quarta-feira, 16 de março de 2016

O EXCESSIVO NÚMERO DE MINISTÉRIOS TERÁ DE AUMENTAR MAIS AINDA PARA LIVRAR CORRUPTOS DA CADEIA






Lula, fugindo de Moro como o diabo foge da cruz, irá anunciar ida para governo

O SONHO DOS BRASILEIROS!

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi mesmo persuadido à assumir uma pasta no governo Dilma, para se livrar das mãos do temido juiz Sérgio Moro, caçador implacável de corruptos. O convite se tornou cada vez mais irresistível, depois do acordo de delação do senador Delcídio do Amaral, que colocou merda no ventilador, maculando tudo e a todos.
Diante disso tudo, os aliados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmaram que sua nomeação deverá ser anunciada após um café com a presidente Dilma Rousseff na manhã desta quarta-feira (16).
Segundo petistas e integrantes do governo, sua nomeação, se confirmada, poderá ser acompanhada da entrada de um time no governo Dilma. Essa seria uma condição imposta por Lula para aceitar o apelo da presidente.
Além dos dois, participam do café da manhã no Palácio da Alvorada os ministros Jaques Wagner (Casa Civil) e Nelson Barbosa (Fazenda).
Petróleo para os EUA? Sem cabimento! O "PETRÓLEO
É NOSSO!",   isto é, dos corruPTos.

Entre os nomes que Lula gostaria de levar para o Governo está o de Celso Amorim para Relações Exteriores. Não está descartada a substituição de Aloizio Mercadante, na Educação. Outros nomes, como o de Ciro Gomes, são ventilados por petistas.
Nas conversas, Lula alega que de nada valerá sua chegada ao Governo sem a montagem de uma equipe que sinalize para mudanças, inclusive na política econômica.
Esta última condição que seria apresentada por Lula preocupa não só o mercado como interlocutores do ex-presidente no empresariado, pelo receio de demandar medidas como venda de reservas internacionais, queda forçada dos juros e liberação de mais crédito na economia.
Uma guinada na condução política do país justificaria sua presença na Esplanada dos Ministérios e afastaria a tese de que só pretenda escapar da prisão, já que ministros têm prerrogativa de foro privilegiado.
Segundo relatos, o petista demonstrou incerteza diante da avaliação de que o PMDB não garantia apoio ao governo federal com sua nomeação para a Secretaria de Governo ou para a Casa Civil.
Nas palavras do petista, é necessário construir um consenso com o partido aliado antes de sua entrada, se não ele pode se tornar um “elemento de desestabilização”.
“Não vou entrar no governo a qualquer custo”, desabafou.
Também pesou para a incerteza o fato de que sua família não ficaria protegida de um pedido de prisão do juiz Sergio Moro como ele e a maioria da população poderia criticá-lo por estar querendo fugir da Justiça.
A entrada de Lula é vista no governo federal como a salvação da presidente, mas é avaliada com preocupação pelo mercado.
Ainda nesta terça (15), Lula hesitava sobre a hipótese de ocupar a Secretaria de Governo. Na conversa com a presidente, impôs condições, incluindo carta branca para compor sua equipe. Essa engenharia foi objeto de discussão numa reunião que consumiu mais de quatro horas e invadiu a madrugada.
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >