domingo, 11 de dezembro de 2011

O ESTADO DO VATICANO - 17. TÍTULOS E FÁBULAS

Neste outro capítulo de calúnias, o embusteiro “pastor” caiu do cavalo pela falta de conhecimento sobre títulos dos cargos da Igreja. E até inventou “fábulas” para dedicá-las a Igreja. Desmascaremo-lo.

O Imperador Carlos V, o grande 
rival de Lutero, venceu a batalha 
de Mühlberg. Sua vida adulta 
coincide com o reinado do filho 
de Carlos V, Felipe II (1527-
1598), homem profundamente  
religioso, construtor do Escorial e 
protetor de Santa Teresa, e um 
dos paladinos da Contra-
Reforma

17.1 - O omisso “pastor’, da religião que tinha um exército armado chamado “LIGA DE ESMALCADA” em 1531, e que em 15 de julho de 1570, degolaram os jesuítas, resolve diante de suas omissões acusar os Papas de: “organizarem exércitos, derramarem sangue e tornarem-se políticos”. 

– Resposta: Os Papas nunca organizaram exércitos. Quando os civis se reuniram para defender-se dos hereges e invasores daqueles tempos, era a própria sociedade em defesa da fé. Quando houve exageros foi pela ausência do controle do Papa, que não tolerava a violência. Político Jesus também foi, como fazem os Papas, só não se metem em política vulgar. Já as seitas do “pastor” não podem ver uma eleição e logo se candidatam de vereador a presidente, têm até uma sinistra bancada evangélica sanguessuga. Dizem as Escrituras, "a boca fala do que lhe transborda do coração" (Mt 12, 34).





17.2 - O embusteiro “pastor”, que pertence á uma dita “igreja evangélica”, alemã, americana holandesa ou inglesa, que não existe em página alguma da Bíblia, dizia: “O Catolicismo por ser latino adotou títulos espanhóis e italianos, que resultaram numa hierarquia. Esses títulos nada tem a ver com o Cristianismo ou com o Novo Testamento, é criação do sistema deles”. 


O LATIM NÃO ESTÁ MORTO
- Resposta: Pergunto: Como o “pastor” acredita na Bíblia, se a palavra “Bíblia” não se encontra em toda a Escritura, e é “criação do sistema” dos Papas, orientados pelo Espírito Santo (Jo 14,26)? Respondo: ele só acredita no que convém. Como a palavra “católico” diz, o catolicismo é universal, Pedro fundou a sede da Igreja em Roma, e o idioma de Roma é que é latino. Está sim, na Bíblia a palavra “Bispo” que é o mesmo que Pai (Papa) = Cardeal = Núncio, etc. Como também está na Bíblia “Sacerdote”, “Presbítero”, que é o mesmo que Padre, Frei, Monge, etc. E estes títulos, traduzidos por outras palavras sinônimas conforme a língua, tanto tem a ver com o cristianismo, que Deus os designou para administrá-lo. (At 20,28), (Hb 5,1), (Hb 7,1).



17.3 - Cego por caluniar os cargos da Igreja, ele até atacou os cargos de “BISPO” e “SACERDOTE”, dizendo que: “Sacerdote é termo do paganismo e do judaísmo.” 

- Resposta -  Desmascaramo-lo com as Escrituras: "Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho, sobre que o Espírito Santo vos constituiu BISPOS, para apascentardes a Igreja de Deus a qual santificou pelo seu próprio sangue" (At 20, 28).



17.4 – Blasfemava o “pastor”, insinuando que Cristo era pagão por ser também “SACERDOTE”. Está na Bíblia: “Tu és SACERDOTE eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque.(Hb 5,6). 

- Respondo ainda com o Cristão primitivo, Santo Inácio de Antioquia, (ano 110), que já descrevia assim, os cargos iniciais da Igreja de Cristo: "Assegurem, portanto, que se observe uma Eucaristia comum; pois há apenas um Corpo de Nosso Senhor, e apenas um cálice de união com seu Sangue, e apenas um altar de sacrifício - assim como há um bispo, um clérigo, e meus caros servidores, os diáconos. Isto irá assegurar que todo o seu proceder está de acordo com a vontade de Deus." (carta aos Filadelfos IV - ano 110). Acabam assim os blefes do “pastor” sobre os cargos da Igreja de Cristo.



17.5 - Desesperado, ele até tentou atacar os padres, mas foi em vão, dizia: “padre, o mesmo que pai, é o que deveriam ser tendo esposa, filhos e lar.” 

– Resposta: o celibatário São Paulo assim escreveu em sua carta: “O solteiro (Padre) cuida das coisas do Senhor, em como há de agradar ao Senhor; - mas o que é casado (“pastor”) cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à mulher.” (1Cor 7,32-33). Pegue sua Bíblia e confira mais em: (1Cor 7, 7-8), (Mat 19,12), (Apo 14,4-5). O padre é pai espiritual e o “pastor” é pai dos filhos da sua mulher. Essa é a imensa diferença. E não me venham eles com versículos mal interpretados e distorcidos!


17.6 - Adiante, mentindo e se afastando cada vez mais de Cristo, o embusteiro “pastor”, sofisma, inventa títulos para os Papas e os acusa de serem “obsecados (sic) por títulos”. Citava que se intitulam: “Salvatore, Filius Dei, Sacratissímus Dominus Noster, Pontíficie Maximus, Augustos (digno de ser adorado) e outros superlativos que os distancia de Cristo”. 

– Resposta: Estes nunca foram títulos usados pelos Papas que se chamam na imprensa: “SERVOS DOS SERVOS”, "BISPOS DE ROMA", "VIGÁRIO DE JESUS CRISTO", PATRIÁRCAS DO OCIDENTE", “SUA SANTIDADE”. Desmascaremos agora o sofisma do “pastor”: Ele escreveu “Salvatore”, para insinuar que o Papa se diz salvador, ele escreveu “Fílius Dei”, para pregar que o Papa quer ser “Jesus”; ele escreveu “Sacratissímus Dominus Noster “ para colocar o Papa no lugar de Cristo; ele escreveu “Pontíficie Maximus”, para novamente colocar o Papa no lugar de Cristo; ele escreveu “Augustos (digno de ser adorado)”, para enganar você leitor, pois “Augusto” no dicionário, vai de “Respeitável” a “Solene”, nada de “adorado”. Cai o sofisma do “pastor”.


17.7 - A seguir, ele falando do que não entende, escorrega, julgando que não há harmonia entre as Ordens religiosas Católicas por serem diferentes. - 

- Resposta: que fiasco, meu caro “pastor”! Que pena que o senhor não sabe que as ORDENS são ministérios que tratam assuntos diferentes, mas todas em comunhão com a unidade da Igreja Católica de Jesus Cristo. Coisa que não acontece com a DESORDEM das seitas, como a do “pastor. Ele vilipendiando as ORDENS, gratuitamente acusou os Jesuítas de “belicosos”, escondendo que foram os BELICOSOS protestantes que degolaram os humildes jesuítas em 15/07/1570 (Enciclopédia Microsoft Encarta 99).


- Adiante, ele caluniava dizendo: “Rui Barbosa dizia que ‘A Igreja Católica é uma religião de FÁBULAS’ e o apóstolo Paulo mandava regeitá-las.(sic) (l Tim. 4:7)".

- Resposta – PURA CALÚNIA! Rui Barbosa nunca falou essa asneira. Ele sim, para estrebucho geral dos “evangélicos”, ao fim da vida disse: “Estudei todas as religiões do mundo e cheguei a seguinte conclusão: religião ou a Católica ou nenhuma.” (Livro Oriente, de Carlos Mariano M. Santos (1998-2004) – Art 5). Este mesmo Rui Barbosa foi elogiado pelo Papa João Paulo II, quando de sua visita a Campo Grande, em 1991. Quanto às “fábulas” citadas pelo vil “pastor”: em (1Tim. 4,7) o apóstolo Paulo na verdade manda rejeitar as “FABULAS PROFANAS das velhas”, ou seja, que não diz respeito à religião. Como pregar o evangelho sem as parábolas (que é o mesmo que fábulas) de Jesus??? São Paulo mandou mesmo foi se afastar de quem, como o “pastor”, promove dissensão (divisão da fé), isso o “pastor” não leu (Rm 16,17,18).

Ao contrário do que vemos nas seitas, na Igreja Católica não há espaço para fábulas profanas, nem falsos milagres. Tudo antes de ser proclamado é exaustivamente analisado por 76 médicos e respeitados cientistas, para isso o Vaticano tem quatro Academias Pontifícias em Ciências com 25 Nobel´s. Só é declarado milagre o que a ciência atesta. Desmascaremos abaixo, o que o precipitado “pastor” enumerou como “fábulas” da Igreja.



17.8 - Dizia Ele: “1 - Os anjos conduziram pelas nuvens a casa de Nossa Senhora de Loreto desde a Palestina até a Itália. Devido a esse "milagre" ela é padroeira dos aviadores!” 

– Resposta: Puro engano do embusteiro. Quem trouxe a casa de Nossa Senhora a Loreto foi uma família Cristã de sobrenome “dos anjos”. Este dado está de acordo com o que dizem os estudiosos do início deste século. Afirmam eles, com efeito, ter lido esta notícia em outros documentos do Arquivo Vaticano. Neles se lia que uma família Bizantina chamada “dos Anjos”, em latim, “De Angelis”, no século XII, salvou da destruição muçulmana, as pedras da Santa Casa de Nazaré, e as mandou trazer para Loreto a fim de construir ali a Capela. Provavelmente do nome da família “dos Anjos” ( DE ANGELIS ) do aforismo surgiu o engano do “pastor”, de que a Santa Casa veio para cá conduzida pelos anjos. Buscando a verdade dos fatos, autoridades governamentais, eclesiásticas, científicas e técnicas da época, nada constataram de fictício ao analisarem as fundações que permaneceram em Nazaré ou na própria casa. No dia 10 de dezembro de 1995, dia de Nossa Senhora de Loreto, como parte dos festejos dos 700 anos de devoção à Virgem, foi lançado pelos Correios o selo comemorativo desse acontecimento. Nossa Senhora de Loreto é a Padroeira dos Aviadores a pedido do Exmo. Sr. Ministro da Aeronáutica, em carta datada de 10/08/70 à Sua Emª, o cardeal D. Jaime de Barros Câmara, pede, que seja solicitada junto à Sua S. o Papa Paulo VI, no sentido de que esta igreja seja proclamada Santuário Nacional de Nossa Senhora de Loreto, Protetora da Aviação Brasileira Civil e Militar. O que foi concedido pelo Papa, em 08/10/70. (http://www.loreto.org.br/loreto.asp), (Zenit (29/03/2006).

Isso acaba com a primeira fábula do embusteiro “pastor”, que se desdobra em calúnias, coloca palavras na boca dos outros e levanta falso testemunho contra a Igreja.


17.9 – Fantasiava ele a seguir, sobre o exemplar Padre Anchieta: “2 - O padre Anchieta navegava de barco, sendo molestado pelo sol, surgiram pássaros que voaram em formação, fazendo sombras sobre sua cabeça. Este "Milagre" consta no processo de sua canonização!” 

- Resposta: Isto não consta no processo de sua canonização, pois seria um “milagre” a si próprio. Os milagres atribuídos ao padre Anchieta consta de bebês que sendo enterrados vivos pelos índios por serem filhos de brancos que estupravam índias, eram desenterrados vivos pelo padre morrendo apenas só depois de batizados.


17.10 - Seguia o embusteiro: “3 - Em Portugal uma jovem roubava ouro e jóias de uma Mansão para dar aos pobres. Quando surpreendida, revistaram sua cesta, então houve o “milagre", as jóias roubadas transformaram-se em flores! - Essa jovem foi canonizada!”. 

- Resposta: Note que a sua suposta “canonizada”, nem nome tem. Esta é outra fábula inventada pelo velhaco “pastor”, já que na Igreja Católica ninguém é venerado por roubo, como é a “bancada evangélica” da religião do “pastor” que chefiava a quadrilha dos “Sanguessugas” das ambulâncias.


17.11 - Dizia ainda o vilipendiador: “4 - Numa gruta na Bahia há sinais de pés de uma criança, bem forjados! ‘Naquela gruta o menino Jesus refugiou-se quando perseguido por Herodes!’ Anualmente chegam naquela gruta centenas de romeiros; a Igreja diz que o povo é "simples e ignorante", mas os padres estão presentes, tirando proveito dessa situação espiritual miserável em que se encenara nossa gente!” 

– Resposta: Sua gente usa paletó e se candidata à político usando o nome de Deus para enganar o povo simples, “pastor”. Diferente do que o senhor pensa, a Igreja não compactua com as crendices populares. Se o senhor estudasse a história do Brasil, saberia que os padres já estavam na Bahia, capital da antiga “Terra de Santa Cruz”, mesmo antes dos “brasileiros” existirem. Portanto NÃO CALUNIE dizendo que os padres estão presentes só para tirar proveito como fariam os “pastores” que vendem Bíblias para analfabetos. A história que o “pastor” narra é da cultura popular e não “fábula” da Igreja.


17.12 - E continuava ele: “5 - Como a Igreja não sabe quando as almas saem do purgatório e cobram "Missas de intenção" sucessivamente, criaram uma lenda para desencargo de consciência que diz: "Nossa Senhora do Carmo, no primeiro sábado de cada mês, deixa o céu e vai até o purgatório tirar algumas almas privilegiadas!"” 

- Resposta: Do mesmo modo que o “pastor” não sabe o dia que o mundo acabará, é Deus quem sabe quando as almas saem do purgatório e não a Igreja. E bem diferente do que ele fala, a Igreja NÃO cobra "Missas de intenção SUCESSIVAMENTE”, é geralmente grátis e NÃO CRIA LENDA para “desencargo de consciência”. Sua acusação, os críticos consideram espúria, isto é, NÃO AUTÊNTICA, a bula de João XXIII em que se fala deste privilégio sabatino de ficar livres do inferno e do purgatório no primeiro sábado após a morte. Na verdade, na bula de 11/02/1950, o Papa Pio XII apenas convidava a “colocar em primeiro lugar entre as devoções marianas, o escapulário que está ao alcance de todos”, apenas isso, e isso não é fábula. (Um santo p/ cada dia – M. Sgarbossa, Paulus, pág. 223)


17.13 - Seguia o “pastor”: 6 - Seis padres belgas e um holandês da Ordem dos Bolandistas investigam oficialmente a história dos Santos {Hagiografia} (...) O porta voz deles Van OMMESlLAEGHE anunciou que "Santa Catarina nunca existiu", foi uma fábula da Igreja.” 

- Resposta: PURA CALÚNIA! Os jesuítas belgas conhecidos como Bolandistas, subordinados ao Papa, apenas investigam e eliminam a parte lendária, de modo a restaurar o relato da vida dos santos, o mais fiel possível à realidade comprovável. É uma “fábula” a estória do “pastor” de que estes teriam alegado que Santa Catarina nunca existiu. Nos livros hagiográficos, concluídos pelos Bolandistas, existem 04 Santas Catarinas autênticas. Santa Catarina da Suécia, Santa Catarina de Alexandria, Santa Catarina de Gênova e Santa Catarina de Sena. Todas pessoas distintas que viveram em épocas diferentes, em lugares diferentes. Portanto, “pastor”, sua calúnia acabou aqui. Desde então proclame esta verdade e se envergonhe de sua mentira. (Um santo para cada dia, Mario Sgarbossa – Luigi Giovannini , pág 93, 377,159, 133, Ed. Paulus). 

17.14 - Continuava o embusteiro: “7 - Os Carmelitas supunham que sua Ordem teve origem com o Profeta Elias no Monte Carmelo ha 900 anos antes de Cristo! Agora estão revoltados com os Bolandistas, porque eles descobriram que a Ordem dos Carmelitas é recente, datando do ano 1.160 Depois de Cristo. (Do nosso, arquivo)”. 

– Resposta: PURA CALÚNIA! Jogue esse “arquivo” protestante no lixo. A Ordem Carmelita não se julga tendo origem com o profeta Elias, apenas o tem por patriarca modelo, por este ser o primeiro a orar no Monte Carmelo (1Reis 18,42). Os monges no ano 93 d.C., destruíram sua antiga casa e construíram uma capela sobre o Monte Carmelo, perto da fonte de Elias, em honra a primeira Virgem voltada a Deus. Portanto, é uma balela dizer que os Carmelitas tenham se revoltado com os Bolandistas, que muito menos afirmaram que os Carmelitas são datados de 1.160 d.C. (Um santo para cada dia, Mario Sgarbossa – Luigi Giovannini , pág 223, Ed. Paulus). E assim caem todas as “fábulas” inventadas pelo embusteiro “pastor”. Diz a bíblia dele: “... a Igreja é coluna e firmeza da verdade” (1Tim 3,15). Se a lesse teria se poupado deste mico.


Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >