TRADUZIR

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O ESTADO DO VATICANO - 10. O VATICANO E O PEDESTAL DE MARIA (I)

Muito embora esteja claro nas escrituras, que Maria é mãe do Senhor (Lucas 1, 43), que “todas as gerações” a “proclamarão Bem-aventurada” (Lc 1, 48), que a Confissão protestante de Augsburgo reconheça em Maria um papel especial dizendo:Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau" (Art. 21,27). O raivoso “pastor” dragão, dedicou duas páginas de ódio visceral à Mãe de Deus, as quais refutaremos linha por linha. Satanás tem ódio de Maria, de sua obediência e de sua humildade! Está escrito:E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo(Ap 12,17). Ele sabe que não tem forças contra Maria (Ap 12,14-16), por isso nos ataca, por guardarmos o testemunho de Jesus.



10.1 - Daí começava ele pelo Papa João Paulo II, o servo dos servos.


Beato Papa João Paulo ll - Piso do Vaticano


O piso interior da Basílica de São Pedro, no Vaticano


 - o Beato Papa João Paulo ll 

- TOTVS TVVS (Totus tuus - 

 lema da era apostólica do Papa João Paulo II 

É uma frase latina que significa "totalmente seu".)

- Resposta - Ignorando o enorme crucifixo com Cristo, que porta o Papa, sua ira se voltava para a pequena frase “TOTUS TUUS” (todo teu) no escudo do Papa. Ser TODO de Maria, é também ser TODO de Deus, como Jesus. Foi Jesus, filho de Maria que disse: “Eis aí tua mãe”, ao discípulo presente. Mas o satânico olho do “pastor” viu o Papa se referindo a Maria como “co-redentora”. Pura maldade! “Co-redentor”, quer dizer apenas, ‘aquele que coopera na Redenção’, todos podem sê-lo. Diferente da fé do “pastor”, essa é a fé única, de um só Senhor, um só batismo e um só Deus, Pai de todos, pai de Maria e do Papa (Ef 4,5-6).



10.2 - Depois, buscava ele um deslocado versículo fora de contexto e dizia: “Honraram e serviram mais a criatura que o Criador”



– Resposta: Aí é que o “pastor” se engana, antes de inventarem o protestantismo, a Igreja há 1517 anos, já ensinava amar Deus sob todas as coisas, e que Rm 2,10 sugere “glória” e “honra” a todos. Vimos que, até a Confissão de fé protestante reconhece: “Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau" (Art. 21,27). Fim do engodo do “pastor” dragão.




10.3 - E para completar seu sofisma, ele recorreu a uma artimanha, usou uma das adulterações da bíblia de João Ferreira, que TROCOU criminosamente a palavra ÍDOLO dos originais por IMAGEM DE ESCULTURA, para fazer confusão. E usando dessas adulterações, dizia o velhaco “pastor”: “Deus não reparte Sua glória com imagens de escultura! (Isaias 42:8)”.



- Resposta: Como nos originais, leia-se: “fesel” “COM ÍDOLOS”, como já vimos, Deus não proíbe imagem de escultura (Jz 18,31), mas o ídolo deus (Jz 18,24), que era antes a mesma imagem de escultura depois admitida. Como a maioria dos hereges protestantes, o “pastor” não sabe que a glória que Deus não reparte é a sua glória de divindade; mas que, por outro lado, ele concede às criaturas outras glórias. Com prova, está escrito: "Deus concede graça e glória" (Salmo 84,11) ou (Salmo 83,12); "O que... Deus preparou para nossa glória" (1 Cor 2,7); -"Os que chamou, também os justificou, e os que justificou, também os glorificou" (Rm 8,30); -


"Vi outro Anjo descendo do céu, tinha um grande poder e a terra ficou iluminada com a sua glória" (Ap 18,1); "Eu lhes dei a glória que me deste" (Jo 17,22); - "Glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem" (Rm 2,10)! Será que Maria e os demais santos não praticavam o bem??? É fácil assim, que derrubamos as “igrejas” de areia protestantes.




10.4 - Usando versículos fora de contexto e INVENTADOS por ele, dizia ainda o energúmeno: “Na eternidade ‘Não se casa nem se dá em casamento,’ disse Cristo, não haverá sexo, ninguém nasce porque ninguém morre! ’Todos serão como anjos de Deus, a carne e o sangue não herdarão o Reino dos Céus’. – Sendo assim com que propósito o catolicismo alimenta a idéia de Maria como mulher estar no céu com prerrogativas especiais? (Mt 22:30 e I Cor 11:50).”


- Resposta: Quem pergunta é porque não sabe. Não se fala de “sexo” em nenhum dos seus versículos citados. Em (Mt 22,30), diz apenas: “Porque, na ressurreição, nem casam, nem são dados a casamento; mas serão como os anjos do céu”. E “I Cor 11:50” NÃO EXISTE na Bíblia. Que vergonha, “pastor”!!! Maria é a “mulher” até no sinal do céu: "Uma MULHER revestida de sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Ela deu à luz um Filho, um varão, que há de reger todas as nações com vara de ferro” (Ap 12,1,5). Quem usa coroa, senão uma rainha? Maria é Rainha do Céu e da Terra! Só ela foi e é “cheia de graça”! A palavra que expressa isso, em grego, é kekharetome, palavra que significa ser que foi desde sempre, que é ainda agora, e que continua sendo cheia de graça, isto é Imaculada, sem pecado original. 



O criminoso “pastor” para enganar os incautos deturpou (Mt 22,30) colocando a palavra “sexo” e ainda inventou (I Cor 11:50) que não existe na Bíblia. É assim que pregam o ódio contra a mãe de Jesus.



10.5 - Dizia ainda o herege: “MUITOS DOGMAS DO CATOLICISMO por serem” - segundo ele - “anti-bíblicos levaram séculos para serem assimilados”

- Resposta - PURA CALÚNIA! Todas as doutrinas católicas já eram vivenciadas desde o início do cristianismo como provamos, e só precisaram ser confirmadas na medida que surgiam os hereges querendo-as abolir.


10.6 - E enumerava o herege “pastor”, suas calúnias que derrubamos uma-a-uma, dizia:

“1º - No Concílio de Éfeso. Ano 431 declararam Maria como Mãe de Deus”. 

- Resposta - PURA CALÚNIA! Na Bíblia, Isabel fala: "a MÃE DE MEU SENHOR" (Lucas 1, 43); quem é o SENHOR? Tenho certeza que ele me dirá que é Deus, não vá me decepcionar... Se o SENHOR é DEUS, Maria, que é Mãe do Senhor, é MÃE DE DEUS. Isto acaba com as pretensões do “pastor”. O Apóstolo S. Tiago Menor, cita na liturgia: “... a gloriosíssima Mãe de Deus, sempre Virgem Maria”. (S. jacob in Liturgia sua). - São Cirilo de Alexandria (370-442), assim discursou no Concílio de Éfeso: "Causa-me profunda admiração haver alguns que duvidam em dar à Virgem Santíssima o título de Mãe de Deus. Realmente, se Nosso Senhor Jesus Cristo é Deus, por que motivo não pode ser chamada de Mãe de Deus a Virgem Santíssima que o gerou? Esta verdade nos foi transmitida pelos discípulos do Senhor, (...) Em particular Santo Atanásio (295-373), nosso pai na fé, de ilustre memória, na terceira parte do livro que escreveu sobre a santa e consubstancial Trindade, dá freqüentemente à Virgem Santíssima o título de Mãe de Deus”. Veja que desde os apóstolos Maria é “Mãe de Deus”


10.7 - Prosseguiam as lorotas do “pastor”, dizia:
2º - O Concílio de Latrão, ano 649, determina que Maria não teve outros filhos”.

- Resposta - PURA CALÚNIA! Nunca houve “Concílio de Latrão” no ano 649. Vimos acima o apóstolo Tiago menor declarar: “... Mãe de Deus, sempre Virgem Maria.” (S. jacob in Liturgia sua). Mais de 200 anos antes dessa falsa data do “pastor”, já dizia Santo Agostinho (+430): "Com efeito, assim como nesse sepulcro nenhum morto foi sepultado, nem antes, nem depois, (Jo 19,41), também no seio virginal de Maria, nem antes nem depois, ser mortal algum foi concebido." (De fide et symbolo IV,8.11).


10.8 - E mentindo e corrompendo a Bíblia, dizia o velhaco: “O Novo Testamento registrou que ‘José não coabitou com Maria SOMENTE ATÉ nascer Jesus’”. 

- Resposta - PURA MANOBRA! Ele ACRESCENTOU a palavra “SOMENTE ATÉ” em (Mt 1, 25), para vender sua farsa. Seu blefe se baseia nas suas acrescentadas palavras "SOMENTE ATÉ", QUE NÃO CONSTAM no texto de Mateus, que até a bíblia protestante de João Almeida traduz por "ATÉ QUE". Lá, quer dizer apenas, que José não conheceu Maria, e nasceu Jesus, e não fala que este a conheceu depois. Confirmava Lutero: "Destas palavras não se pode concluir que, após o parto, Maria tenha tido consórcio conjugal. Não se deve crer nem dizer isto." (Obras de Lutero, edição Weimar, tomo 11, pg. 323). Ora, quando São Paulo escreveu à Timóteo: “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.” (1Tim 4,13), Isso não significa que depois da chegada de São Paulo, Timóteo tenha abandonado sua vida missionária. Na bíblia, os “irmãos do Senhor” dito em hebraico, refere-se aos primos e discípulos (Jo 20,17-18). Jesus crucificado, entregou sua mãe ao discípulo João, filho de Zebedeu e Salomé, e não à supostos “irmãos” carnais que nunca existiram.




10.9 - E o “pastor” se engana feio ao dizer que: “Maria deu a luz seu Filho PRIMOGÊNITO, se foi primogênito vieram outros depois”. 

- Resposta -  PURO ENGANO! Jesus foi apresentado como primogênito no templo, sem que viessem outros depois (Lc 2,22-23). Deus ordena: contar todo o primogênito varão dos filhos de Israel, da idade de um mês para cima (Num 3, 40). Ora, se há primogênito de um mês de idade, como é que se pode exigir que, para haver primeiro, haja um segundo? Logo, há primogênito sem que haja, necessariamente, um segundo filho. Era PRIMOGÊNITO quem nascesse menino ou animal macho, e não se nascesse outro depois daquele (Ex 13, 2).

Curiosamente a tradução protestante confirma que primogênito é aquele que abrir toda madre, sem precisar de outro (Ex 13, 2).


10.10 – Adiante, alegava o “pastor”, que: “Iminentes (sic) Cristãos do século II, registraram que Maria teve outros filhos com José; afinal casar-se e ter Filhos não desonra, o que desmerece e muito é a condição de celibatário!”

- Resposta – PURO INSULTO! Ele não mostrou esses “Iminentes (sic) Cristãos” do século II, porque não existem. Ele sequer sabe escrever, “Iminentes” quer dizer AMEAÇADORES. Quando ele blasfemando, alega que a condição de celibatário “desmerece e muito”, ele está desmerecendo Jesus Cristo, São Paulo, Timóteo, Tito e os apóstolos, celibatários. É a palavra de Deus, que diz: “Estes são os que não se contaminam com mulheres, pois são virgens. São aqueles que acompanham o Cordeiro por onde quer que se vá; foram resgatados dentre os homens, como primícias oferecidas à Deus e ao Cordeiro” (Ap 14,4). A Igreja casa quem quer casar e ter filhos. Mas só os solteiros ou abstinentes como Maria e José, “cuidam das coisas do Senhor e agradam ao Senhor” (1Cor 7, 32- 34). Quanto ao “pastor” casado, só lhe restam as coisas do mundo.


10.11 - Seguia ele: “3º - No concílio de Nicéia, ano 787, instituíram o Culto à Maria (hiperdúlia)”.

- Resposta - PURA CALÚNIA! Não se “cultua” Maria, VENERA-SE. Os apóstolos já veneravam Maria Santíssima desde os primeiros séculos: O apóstolo Santo André citou em suas documentais liturgias: "Maria é Mãe de Deus, resplandecente de tanta pureza, e radiante de tanta beleza, que, abaixo de Deus, é impossível imaginar maior, na terra ou no céu." (Sto Andreas Apost. in transitu B. V., apud Amad.). também São Tiago apóstolo registra: "Maria é a Santíssima, a Imaculada, a gloriosíssima Mãe de Deus." (S. Jac. in Liturgia). São Cirilo de Alexandria (370-442) rezava assim: "Salve, Ó Maria, Mãe de Deus! Vós enclausurastes em vosso sagrado seio o Deus Único que é incontenível. Ó Maria, Mãe de Deus! Com os pastores nós cantamos o louvor de Deus, e com os anjos o canto de agradecimento: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade. Ó Maria, Mãe de Deus! Por meio de ti nos veio o Conquistador e Vencedor triunfante do inferno." (Patrística). Pobre “pastor”!


10.12 - Resmungava o embusteiro: “A Igreja foi hábil pedindo a uma mulher, a Imperatriz Irene, que presidisse o Concílio de Nicéia, para sensibilizar os bispos na aprovação da devoção à Maria”. 

- Resposta - PURA CALÚNIA! A imperatriz Irene APENAS reuniu o Sétimo Concílio Ecumênico de Nícéia, com 300 bispos para amenizar as leis iconoclastas, este Concílio foi presidido pelos legados romanos, e não pela Imperatriz, como escorrega o “pastor”, muito menos se deteve a pessoa de Maria. - Ele tentou também rotular de “nova devoção” a sanção do Papa Adriano I a antiga veneração de Maria, e se enganou brutalmente. Pois “sancionar” quer dizer CONFIRMAR o que já existia, não cabendo aqui a palavra “nova devoção”. Bola fora. (consulta: "http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Adriano_I").


10.13 - Dizia ainda ele, sofismando: “Essa devoção é ilusória, Maria não toma conhecimento, porque inclusive os Santos, não tem Onipresença e Oniciência (sic), atributos exclusivos de Deus”

- Resposta: Este é um velho truque enganador dos “pastores”, eles pegam as palavras Onipresença e Onisciência, atributos de Deus, e maliciosamente aplicam aos santos, quando os santos, não fazem uso disto, eles tem visão beatífica (1Cor 13,12, “face a face”, e 2 Pd 1,4) são “participantes da natureza divina”: “... tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.” (Ap 5,8-9). “E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus ”. (Ap 8,4) Cai mais um sofisma.


10.14  - Prosseguia: “4º - O Dogma da ‘Imaculada Conceição’ foi proclamado em 1854 pelo Papa Pio IX, por conta própria e sem consultar nenhum Concílio”. 

– Resposta: Pura calúnia! O Papa apenas confirmou o que antes existia, diante de 53 cardeais, de 43 arcebispos, de 100 bispos e mais de 50.000 romeiros vindos de todas as partes do mundo, em 08/12/1854. ***Explicando: a Imaculada Conceição é o fato de nossa Senhora ter sido concebida sem Pecado Original, não tendo jamais pecado. Este fato é professado pelos apóstolos e pelos “VENERÁVEIS PAIS DA IGREJA” citados pelo “pastor”. Provemos: sugere São Paulo: Maria foi Seu perfeito tabernáculo (Hb 9,11); São Tiago apóstolo registra em sua liturgia: "Maria é a Santíssima, a Imaculada, a gloriosíssima Mãe de Deus." (S. Jac. in Liturgia). Santo Atanásio (295 -373), diz: "Maria é Mãe de Deus, completamente intacta e impoluta." (Sto. Ath. Or. in pur. B.V.). Santo Agostinho (354-430), escreveu: - "Nem se deve tocar na palavra "pecado" em se tratando de Maria; e isto em respeito Àquele de quem mereceu ser a Mãe, que a preservou de todo pecado por sua graça." (Sermão 215,3). - Como vemos, do que fala o “pastor” nada se aproveita.


10.15 - Seguia caluniando o enganador: “5º - Cem anos depois, em 1950 a velha Igreja Católica escorrega de novo, deixando a cristandade perplexa! Baseando numa lenda infantil, de 15 séculos atrás, o Papa Pio XII proclama a Assunção de Maria”. 

- Resposta - PURA CALÚNIA! Houve só a confirmação da Assunção. Toda a cristandade viveu, vive e viverá a Assunção de Maria. Maria ainda era viva quando as escrituras encerraram, mas o livro de apocalipse já professava sua assunção (Ap 12,1-5). É calúnia gratuita a “lenda infantil”, citada pelo embusteiro “pastor”. Vários livros históricos dos cristãos dos primeiros séculos documentam a Assunção de Maria, são: Acts of St. John by Prochurus, no século II; Joannis liber de Dormitione Mariae, e De transitu B.M. Virginis, ambos do século IV, etc. - Desmascaremos agora o “pastor”, mostrando que São João Damasceno que morreu no ano 749 (MUITO ANTES DE 1950) já festejava a ASSUNÇÃO DE MARIA, escreveu: "... Não é Maria que precisa de elogios, nós é que precisamos de sua glória. Um ser glorificado, que glória pode receber ainda? a fonte da luz, como será iluminada ainda? Ela [Maria] cativou o meu espírito, ela reina sobre a minha palavra, dia e noite sua imagem me é presente. Mãe do Verbo, dá-me de que falar!... Eis aquela cuja festa celebramos hoje em sua santa e divina Assunção”. (São João Damasceno (675-749) - da homilia sobre a dormição da Mãe Santíssima de Deus na festa da Assunção - pág. 96, 753-761).


10.16 - Levantando falso testemunho e mostrando-se completo desconhecedor da palavra de Deus, dizia o venenoso “pastor”: “Cogitam aumentar o peso de sua coroa proclamando-a ‘Rainha dos Céus, Mãe de todas as graças’ e outros exageros que se estivesse aqui recusaria”

- Resposta: Repudiamos sua caluniosa pretensão, “pastor”. Como mostramos antes, Maria, mãe do Senhor, já foi coroada muito antes, pelo próprio Deus: "Uma Mulher revestida de sol, tendo a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Ela deu à luz um Filho, um varão, que há de reger todas as nações com vara de ferro” (Ap 12, 1,5). Mãe de Deus, o “pastor” já sabe que ela é: “MÃE DE MEU SENHOR" (Lucas 1, 43); cheia de graça, disso ele não tem dúvida, mesmo adulterando sua bíblia: “Ave, cheia de graça ...” (Lc 1, 28), a palavra que expressa isso, em grego, é kekharetome = cheia de graça.



10.17 - O seu delírio e desinformação é tanto que ele escreveu: – “Já há entre eles quem deseje uma posição de Maria na Santíssima Trindade!” 

- Resposta: PURA CALÚNIA! Não sabe o “pastor” que trindade quer dizer “três”. E se ele se refere ao excomungado frei Leonardo Boff e seu blasfemo livro: O Rosto Materno de Deus (pág 106), precisa ser urgentemente informado que este, não faz parte do corpo da Igreja Católica há muito tempo, mas muito tem recebido a simpatia de protestantes e inimigos da Igreja.


10.18 - Em seguida desconhecendo que mesmo Jesus Cristo, dependendo da comunidade, tinha nome diferente, sendo a mesma pessoa. (exemplo: Jesus, Nazareno, Messias, Emanuel, Cristo, Cordeiro de Deus, Filho do homem, Salvador, etc.) Ele aqui tenta passar o ridículo de dizer: - “A mãe de Jesus é invocada no Catolicismo como Nossa Senhora do Parto, das Dores, da Agonia, etc.” 

– Resposta: Como no caso de Jesus, as comunidades primitivas muitas vezes não tendo certeza do nome de um venerável, associavam a ele sua cidade ou um fato marcante de sua vida. Quando dizemos: Nossa Senhora do Parto (é do parto de Jesus), das Dores (é das Dores de Jesus), da Agonia (é da Agonia de Jesus), do Ó (é da gestação de Jesus, referindo a sua barriga redonda). Como pode alguém que se diz cristão e “pastor”, ver maldade nisso. Diz as escrituras: “Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis.” (Tt 1,15). E mais, ele disse mentindo, que “Maria é adorada em todo o Brasil”, corrija: Maria não é “adorada” em todo o Brasil. Mas, VENERADA no Brasil e na grande maioria das nações, por Católicos, Ortodoxos, Anglicanos e Luteranos, POR TODAS AS GERAÇÕES, como está na Bíblia (Lc 1,48). O “pastor” não vive o Cristianismo, mas o anticatolicismo, por isso está de fora


10.19 - E ainda, criminosamente tentando deturpar outro assunto, dizia o herege: - “Muito mais estranho é a doutrina dos jesuítas no ‘ELUCIDARIUM DE POSA’, onde descreve Maria, concorrendo como homem e mulher para produzir o corpo de Cristo”

- Resposta - PURA DETURPAÇÃO! Os Jesuítas apenas referem-se que na terra, fique claro, Maria foi mãe e pai de Jesus em sua geração carnal, visto que Jesus não teve o pai carnal na terra, apenas. Nada de anormal nisto.


10.20 - E encerrando esse capítulo de blasfêmias dizia o vilipendiador: - “As Igrejas protestantes não são irreverentes assim com o nome da mãe do Salvador!” 

- Resposta: ALELUIA!!!!!! Note que finalmente ele reconhece Maria como “MÃE DO SALVADOR”, ALELUIA!!!!!! Quanto a irreverência das “igrejas protestantes” são as piores possíveis, chamam a MÃE DO SALVADOR de: “IDOLO”, “BONECA”, “UMA COMO OUTRA QUALQUER”, “DEMÔNIO”, “DEUSA”, “DEFUNTA”, etc. E a irreverência física das “igrejas protestantes” vai além: tem uma chamada “Acalanto” só para gays, uma chamada “Sinos de Belém” para pederastas, uma chamada “Universal” que faz “descarrego”, uma chamada “Bola de Neve” só para surfista tatuado, uma chamada “Assembléia de deus” para quem grita na rua, uma chamada “Catedral Esperança” só para lésbicas e Draig Queens, outra chamada “Cuspe de Jesus”, “Cobra de Moisés” e por aí vai. Acabam assim as lorotas do “pastor”



Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >