TRADUZIR

quinta-feira, 8 de maio de 2014

IGREJA - UMA INSTITUIÇÃO PERECÍVEL


Vláfio Arnóbio: - Osvaldo de Paula Aranha. Você adora uma instituição perecível. Nós evangélicos, não adoramos nossas igrejas. 

Sobre Kepha (rocha) instituiu Cristo a sua Igreja
OSWALDO - "Edificar" tem como sinônimo "Instituir". Cristo edificou (instituiu) sua Igreja sobre KEPHA (pedra). A Igreja de Cristo é, pois, uma instituição. A Bíblia a chama de "o corpo de Cristo" e ainda diz peremptoriamente que, pelo Batismo, tonamo-nos uma só coisa com ele (Rm 6,5), elucidação dada como reforço, porque, sendo nós membros de seu corpo, efetivamente somos o próprio Cristo na terra. Como poderei, pois, deixar de amar ("adorar" na acepção de venerar, isto é, de amar profundamente) a esta Igreja? 

Os evangélicos estão cobertos de razão quando afirmam que não amam suas igrejas, porque estas, efetivamente, nem igrejas são. São grupelhos de cismáticos "que se afastando da Igreja, foram juntar-se a uma adúltera, ficando privados dos bens prometidos à Igreja" (Cipiriano "A Unidade da Igreja Católica" III - 6) 

A tendência a idolatria, foi rejeitada por nós os verdadeiros cristãos, justamente por um movimento que você chama de rebeldia. Os apóstolos, não eram idólatras. A idolatria não era prática na igreja primitiva.

Representação de um iconoclasta realizando 
destruição de imagens.
Verdadeiros cristãos?! O evangelho nos manda considerá-los pagãos e publicanos (Mt 18,17). Amotinados é o que são, mas Cristãos não e, muito menos, verdadeiros. Claro que sempre irão chamar-nos de idólatras, pois ao rebelar-se contra a Igreja de Cristo teriam de inventar alguma desculpa para justificar sua rebeldia .

Os amotinados hão de alegar sempre alguma desculpa e esta é a das mais esfarrapadas. Nisto estão unidos aos judeus que rejeitaram o Messias para se cumprir as profecias, e aos muçulmanos que o odeiam, não obstante, seu livro, o Corão, o exaltar muito mais que a Maomé. 

Esta heresia contra as imagens sagradas por considerá-las ídolos é mais uma novidade que somente apareceu no século VIII com os iconoclastas. 

A Bíblia, pelo contrário, simplesmente considera nossas imagens como necessárias, úteis e benéficas, caso contrário Deus não as mandaria fazer, nem operaria milagres através delas, nem as aprovaria e abençoaria quando abençoou e aprovou o templo de salomão que estava repleto delas (Ver: Ex 25,18; Nm 21,8; 1 Reis 8, 10-11; Nm 21,9; Ex 25,22; Nm 21,9; Ex 25,22; Js 7,6).

Deus aprovava, sim, as imagens; os cristãos primitivos nunca as repeliram (ver catacumbas). Agora, quanto aos verdadeiros ídolos, sempre foram e sempre serão condenados por Deus. Aliás, Deus também condena vocês rebelados não somente por prática pior que a idolatria, mas também por prática de feitiçaria:

"Agrada-se a Javé com holocaustos e sacrifícios como se agrada com a obediência à sua palavra? Sim, a obediência é melhor do que o sacrifício, a docilidade mais do que a gordura dos carneiros. PECADO DE FEITIÇARIA, eis o que é a rebelião, UM CRIME DE TERAFIM, eis o que é a presunção! Porque rejeitaste a palavra de Javé, ele te rejeitou..." (1Sm 15,22-23).


Como se pode ver, com clareza, o movimento que apontou a idolatria crescente na igreja romana, sim, é que restaura a igreja primitiva de forma coerente com a Palavra de Deus. 

Puxam a sardinha p'ra sua brasa
A "Palavra de Deus" (a Bíblia) não é de pessoal interpretação (2Pd 1,20 combinado com 3,15-16). É este o grande erro dos protestantes que se apegam à letra e à sua própria tendência de puxar a sardinha pra sua brasa e acabam adulterando o que leem. Neste caso a "letra mata" (II Cor 3,6). 

Somente a Igreja legítima de Cristo pode interpretar corretamente toda a revelação divina.

A igreja evangélica pode errar, nossos líderes podem errar, eu posso errar, porque somos humanos e não usurpamos a perfeição de Deus, pelo contrário, nos sujeitamos a ela, somos totalmente dependentes da misericórdia de Deus, somos carentes da direção de seu Espírito Santo, porque não somos infalíveis como os papas, nem infalíveis como a igreja romana. Somos apenas corpo, onde a cabeça é Cristo e não o contrário. Claro que quem adora toda sorte de ídolos, aqueles que ofuscam a glória de Deus em sua adoração, e usurpam fazendo-se cabeça, do papel de Cristo, relegando-o a corpo, não podem simpatizar conosco. É normal. 

Claro que suas igrejas, seus pastores e todos vocês são falíveis. Para estes não existe qualquer garantia que foi dada somente para à única e verdadeira Igreja instituída por Cristo. A Bíblia a chama de sustentáculo da verdade. Portanto, se ela pudesse errar, já não poderia ser este sustentáculo (1Tm 3,15) e seria mentirosa a Sagrada Escritura. 

Além disso, Cristo garantiu que tudo que seus enviados (e naturalmente seus legítimos sucessores) ligassem ou desligassem na terra seria consequentemente ligado ou desligado também nos céus (Mt 18,18). Ora, Deus não pode confirmar o erro ou a mentira, seguindo-se, então, que os apóstolos e seus legítimos sucessores estão protegidos a fim de transmitir integralmente o depósito da fé que lhes fora confiado. 

Os papas e os bispos não usurparam coisa nenhuma porque receberam seus mandatos diretamente de Cristo. Confira aqui a investidura solene de Pedro como apascentador plenipotenciário do rebanho de Cristo (Jo 21,17). 

Os bispos e o papa não são usurpadores, porém, o são os lobos que assaltam o rebanho de Deus dizendo-se enviados, mas que não podem apresentar nenhuma credencial por parte da Igreja e, muito menos ainda, da parte de Deus na forma que procedeu Cristo (Jo 10,38) e seus apóstolos:
"Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus.  Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava a sua palavra com os milagres que a acompanhavam" (Mc 16,19-20).

Se Cristo e os apóstolos provaram sua missão com sinais dos céus, também a própria Igreja Católica sempre o  fez e faz igualmente, sendo exclusivamente nela que se verificam estes sinais (milagres, prodígios e portentos) de sorte que podem ser examinados meticulosa e cientificamente sem que os mais afamados peritos logrem provar que se tratam de reles fenômenos naturais e explicáveis.

E os evangélicos com seus milhões de milagres? Tudo falso! Até hoje, há mais de 10 anos que os desafio e nunca foram capazes de apresentar sequer o relato de um milagre que fosse devidamente examinado do modo que faz a Igreja Católica.


Autor: OSWALDO
Fonte: 





Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >