TRADUZIR

sábado, 6 de setembro de 2014

MILHARES MARCHAM "PELA VIDA" E CONTRA O ABORTO EM WASHINGTON

Milhares marcham 'pela vida' e contra o aborto em Washington
Diga não ao aborto
Milhares de pessoas participam da "Marcha pela Vida", em Washington, para protestar contra o aborto, em 22 de janeiro de 2014
Depois de Paris, foi a vez de Washington ir às ruas protestar contra os cerca de 56 milhões de abortos registrados nos Estados Unidos desde que a prática foi legalizada, na polêmica batalha judicial Roe versus Wade. Há 41 anos, a data é usada pelo movimento pró-vida como oportunidade de denunciar a incoerência na decisão da Suprema Corte e a desumanidade da prática.

As bem organizadas entidades pró-vida norte-americanas garantem todos os anos uma participação numerosa o bastante para fazer do evento o maior do mundo com essa temática. Em 2013, quando a legalização do aborto completou 40 anos no país, a marcha atingiu 650 mil participantes. Até o momento em que posto este texto a imprensa local não havia falado em números exatos na manifestação desse ano, apenas em centenas de milhares. A grande maioria, mais uma vez, era formada por jovens. O Washington Post publicou um vídeo do evento.
Em um tweet enviado na quarta-feira, o papa Francisco deu seu apoio à marcha: "Rezo pela Marcha pela Vida de Washington. Que Deus nos ajude a respeitar sempre a vida, em especial a dos mais frágeis", escreveu o chefe da Igreja Católica.

Sem noçãoEnquanto uma multidão reivindicava o direito à vida do lado de fora, o presidente Barack Obama fez uma declaração para lá de bizarra ao comentar a data, inclusive para os padrões do próprio Obama. Segundo o presidente o “aborto permite que as mulheres alcancem seus sonhos”. Naturalmente, Obama não mencionou em momento algum de seu discurso a vida do bebê que é morto no procedimento. Vale lembrar que a decisão judicial que liberou o aborto nos EUA permite que uma mãe acabe com a vida do filho a qualquer momento da gestação, inclusive no oitavo mês, quando o bebê está completamente formado. A barbárie só é limitada por leis estaduais, que variam bastante.  Assim, o presidente dá a entender que dissolver o próprio filho em solução salina é o caminho para a realização pessoal.

Veja o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:

.
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >