 2014

OS FALSOS MILAGRES DO FREI GALVÃO

Os "Milagres" do Nosso Santo 

Leandro Parente - 1/2 - "É muito claro pra mim o quanto a Igreja Católica está desesperada com sua perda de fiéis. Nos últimos anos ela tem perdido espaço para evangélicos, espíritas, muçulmanos, e até para o agnosticismo e ateísmo. Qual a solução então? Criar santos! E só agora resolveram dar importância ao nosso insignificante país de terceiro mundo, mas que possui 125 milhões de católicos. Ótima estratégia para tentar recuperar fiéis. Mas vamos aos supostos "milagres" que canonizarão nosso Frei Galvão no próximo dia 11 de Maio. Primeiro houve a "impressionante" cura da menina Daniela da Silva, internada com hepatite B e encefalopatia hepática. Que tal lermos isso: "A maioria das pessoas que pega o vírus da hepatite B cura sozinha (nove em cada dez) e não precisa de tratamento específico."

"Hmmm...interessante. Ou que tal essa ? "Mesmo que a maioria das encefalopatias seja reversível pelo tratamento, o desenvolvimento dela significa uma doença hepática mais severa." Em outras palavras, o que esta menina sofreu (que é uma doença realmente terrível), não é incurável. E lembremos também que durante todo este tempo, ela estava sob cuidados médicos !! Talvez se ela fosse curada sem nenhuma assistência médica, internações, ou remédios, seria algo mais impressionante" (Fonte: LIVRE ARBÍTRIO)


Antes de mais nada, tenho a esclarecer que a verdade, sendo absoluta em si mesma, não depende da quantidade de indivíduos que a aceitam como tal, assim como também a mentira não se torna verdade só porque a totalidade de um universo a tem como verdade.

Além disso, a "perda de fiéis" a que se refere. na verdade, não eram fiéis, mas apenas pessoas que se declaravam católicas, mas viviam como pagãos. Desse pessoal bem fez a Providência divina em podá-lo da Árvore da Vida, pois não passava de peso morto e estéril que estava apenas sugando a seiva sem produzir frutos de santidade. Portanto, a Igreja, em vez de perder, pelo contrário, ganha e muito ao se livrar deles.

    Com telas, legendas explicativas e os seguintes títulos: A
Caridade (Frei Galvão menino); O milagre de Potunduva
(bilocação de Frei Galvão); Frei Galvão - arquiteto e operário
(construção do Mosteiro da Luz); O dom da ubiquidade;
O dom da levitação; O cordão (exposto entre as relíquias); A
tempestade (fato ocorrido no largo da Matriz em Guaratinguetá
e em Roma, na beatificação); O frango do diabo (fato da
tradição popular); O milagre de Daniela (milagre escolhido para
a beatificação de Frei Galvão). As telas a óleo, são de autoria
de Alex Tavares e datadas de 1999.
"Nesta Igreja pode haver membros gangrenados, como os há em toda associação de homens. É mister, porém distinguir entre a sociedade e os seus componentes. Não houvera entre nós gente de mau proceder, e os protestantes não possuiriam Lutero, Zwinglio, Calvino, Beza e outros, assim como esta coleção de padres apóstatas e esquecidos de sua fé e dignidade provando isto não passar o protestantismo de "esgoto do catolicismo" segundo a típica expressão de um protestante famoso:

"Quando o Papa limpa os seus domínios, lança o capim por cima do muro do quintal protestante”. (Klaus Harm, Protestante)" (O Diabo, Lutero e o Protestantismo)

Eu, como fiel, não estou minimamente preocupado quanto ao destino da Santa Igreja Católica. Sei em quem confio. Deus cuida muito bem dela!

Finalmente vejamos apenas o primeiro milagre pelo qual resultou na Beatificação do nosso querido Santo Frei Galvão, ao qual você se refere da seguinte forma; "... Primeiro houve a "impressionante" cura da menina Daniela da Silva, internada com hepatite B e encefalopatia hepática. Que tal lermos isso: "A maioria das pessoas que pega o vírus da hepatite B cura sozinha (nove em cada dez) e não precisa de tratamento específico.".

A informação dos 90% de curas espontâneas está correta. 

Revista de Enterologia
Não obstante, deveria descrever com mais dados o estado realmente desesperador da paciente:"... sendo encaminhada pelo pediatra para o Hospital Emílio Ribas com suspeita de meningite ou hepatite, na noite de 24 de maio de 1990. Foi imediatamente levada para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com quadro clínico instável e convulsões. Com diagnóstico de "insuficiência hepática fulminante", também sofreu parada cardiorrespiratória, que evoluiu com epistaxe, sangramento gengival, hematúria, ascite, progressivo aumento da circunferência abdominal, broncopneumonia, parotidite bilateral, faringite, além de dois episódios de infecção hospitalar. Daniela permaneceu na UTI por 13 dias (25 de maio a 7 de junho de 1990), praticamente desenganada pelos médicos. No fim desse período, teve uma parada cardiorrespiratória e quase morreu. De acordo com a mãe, os médicos lhe disseram: "Você sabe rezar? Então reze, porque só um milagre pode salvá-la". E foi justamente isso que ela fez ao pedir a intercessão do primeiro santo brasileiro, inclusive, levando para a UTI as pílulas de Frei Galvão que eram ministradas à Daniela". (Relato contido em vários sítios dentre o quais Canção Nova).


O segundo milagre que resultou na canonização

2/2 - O segundo "milagre" foi o nascimento complicado do menino Enzo, sua mãe tinha útero bicorne, o que dificulta muito a gestação. Apenas dificulta, mas não impossibilita. "As anomalias nos órgãos reprodutores femininos, como o útero bicorne ou um colo uterino débil...aumentam o risco de aborto." Sandra, a mãe, já havia perdido 4 fetos, e resolveu então fazer uma cerclagem cervical preventiva, para evitar o fim de outra gravidez. Ué ?! Achei que ela foi curada por um Milagre e não pela ciência e medicina moderna. Mais uma vez, se ela tivesse o filho sem ajuda alguma da medicina ou intervenções cirúrgicas, aí sim eu ficaria impressionado. Resumo, não houve milagre algum, apenas dois casos isolados de pura sorte. Milagre pra mim é algo realmente impossível acontecer.  (Fonte: LIVRE ARBÍTRIO)


Sempre que se fazem acusações, de propósito, ou por falta de pesquisa mais acurada, não são relatados detalhes essenciais para que algum fato de natureza sobrenatural não seja considerado apenas como efeitos de causas naturais. 

Aqui me contento em relatar as circunstâncias relacionadas ao segundo milagre obtido graças à intercessão do, então, Beato Frei Galvão.

Sandra Grossi de Almeida, licenciada em Química, de 37 anos, residente em Brasília, que deu à luz seu filho Enzo em 1999, ante a surpresa de médicos e cientistas. 

Observe que o acontecimento, que não foi examinado por leigos, nem tampouco por apenas um médico especialista, mas por uma equipe de especialistas que ao final o reconheceu  em 18 de janeiro de 2006 como fenômeno «cientificamente inexplicável em seu conjunto, segundo os atuais conhecimentos científicos», no processo de canonização de Frei Antonio de Santa Ana, sacerdote brasileiro da Ordem dos Frades Menores Alcantarinos, que viveu entre 1739 e 1822. 

Precedentemente, Sandra havia sofrido três abortos naturais por causa de um problema congênito, conhecido como «útero bicorno», uma película que se forma no meio do útero, separando-o em duas partes, o que impossibilita o crescimento do feto por falta de espaço. 

As três gravidezes de Sandra -- em um dos casos foram gêmeos -- chegaram só até o quarto mês e acabaram de forma natural entre hemorragias e fortes dores. 

Sandra se havia resignado à ideia de não poder conceber e decidiu adotar a Isabela, que hoje tem 12 anos. Quando ficou grávida pela quarta vez, era consciente das dificuldades que enfrentaria, mas queria levar a gravidez adiante, fiel às suas convicções católicas. 

«A ginecologista me disse que não deveria me iludir, mas que faria tudo o que estivesse ao seu alcance para ajudar-me, e me preveniu claramente sobre a grande possibilidade de perder a outra criança», testemunha Sandra na edição italiana de «L’Osservatore Romano». 

Uma amiga da família, já falecida, ofereceu-lhe as «pílulas do Frei Galvão», umas orações para pedir a intercessão do beato brasileiro. Sandra começou a rezar as orações, ainda que não conhecia a história do beato. 

Para surpresa dos médicos (mas não de Sandra), na primeira noite da primeira novena a Frei Galvão, a hemorragia parou e as dores cessaram. «Foi um sinal da intercessão de Frei Galvão por mim», recorda Sandra. 


No quarto mês de gestação, submeteram-na a uma cirurgia para fechar o colo do útero, um procedimento delicado que se realizou sem que se apresentassem as temidas hemorragias. 

Sandra continuou encomendando-se a Deus por intercessão de Frei Galvão. No quinto mês de gestação se deu um risco de aborto por causa do tamanho do bebê. «Novamente recorri ao Frei Galvão», acrescenta Sandra. 

Depois de passar por essa fase crítica, conseguiu chegar à 32ª semana de gestação, algo inimaginável para seu caso. «Para os médicos parecia impossível, mas não para Deus», reconhece. 

Também parecia inimaginável a conservação do útero após o parto, já que a cartilagem impossibilitaria a expulsão da placenta e a única saída seria uma histerectomia (extração total do útero). 

Foi feito um parto cesariano. Enzo padeceu um problema grave ao nascer, uma das principais causas de morte entre os prematuros. Sua mãe voltou a encomendar-se ao futuro santo. Tiraram os tubos do bebê no dia seguinte, algo que em casos similares acontece só depois de várias semanas. 

Hoje, Enzo é uma criança sadia de oito anos. Quando se pergunta a ele quem é Frei Galvão, responde: «Nasci graças a ele». 


Acesse também o Índice das: MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA







Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >