domingo, 5 de janeiro de 2014

"MATE-OS ONDE QUER QUE VOCÊ OS ENCONTRE" - TERRORISMO ISLÂMICO (SURATA 9-5):

Jihad no Quênia - Quem não for muçulmano é cruelmente torturado e morto


RELIGIÃO TERRORISTA - TRANSFORMA INDIVÍDUOS PACÍFICOS EM ASSASSINOS CRUDELÍSSIMOS

Jihad em um Shoping do Quênia



Jihad - O alemão que trocou o futebol para ser terrorista Islâmico
Jihadistas do grupo islâmico somali al Shabaab promoveram uma chacina em um shoping em Nairobi, capital do Quênia. Pelas últimas contas, mais de 60 mortos e 70 desaparecidos.



"Você encontra pessoas com ganchos pendurados no teto", disse um médico queniano, que pediu para não ser identificado.
"Eles removeram os olhos, ouvidos, nariz. Eles pegavam a sua mão e a apontava como um lápis, para, em seguida, eles dizerem para a vítima escrever o seu nome com o sangueEles enfiavam facas dentro do corpo das crianças.


"Na verdade, se você olhar para todos os corpos, a não ser que aqueles que fugiam, os dedos foram cortados por um alicate, os narizes foram arrancados por um alicate. Aqui existiu dor."

Os jihadistas aplicaram a doutrina islâmica ao pé da letra. Os assassinos usaram uma oração muçulmana para distinguir os muçulmanos dos não-muçulmanos (provavelmente a Shahada). Quem rezasse a oração estava livre. Quem não rezasse era morto no ato.




Fonte: INFIEL ATENTO 


Uma testemunha disse "Eles não estavam falando Swahili (o idioma do Quênia). Eles falavam algo que parece ser árabe ou somali".

A imagem mostra um casal morto a tiros pelos pistoleiros muçulmanos na praça de alimentação. Eles passaram os seus últimos momentos abraçados.

A imagem também mostra a fonte de inspiração para este ATO DE AMOR A ALÁ: "Mate os idólatras (*) onde quer que você os encontre (Alcorão, 9.ª Surata - 5)" 

(*) - Os que não são muçulmanos








Isso não se tratou de um protesto. Isto foi sobre matar não-muçulmanos.Essa é a real intenção de cada ataque terrorista islâmico.



Uma testemunha disse que os atacantes liberaram pessoas que foram capazes de provar que podiam rezar em árabe.


"Vi algumas pessoas se levantarem e dizerem algo em árabe e os homens armados a deixaram ir."


"Um colega meu disse que ele era muçulmano. Ele recitou algo em árabe e os terroristas o deixaram ir tambem."



"Eu vi um monte de crianças e idosos sendo mortos a tiros."


"Eu não entendo por que alguém iria atirar em uma criança de cinco anos de idade."

Porque a criança era um não-muçulmano. 

É pela mesma razão que os nazistas mataram crianças de cinco anos de idade. Islão é inerentemente tribal. É sobre ou escravizar os que estão de fora, ou matá-los se eles resistem.

Os não-muçulmanos não são pessoas. Assim, os muçulmanos os matam. É simples assim. A Shahada, que os terroristas muçulmanos, sem dúvida pediram para os reféns recitarem, é "Não há outro deus senão Alá, e Maomé é o mensageiro de Alá."

Ou você acredita nisso. Ou eles matam você.

Esse é o choque de civilizações, resumido em um momento sangrento.

E é também interessante ressaltar que os terroristas se referiam aos reféms como "os cristãos." Isso é importante pois ressalta quem eles vêm como inimigos, e que eles não fazem distinção entre cristãos, agnósticos, ateus, etc. 

O Quênia é 87% cristão. 

Jihad no Quênia: Terroristas muçulmanos estavam “vestidos como mulheres”

Advinha se os terroristas usavam perucas loiras, biquínis ou burkas? Eu aposto que eles usavam o traje islâmico, que é inerentemente ofensivo e misógino, e, mais do que nunca, também é uma questão de segurança. O que você diria? É claro que o artigo da SkyNews não explica o que "vestidos como mulheres" significa. Os reporteres não querem “ofender sensibilidades” ou pior, parecerem como sendo "islamófobos".

Em qualquer caso, a vestimenta que parece como um “caixão de pano,” totalmente velada, deve ser proibida, no interesse da segurança das pessoas de boa-vontade.

Tragédia do arquiteto britânico que embalou sua mulher grávida em seus braços enquanto eles morriam após serem sidos baleados  

Existem imagens que são chocantes demais. Uma delas mostra Briton Ross Langdon, arquiteto britânico, abraçando a sua mulher Elif Yavuz, grávida de 8 meses e meio, os dois mortos na praça de alimentação, com comida espalhada por todos os lados, sobre uma poça de sangue (foto acima). Elif era especialista em malária e trabalhava no Quênia pela Fundação Clinton. Eles foram mortos em nome de uma ideologia supremacista perversa e cruel (DailyMail). 




Elif Yavuz e o ex-presidente Bill Clinton

Jihadistas de toda a parte do mundo participaram da carnificina

A jihad é global e os “guerreiros sagrados” (mujahadin) agora vêm de todo o lado. A organização terrorista al Shabaab divulgou, orgulhosamente, o nome daqueles que participaram da chacina.  Aparentemente, um dos líderes dos mujahadin era Samantha Lewthwaite, conhecida como a “viúva branca.”  De fato, testemunhas dizem terem visto uma mulher branca vestindo um véu negro dando ordens, em árabe, para os homens armados.

O caso de Samantha Lewthwaite é mais um exemplo da jihad interior, a transformação que uma pessoa sofre ao se juntar ao islão: transformação de uma pessoa pacífica em um terrorista. Ela se casou com Lindsay Jermaine, um dos terroristas que participaram dos atentados em Londres, em 7 de julho de 2005. Lindsay morreu durante esta operação de jihad.

Samantha Lewthwaite foi detida, mas acabou sendo solta e vivendo na Inglaterra até 2009, quando ela desapareceu. Ela reapareceu no Quênia. Em 2011 ela começou a ser procurada pela polícia do Quênia sob a acusação de participar em uma conspiração para explodir um hotel. Aparentemente, ela fugiu para a Somália (DailyMail). Ela voltou a Nairóbi para este seu ultimo ato de amor a Alá.
  



Samantha Lewthwaite se casou, contra a vontade da família,
com Lindsay Jermaine em 2002, apenas algumas semanas
 após eles terem se conhecido

 Segundo a al Shabaab, os terroristas incluiam homens, em seus 20 anos, oriundos dos EUA, Canadá, Londres, Finlândia e Somália.

Primeiro Ministro Britânico diz que ataque não tem nada relacionado ao islão (??!!!!)

Enquanto que o mundo islâmico está mudo com o que aconteceu no shoping em Nairobi, no Quênia, políticos no Ocidente correm para defender o islão. Por que isso? Bem, no caso da Grã Bretanha, os árabes estão comprando tudo, de tal modo, que passou a ser um defensor dos interesses árabes e não dos valores britânicos.  O Primeiro Ministro havia dito anteriormente que “é a corrente principal da Grã Bretanha que precisa se integrar mais com o modo de vida islâmico do que o contrário” (FrontPage).  

A carnificina foi precedida de tortura

O nível de crueldade é inimaginável. Ele começa a subir à tona agora que o ataque terrorista acabou. O que se vê é revoltante. Os soldados quenianos afirmam encontrar cenas de tortura cometida pelos terroristas no shopping. Olhos arrancados, corpos pendurados em ganchose dedos removido com o alicate.”  Eles dizem que crianças foram encontradas mortas em frigoríficos de alimentos com facas ainda em seus corpos, e que homens foram castrados etiveram seus dedos removidos. Essas são punições islâmicas!

A maioria dos terroristas derrotados, por sua vez, teriam sido descobertos "queimados até as cinzas", incendiados pelos últimos extremistas vivos, em uma tentativa de esconder as suas identidades.

As vítimas ainda desaparecidas podem estar sob os escombros do shoping.

Ontem, soldados e médicos que estavam entre as primeiras pessoas que entraram no shopping depois dele ter sido recuperado na terça-feira, falaram sobre as cenas horripilantes.


"Você encontra pessoas com ganchos pendurados no teto", disse um médico queniano, que pediu para não ser identificado.

"Eles removeram os olhos, ouvidos, nariz. Eles pegavam a sua mão e a apontava como um lápis, para, em seguida, eles dizerem para a vítima escrever o seu nome com o sangueEles enfiavam facas dentro do corpo das crianças.


"Na verdade, se você olhar para todos os corpos, a não ser que aqueles que fugiam, os dedos foram cortados por um alicate, os narizes foram arrancados por um alicate. Aqui existiu dor."

A foto mostra o rescaldo no Westgate Shopping Mall,
onde
 o telhado do parque de estacionamento desabou
esmagando três andares


Um soldado, que tirou fotos disse que ficou tão traumatizado com o que viu, ele teve que procurar aconselhamento. (DailyMail)

A descrição me faz lembrar de Beslan, o ataque islâmico que aconteceu na Rússia 9 anos atrás. O que será que os terroristas de Beslan têm em comum com os terroristas de Naoróbi? A reposta é composta por duas palavras. A primeira palavra é “is”; a segunda palavra é “lão.”


Lembrete: o objetivo da al Shabbab é a implementação lei islâmica


Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >