sexta-feira, 11 de março de 2016

REPASSES AOS FILHOS DE LULA - LAVA JATO QUER SABER

Lava Jato investiga repasses a quatro filhos de Lula

Greg Salibian - 31.mai.2010/Folhapress
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 31-05-2010: O empresário Fábio Luis, filho do presidente Lula, no aniversário do ministro do Esporte, Orlando Silva. (Foto: Greg Salibian/Folhapress, 0707)
Fábio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, teria recebido os maiores valores, R$ 1,349 milhões
Quatro filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberam repasses por meio do Instituto Lula e também da empresa de palestras do pai, a LILS. As transferências desses recursos também são alvo de investigação nesta 24ª fase da Operação Lava Jato, desencadeada nesta sexta-feira (4).
Segundo o Ministério Público Federal, grandes empreiteiras investigadas na Lava Jato por desvio de recursos por meio de contratos com a Petrobras seriam as maiores doadoras do Instituto Lula e também as que mais efetuaram pagamentos para a LILS palestras, empresa cujo nome é formado com as iniciais do nome do ex-presidente.
As investigações recaem sobre os filhos Fábio Luis, Sandro Luis, Luis Claudio e Marcos Claudio, segundo despacho do fim de fevereiro do juiz Sergio Moro, que conduz os processos da Lava Jato em Curitiba.
Os maiores valores teriam sido repassados a Fábio Luis Lula da Silva, em um montante de R$ 1,349 milhões para a G4 Entretenimento e Tecnologia Digital Ltda., que pertence a Fábio, por serviços prestados ao Instituto Lula, entre 2012 e 2014, segundo os procuradores da força-tarefa da Lava Jato.
Em sua decisão, Moro diz que a G4 "recebeu valores vultosos" do Instituto Lula, mesmo o magistrado chamando a atenção para o número reduzido de empregados da empresa.
"A causa desses pagamentos deve ser esclarecida", afirmou o juiz, na sentença que autoriza os pedidos de mandado de busca e apreensão feitos pela Polícia Federal e Ministério Público Federal tanto na G4 como em outras empresas de Fábio das quais ele é sócio –BR4 Participações Ltda., Gamecorp S/A., LLF Participações Eireli - EPP e FFK Participações Ltda.
Quanto a Sandro Luis, sócio da Flexbr Tecnologia Ltda., a busca e apreensão foi autorizada, diz Moro, "para melhor apurar as causas dos valores recebidos pela empresa do Instituto Lula". Segundo a denúncia, a Flexbr, que tem ainda como sócios o filho de Lula Marcos Claudio e a nora Marlene Araújo Lula da Silva, receberam R$ 114 mil do Instituto Lula.
A LILS Palestras é investigada por efetuar o pagamento de R$ 72 mil à Flexbr, além de outros R$ 227 mil ao irmão Luis Claudio no período de 2011 a 2013.
Mais cedo, o procurador Carlos Fernando Lima –um dos integrantes do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato– disse em Curitiba que a força-tarefa vai checar se as empresas G4 e Flexbr realmente prestaram serviços ao Instituto Lula. "Agora precisamos investigar se foram feitos [os serviços]", afirmou.
DEPOIMENTO DE LULA
Lula foi alvo de um mandado de condução coercitiva, quando a pessoa é obrigada a ir à delegacia prestar depoimento, nesta sexta. Ele foi levado de seu apartamento, em São Bernardo do Campo, na Grande SP, até uma delegacia da PF no aeroporto de Congonhas.
Segundo o delegado Igor Romário de Paula, chefe do grupo de delegados que investiga a Lava Jato em Curitiba, a opção por Congonhas foi por garantir a segurança do ex-presidente. As vias que dão acesso à Superintendência da PF em São Paulo teriam chance de ser facilmente bloqueadas por manifestantes, o traria riscos ao depoente e à investigação.
Enquanto ele era ouvido, policiais realizaram buscas de materiais no apartamento do ex-presidente e no dos filhos.
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >