TRADUZIR

sexta-feira, 15 de julho de 2011

A MENTIRA CONTRA FREI ROMAG E TERTULIANO





I - A MENTIRA




(selecionei uma apenas; tem mais no texto):


“"No Compêndio da História da Igreja, de autoria de Frei Dagoberto Romag (...) “a ordem do batismo escrita em Mateus 28:19 (trinitário) saiu da Pena de Tertuliano no ano 197


Tertuliano era natural de Cartago, filiado à doutrina da trindade de Montano.



Escreveu o primeiro catecismo sobre o batismo da trindade, e instituiu o sinal da cruz, chamando-os de “A fé de Irineu e Tertuliano”[9].


Após sua morte no ano de 222/225, este dogma foi introduzido no ano 255, no primeiro sinódio dirigido por Cipriano".





II - ONDE SE ENCONTRA


1. MACFLY.MULTIPLAY - (já não existe)


2. GIDEÕES (site encerrado)

3. ARQUIVO XIASD (não abre)


4. ADVENTISTAS BEREANOS





5. REVISTA REMANESCENTE DUALISTA

6. PREGONY CLAMOR (não abre)

7. ADVENTISTAS HISTÓRICOS







  III - A VERDADE


Assim está Escrito do livro do Frei Dagoberto Romag:

Que foi mesmo que saiu mesmo da pena de Tertuliano em 197: as duas
apologias, ou a ordem do Batismo escrita em Mt 28,19 (Batismo em
nome do Pai, Filho e Espírito Santo)?

“ §25. Batismo, Símbolo batismal e oposição herética

198. a - Um dos fatores principais, que levaram o cristianismo à vitória, foi a admirável harmonia entre a fé e a vida dos cristãos. No tempo das perseguições o exemplo dos fiéis e o heroísmo dos mártires eram, não raras vezes, causas de repentinas conversões.

O martírio substituía, nestes casos a preparação e o batismo (Tert. De bapt. 16). Fora destes casos, porém, o batismo era, desde o primeiro dia da Igreja, condição necessária para entrar no reino de Deus, em virtude das palavras de Jesus Cristo (Mt. 28,19 - Jo. 3,5).

b. Nos tempos apostólicos, o batismo era administrado logo depois da profissão de fé em Jesus Cristo, como atestam, diversas vezes, os Atos dos Apóstolos. Mais tarde, porém, fazia-se preceder um longo período de preparação, o catecumenato.

199. O nome de "catecúmenos" foi empregado, pela primeira vez, por Tertuliano. Mas já S. Justino conhece a instituição (Apol. 1, 61), e, pelo ano de 220, encontramos em Roma um catecumenato perfeitamente organizado (Hip., Trad. apost. 40-45 ).

De tudo isto se deduz que o batismo dos adultos era a regra.

Mas também o batismo das crianças se praticava (Iren., Adv. haer. 2, 22. 4).

Orígenes chama-o uma tradição apostólica (Ep. ad Rom. 5, 9). Desde o século III, é costume geral. S. Cipriano quer que o batismo não seja adiado mais de oito dias depois do nascimento da criança.

201. Já antes de 200, os escritores eclesiásticos falam de algumas cerimônias que precediam ou acompanhavam o ato do batismo: o sinal da cruz, o sal, a unção com óleo, a renúncia a Satanás, os exorcismos, a profissão de fé. Tertuliano menciona também os padrinhos (De bapt. 18).

202. a. A profissão de fé, que se recitava antes do batismo, baseava-se na fórmula prescrita por Jesus Cristo (Mt 28, 19) e continha os pontos principais da tradição apostólica.

Era, por isso, o fundamento da instrução dos catecúmenos. "Regra da Fé", ou "da verdade" chamam-na S.Irineu e Tertuliano.

Mais tarde, tornou-se mais usado o nome de "símbolo".

b. Na sua forma atual data dos meados do século V. Nos séculos IV e V, os apóstolos eram tidos universalmente como seus autores.

De fato, encontramos, no ocidente e, mais determinadamente, em Roma, um símbolo batismal, exatamente delineado, já pela volta do século II.

O texto mais antigo que se usava em Roma nos foi transmitido em latim e grego.

E dele não discordava essencialmente o símbolo batismal usado no oriente.

A sua origem é, portanto, anterior. Alguns consideram como resultado de uma luta contra Marcião; outros o fazem aparecer nos princípios do século II, outros, até nos fins do século I".

(Compêndio da História da Igreja, Brasil , Frei Dagoberto Romag Ofm. – 1948)

A intenção da mentira:

1-Como SE trata de seitas e grupos anti-trinitários, adventistas, pentecostais-judaizantes, tentam atribuir ao livro de um Frei católico, professor de História eclesiástica uma informação falsa que confrontaria o batismo cristão.

2-Além do que, tenta atingir a Tertuliano, que tem como mérito, justamente, a Reflexão sobre a Trindade e seu livro sobre o Batismo, apesar de posteriormente ter seguido a heresia de Montano.

Sobre ele:


“Tertuliano poderia ser considerado como o fundador da teologia sacramental. Seu tratado sobre o batismo, a primeira obra cristã especificamente dedicada ao estudo de um sacramento, estabelece a base teológica dos sacramentos como sinais da graça”.

http://www.mercaba.org/TESORO/TERTULIANO/01.htm

"Quanto ao batismo, faça assim: depois de ditas todas essas coisas, batize em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
2Se você não tiver água corrente, batize em outra água. Se não puder batizar com água fria, faça com água quente.
3Na falta de uma ou outra, derrame água três vezes sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
4Antes de batizar, tanto aquele que batiza como o batizando, bem como aqueles que puderem, devem observar o jejum. Você deve ordenar ao batizando um jejum de um ou dois dias.(cap. 7). " Tertuliano

http://protestandocontraoprotestantismo.blogspot.com/2009/04/tratado-de-tertuliano-sobre-o-batismo.html

3- Os anti-trinaristas questionam Mt.28,19

” Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, como sendo um acréscimo, etc, etc... e que a fórmula batismal é imposição do Concílio de Nicéia.

Obs. - Agora temos protestantes-evangélicos que duvidam da Bíblia !!!

"Sola Confusão"

Somente, que o seu uso já é mencionado anteriormente: Tertuliano diz-nos (De Bapt., XIII):

"O direito de batismo (tingendi) foi imposto e da forma prescrita: Ide, ensinai as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo ".

St. Justino Mártir (Apol., I) demonstra a prática, no seu tempo.

St. Ambrósio (De Myst., IV) declara:

"A não ser que uma pessoa tenha sido batizado em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ele não pode obter a remissão dos seus pecados", de São Cipriano (Ad Jubaian.), rejeitando a validade do batismo dado em nome de Cristo só, afirma que os nomes de todas as pessoas da Santíssima Trindade foi comandado pelo Senhor (em plena et adunata Trinitate).

O mesmo é declarado por muitos outros escritores primitivos, como São Jerônimo

(IV, de Matt.), Orígenes (De Princ., I, ii), St. Atanásio (iv Or., Contr. Ar..), De Santo Agostinho (De Bapt., Vi, 25).

Não é, evidentemente, absolutamente necessário que os nomes comuns Pai, Filho e Espírito Santo, sejam utilizados, desde as Pessoas sejam expressas [faltou um que] por palavras que são equivalentes ou sinônimas.

[O período que segue está muito confuso] Mas uma distinta nomenclatura do Divino Pessoas requeridas e a forma: "Eu te batizo em nome da Santíssima Trindade", teria de ser mais do que duvidosa validade.

Didaque - Capítulo VII - Instrução sobre o batismo

Instrução sobre o batismo

"1 - No que diz respeito ao batismo, batizai em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo em água corrente [Cf Mt 28,19]

2 - Se não tens água corrente, batiza em outra água; se não puderes em água fria, faze-o em água quente.

3 - Na falta de uma e outra, derrama três vezes água sobre a cabeça em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

4 - Mas, antes do batismo, o que batiza e o que é batizado, e se outros puderem, observem um jejum; ao que é batizado, deverás impor um jejum de um ou dois dias".


Sobre a Didaque :

“Estudiosos estimam que são escritos anteriores a destruição do templo de Jerusalém, entre os anos 60 e 70 d.C. Outros estimam que foi escrito entre os anos 70 e 90 d.C., contudo são coesos quanto a origem sendo na Palestina ou Síria.”

http://pt.wikipedia.org/wiki/Didaqu%C3%AA

Quem quiser checar os livros do Frei , eles estão aqui, em pdf:.

http://www.4shared.com/file/48693153/ca1f23a2/Histria_da_Igreja__compndio__-_Frei_Dagoberto_Romag_OFM_-_V1.html?s=1

http://www.4shared.com/file/48694748/dd8c8f60/Histria_da_Igreja__compndio__-_Frei_Dagoberto_Romag_OFM_-_V2.html?s=1

http://www.4shared.com/file/48696896/2ecf539c/Histria_da_Igreja__compndio__-_Frei_Dagoberto_Romag_OFM_-_V3.html?s=1

vd/2010
adicionado e visualizando a MENTIRA:

"No Compêndio da História da Igreja de autoria de Frei Dagoberto Romag, I Volume , intitulado a Antigüidade Cristã , Editora Vozes pág. 90-93 e 143-145, diz que a ordem do batismo escrita em Mateus 28: 19 (O Batismo em nome do Pai Filho e Espírito Santo) , saiu da Pena de Tertuliano no ano 197".


Adicionando e visualizando a Verdade

No ano de 197, saíram duas apologias da pena de Tertuliano, Ad nationes e o Apologeticum. As duas obras tem muitos pontos de contacto. Mas a forma e o valor são muito diferentes.



22/01/10


Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >