sexta-feira, 15 de julho de 2011

OS QUATRO VIGÁRIOS DE CRISTO


I - A MENTIRA


O artigo em questão é antigo, na época em que a calúnia foi lançada ainda estávamos sob o Papado de João Paulo II.

Mas, pelo que vejo, ele tem vagado durante todo esse tempo pela internet como se fosse verdade. Cheguei ao conhecimento desse nefasto texto durante um debate com um protestante, que o usou como argumento para atacar a unidade Católica.

Interessante que primeiramente o protestante lançou a mão de outro texto que vaga pela internet, texto esse que também acusa a Igreja de ter quatro Papas ao mesmo tempo na Idade Média, mas não imaginava que a mentira já havia sido refutada, primeiramente pelo amigo Fernando Nascimento na refutação do documentário “O Estado do Vaticano”[1] e depois em outra oportunidade por mim no artigo “O Papado, a Infalibilidade e a epístola de lúcifer” [2] disponível no “Cai a Farsa”. Ao ver a mentira ao chão ele partiu para o ataque com esse texto do já conhecido e enganador “Cacp”.






                                                                                                                        
18/01/


2010

Autor:
Jefferson Nóbrega



A desonestidade intelectual do Cacp nesse artigo reflete seu desespero diante da unidade Católica. Afinal a palavra unidade não é muito familiar no meio protestante.

Para atacar a Santa Igreja a articulista caluniadora afirma que na época a Igreja era governada por “quatro Vigários de Cristo”.

Vamos à Mentira:
  
A pérfida Mary lista quatro nomes que “governavam” a Igreja Católica nesse período. Citando os seguintes nomes:


"1° Sua “santidade” Gregório XVII

"2° O “papa” Pio XIII

"3° Sua “santidade” Miguel I

"4° O Papa João Paulo II

Ela começa o artigo dizendo:

“A Igreja católica cresceu tanto nas últimas décadas que agora precisa de quatro papas para dirigir, “infalivelmente”, o seu rebanho espalhado pelos quatro cantos da terra.”



II - ONDE SE ENCONTRA






Pesquise pelo artigo intiulado de “Os quatro vigários de Cristo”.



II - A VERDADE DOCUMENTAL



Primeiro nota-se que ao contrário da maioria dos “evangélicos” que dizem que o Catolicismo está morrendo ao perder fiéis para suas seitas, esta protestante movida por um desejo de caluniar, afirma que "a Igreja tem crescido" e está presente por todo o planeta, o que não deixa de ser uma verdade.

Mas, percebam caros leitores, que ao usar o termo “infalivelmente”, a ludibriadora faz com que os menos atenciosos, acreditem que tais homens governavam ao mesmo tempo a Igreja Católica Apostólica Romana, já que, a infalibilidade foi concedida apenas ao legítimo SUCESSOR de São Pedro, Príncipe dos Apóstolos.

Analisemos, portanto a lista dos supostos Papas citado por ela:

1° – Sua “santidade” Gregório XVII

Gregório XVII, nome adotado por
Clemente Domínguez y Gómez  (23
de Maio de 1946 – 22 de Março de
 2005) foi considerado um antipapa
pela  Igreja Católica, embora não
tenha reclamado o título de
bispo de Roma.
O Gregório XVII a quem o texto se refere é o senhor Clemente Domínguez Gómez, vidente cismático que diz ter sido proclamado Papa pelo próprio Deus, e fundou a Igreja Católica Palmariana, Gregório XVII nos seus últimos anos de pontificado foi acusado de heresia e causou uma verdadeira confusão na sua Igreja. [3]

Portanto, fica claro que esse “Papa” nunca governou a verdadeira Igreja Católica; ele fez apenas a mesma coisa que os hereges fazem quando fundam sua própria seita!




2°- O “papa” Pio XIII

Pio XIII - Earl Lucian Pulvermacher - chegou
à certeza que João XXIII tinha sido
 maçom, e que, portanto, sua eleição
em 1958 tinha sido inválida.




Earl Lucian Pulvermacher nasceu em 1918, entrou para a ordem dos Capuchinhos, sendo ordenado padre em 1948. Iniciou seu apostolado nos EE. UU., foi depois para o Japão e a Austrália. Em 1976 abandonou os capuchinhos e uniu-se durante algum tempo com a Sociedade de S. Pio X, de D. Lefebvre. Abandonando os tradicionalistas, que considerava não suficientemente fiéis à tradição, criou nos EE. UU. uma cadeia de capelas independentes. Parece que em 1990 chegou a pensar que poderia ser eleito papa pelos seguidores de David Allen Bawden.[4]

Em 1998 foi eleito Papa por Sedevacantistas em um curioso conclave por telefone e estabeleceu a sede da “Igreja Católica” em Montana- EUA.

Eis outro suposto Papa, que nunca governou a verdadeira Igreja Católica, mas que apenas rendeu-se à sua vontade.


3°- Sua “santidade” Miguel I



MIGUEL I - DAVID ALLEN
BAWDEN - Sua seita considera que
as eleições dos últimos 6 papas
devem ser invalidadas, porque “eram
muito modernos”.


Em 1989, por iniciativa de Teresa Sanfill-Benns e David Allen Bawden, foi convocada uma assembléia para a eleição de um papa que afinal fosse legítimo. Somente seis pessoas atenderam à convocação, entre elas o próprio David, reunindo-se no dia 16 de julho de 1990, em Belvue, Kansas, EE. UU. A exígua assembléia elegeu para papa ninguém menos que David Allen Bawden! Entre os votos que o elegeram, estavam os de seu pai e sua mãe. Em honra de Leão XIII e de seu exorcismo contra o demônio (que era rezado no final das missas), escolheu para si o nome de Miguel, primeiro do nome. David Allen Bawden nasceu em 1959. De 1977 a dezembro de 1978, freqüentou seminários da Sociedade de são Pio X, de D. Lefebvre, sendo despedido sem motivos. Consegue ser readmitido em 1980, e afasta-se em 1981 por considerar o seminário não ortodoxo. Passou a estudar teologia sozinho, e chegou à conclusão que os tradicionalistas estavam errados, abandonando-os por isso em 1983.[5]

Sua caminhada continuou até sua eleição papal em 1990. Enquanto pude saber, não procurou nenhum tipo de ordenação; assumiu diretamente a função máxima.

Novamente, eis outro que abandonou a única Igreja de Cristo e se fez chefe de sua própria “Igreja”.


Papa João Paulo II


João Paulo II - Karol Wojtyla
Eis o único Papa verdadeiro nessa nefasta listagem! O bem aventurado Papa João Paulo II. E para saber mais sobre Karol Wojtyla leia esse biografia publicada pelo ACI Digital:


======================================


Portanto, mostramos novamente a enganação protestante. A articulista citou vários anti-papas como se estes governassem juntos a única Igreja Católica Apostólica Romana. Mas, mostramos o engodo provando que neste período a Igreja de Cristo teve como chefe apenas o Santo Padre João Paulo II.

E o protestante pode objetar: Mas, qual é a prova de que João Paulo II governava a verdadeira Igreja Católica?

A própria articulista entrega a chave dessa resposta ao dizer: “A Igreja católica cresceu tanto nas últimas décadas que agora precisa de quatro papas para dirigir, “infalivelmente”, o seu rebanho espalhado pelos quatro cantos da terra.


Ora, nessa listagem o único que possuía a infalibilidade Papal era João Paulo II, pois este é sucessor direto do príncipe dos apóstolos São Pedro ao qual Cristo disse:

Mas eu também te digo, que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha igreja; e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E a ti darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus; e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” Mt 16,18-19

Assim o protestantismo e o malicioso CACP é desmascarado novamente!


Referências:



[2] http://caiafarsa.wordpress.com/o-papado-a-infalibilidade-e-a-epistola-de-lucifer/

[3] http://br.ocsfajmj.com/igrpal/intro/gregorio_XVII.htm

[4]http://www.redemptor.com.br/default2.asp?pg=sys/nucleo&canal=317&cat_cod=776&pga=4

[5] http://www.psleo.com.br/papas10.htm



Cai a Farsa!



Por Jefferson Nóbrega

===========================

Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >