TRADUZIR

quinta-feira, 17 de julho de 2014

ENTRE OS EVANGÉLICOS, NOS CASOS DE DIVERGÊNCIA, QUEM TEM AUTORIDADE PARA INDICAR QUAL É A INTERPRETAÇÃO VERDADEIRA?

39 - 18/7/14 - 17:52
Meu nome é Henrique Borck Neto, nasci em Curitiba em 23/02/1985, tenho 17 anos e moro em São Paulo - SP.Sou de família evangélica, da Assembléia de Deus, família fervorosa dentro do protestantismo. Meu pai é pastor, também da Assembléia de Deus. Isso me deu uma base muito grande dentro do mundo evangélico.
Confesso que até os 14 anos eu nem me interessava por nada, mas depois disso, comecei a estudar a Bíblia a fundo para mostrar aos outros que a verdade é uma só, querendo assim, formar apenas uma igreja baseada na única verdade.
Foi aí que tive consciência de que existem bilhões de interpretações do mesmo trecho bíblico... Eu conversava com batistas, presbiterianos, luteranos e algumas igrejas pentecostais (estas eram as mais enérgicas) para tentar formar a MINHA interpretação bíblica sem relativismos sobre certos assuntos, mas sim algo concreto e tentar também estabelecer
um diálogo entre todas as outras igrejas (Uma bela utopia). 

Cheguei à conclusão de que a interpretação bíblica que formei diferia de todas as demais, isso era algo inconsistente, pois, como diz a própria Bíblia, a Verdade é uma só.

(Comecei também a perder aquele sentimento que todo pentecostal têm de querer ser apóstolo, profeta, enviado de Deus, etc. depois de ler alguns artigos batistas que me deram plena consciência de que não somos apóstolos e sim Igreja, e que temos que nos portar como Igreja, não "dando ordens" a outros, mas sim as recebendo).


Aí a lógica começou a funcionar um pouco: Se a Verdade é uma só e se a Igreja é "coluna e sustentáculo da verdade" conforme I Tm. 3, 15, então isso necessariamente implica que a Igreja deve pregar uma só Verdade que nos leva à salvação, chamada por Cristo de "caminho estreito e árduo".


Veio-me uma dúvida então:

Quem pode dizer entre as Igrejas evangélicas o que é e o que não é certo ou errado?

Sempre que aparecia uma nova doutrina (algo comum entre protestantes, algo do tipo: se isso sempre ficar na rotina, vão começar a não ter nada o que fazer e vão começar a estudar e conhecer nossa doutrina.) havia condenações a tais práticas de um lado, e um incentivo a elas de outro. Quem teria autoridade final para nos dizer se tal prática agradava ou não a Deus? Perguntei a vários pastores como se resolvia isto, recebi a resposta de que a Bíblia não nos dava respaldo suficiente para dizer, ou seja, em algumas passagens ela autorizava tal coisa e em outras não. Comecei a estudar e a ler muito por algo muito óbvio: não existem duas verdades sendo elas contraditórias.Comecei pelos textos patrísticos. Formei uma visão bíblica tão pura e tão de acordo com a Bíblia que na minha igreja me olhavam como se eu fosse alguém diferente deles, todos vinham tirar dúvidas comigo ao invés de o fazerem com o pastor, afirmando que eu tinha um "dom especial". Mas mesmo assim, eu não me sentia bem. Conforme eu estudava, ia percebendo mais e mais contradições na minha igreja (isso não faz uma pessoa se sentir bem). Comecei então a não apenas ler os textos patrísticos (os quais eu considerava bons somente até o séc. V), mas a estudá-los. Estudei também a história da Igreja.


Foi quando percebi que a Igreja primitiva (os protestantes chamam assim a Igreja do primeiro século) é a Igreja Católica. Quando descobri isto, entrei em choque: tentei tirar isto da minha cabeça de qualquer jeito: comprei livros que falam contra a Igreja Católica, sobre a inquisição, livros que exaltavam Lutero...Mas não adiantou nada disso, seria
como abandonar a Verdade sufocando de minha mente esta pesquisa que fiz. Até que voltei a estudar MESMO, muito mesmo (afinal, não devemos ter medo da Verdade, certo?), retomei meus estudos e comecei a parar de ter medo de falar em público (meio protestante) sobre a Igreja Católica. Foi quando veio a mudança total: Era só eu falar algo para defender
a Santa Igreja e Sua doutrina, que de "iluminado", em menos de uma semana, eu passei para "herege". Eu achei incrível isto! Como eu posso estar totalmente "iluminado" e depois passar a "herege"?Foi aí que eu comecei a me sentir mal nesta igreja e comecei a ler artigos apologéticos católicos do site Agnus Dei. Ganhei muito mais maturidade com isso.
Hoje sou católico, graças a Deus e conheço muito bem a doutrina católica. De vez em quando vou à minha antiga igreja (cresci lá e criei laços com as pessoas) e estou conseguindo, bem aos poucos, esclarecer algumas pessoas sobre a doutrina católica. Graças a Deus estou tirando a imagem maléfica que eu tinha da Igreja Católica da cabeça deles. Peço
que vocês orem comigo para que a graça divina continue ajudando nossos "irmãos distantes" a voltarem para o seio da Igreja. Espero que isso ocorra o quanto antes.
Obs: Henrique Borck Neto é Membro Apologista do Site: www.veritatissplendor.org
"A Igreja é a coluna e o fundamento da verdade" (1 Tim 3,15)
"Todo aquele que divide Jesus é um anti-cristo" (1 Jo 4,3).

Autor: Henrique Borck Net
Fonte: Livro "Por que estes Ex-Protestantes se tornaram católicos
Veja o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:


Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >