terça-feira, 3 de novembro de 2015

"A MULHER É DEFEITUOSA E MAL NASCIDA"... O QUÊ?!




Xiiiiii!!! Isto vai dar panos pras mangas! Como de costume, o feedback dos nossos detratores muitas vezes apontam para o problema subjacente, mas tendem a abrir outros flancos somente tangenciais. Neste caso, parece que há dúvida de que a situação das mulheres é muito melhor no Ocidente cristão do que em qualquer outra cultura no passado ou moderna, mas, não obstante,  não percebem nenhuma contradição em afirmar que a Igreja é misógina.

Em apoio de seu ponto de vista, trazemos esta citação, que atribuem ao Doutor Angélico (São Tomás de Aquino, Suma
Teológica)
:

“No que se refere à natureza individual, a mulher é defeituosa e mal nascida, porque o poder ativo da semente masculina tende à produção de um ser perfeito semelhante em homens, enquanto a produção de uma mulher vem de uma falta de potência ativa. "
Se buscarmos qualquer frase deste parágrafo no Google, o buscador nos devolverá exclusivamente páginas anti católicas, onde são repetidas 4 ou 5 citações de Santo Agostinho, Tertuliano e Santo Tomás, sempre na mesma ordem e sem qualquer contribuição além disso: " “Apenas teimam em provar como os católicos odeiam as mulheres". Sequer se dão ao trabalho de apontar  fonte, como se fosse o suficiente dizer apenas “Suma Teológica” e isto num panfleto de 50 páginas que pode ser lido em pouco tempo.
Mas, para que não se diga que não temos resposta faço a seguinte consideração e espero que nenhuma mulher se sinta ofendida por causa do título e sim, que perceba a sua alta relevância.

Como já viram, o primeiro problema a superar é: em que lugar pode ter escrito São Tomas de Aquino esta tal citação em sua Suma Teológica, monumental obra de três partes e mais um suplemento, que por sua vez abarcam 512 "questões" ou temas, cada uma desenvolvida em um número variável de artigos, que, por sua vez, compreendem 3 a 5 objeções, uma resposta e as respectivas réplicas a todas as objeções. Assim, seus palhaços, não me venham com “Tomás de Aquino, Suma Teológica".
Afortunadamente para nós, o excelente site de Hernán González acode em nosso auxílio, com uma versão da íntegra Suma Teológica e, espanhol e com sistema interno de buscas. Gratos, Hernán!
Assim, descobrimos na primeira parte do trabalho, tratando a respeito de Deus, fala-se sobre a criação e as criaturas, especificamente da criação do homem e na questão 92 desta primeira parte, intitulada "A origem da mulher" 4 itens são abordados, no primeiro dos quais é perguntado: "ao produzir as primeiras coisas, deveria ou não ter criado a mulher? ".
Para aqueles que não conhecem a estrutura da Summa, convém anotar que cada tema que é explorado pelo Santo se divide numa série de perguntas, e a cada pergunta começa listando as objeções à posição ortodoxa, agregando, a seguir, um argumento de autoridade, depois vem a resposta de São Tomás ao tema, e termina replicando a cada uma das objeções.
Neste caso, a primeira objeção a que a mulher tenha sido feita junto com as primeiras coisas é tomada de Aristóteles, que, como se sabe, é uma das grande influências do Santo.
Aponta a Summa (Parte Questão 92, a.1):
Objeções pelas quais parece que a mulher não devia ser feita na primeira criação das coisas:
1. Disse o filósofo no Livro "De Generat". Animal: A mulher é um homem frustrado. Mas na primeira criação das coisas não era conveniente que existisse nada de frustrado nem imperfeito. Portanto, na primeira instituição das coisas não devia ter sido feita a mulher.
Parece, pois, que a ideia da inferioridade da mulher não provém do cristianismo, senão que remonta aos gregos, e não a qualquer um, senão ao máximo representante da filosofia clássica. Veja: "Guerra contra as mulheres".
É na resposta a esta objeção que nos encontramos com o parágrafo que parece haver dado lugar à citação de nossos detratores. Respondendo ao Filósofo, São Tomás disse:
1. Considerada em relação com a natureza particular, a mulher é algo imperfeito e ocasional. Porque a potência ativa que reside no sêmen do varão tende a produzir algos semelhante a si mesmo no gênero masculino. O nascimento da mulher se deve à debilidade da potência ativa, ou à má disposição  da matéria, ou também à alguma mudança dos ventos do sul, que são úmidos, como se diz no livro "De Generat" Animal. Mas se considerarmos a mulher com relação à natureza toda, ela não é ocasional, senão algo estabelecida pela natureza para a geração. A intenção de toda a natureza depende de Deus, seu autor, que veio a criar não somente o homem, mas também a mulher.
Parece que não é tão feio como "defeituosa e mal nascida", mas "imperfeita e ocasional" mesmo assim, ainda não parece tão bom! Que acha?
A

chave para entender este parágrafo encontra-se em reconhecer que ao escrever sobre isso, São Tomás não está expressando um juízo religioso ou de valor acerca das mulheres, senão somente constatando um dado científico...  ou, pelo menos, era o que se passava por "fato científico" em sua época. Isto se confirma com a frase co que conclui esta explicação: “como foi dito no livro 'De Generat. Animal' “.
Para entendermos de que aqui falamos, recordemos que somente foi em 1672 que o anatomista católico holandês Regnier de Graaf descobriu a existência dos óvulos e sua participação no processo reprodutivo dos mamíferos, graças à invenção do microscópio no início do século XVII.  Até esta época, 400 anos depois de São Tomás, os únicos fatos claros relativos à reprodução humana, eram, a necessidade do ato sexual, o contributo masculino e a interrupção dos ciclos menstruais, quando, então, ocorria uma gravidez. Por outro lado, o processo reprodutivo das plantas já era amplamente conhecido.
Neste contexto, não é de estranhar que a forma mais natural de explicar a geração se servisse da agricultura, e assim entenderam que, para reproduzir um novo ser humano, a semente (lat. seminis e daí sêmen) do homem devia devia encontrar apenas um “solo fértil” no corpo da mulher. Tal especulação seguramente poderia confirmar-se porque alguns fluxos menstruais apresentavam cor assemelhadas a alguns limos que, por sua vez se mostravam altamente férteis para as plantas. Disto resultava em acreditar que o homem era a "potência ativa" no processo.
Mediante tal informação repassemos o parágrafo, quando se disse:
Porque a potência ativa que reside no sêmen do homem tende a produzir algo semelhante a si mesmo no gênero masculino.
É uma lógica bem simples: se planto uma semente de maçã, terei uma macieira;  se for uma semente de pêssego, me sai um pé de pêssego; se for um caroço de azeitona, haverá de nascer uma oliveira; e se esta semente for de homem, certamente há de nascer um homem. Entretanto, às vezes, nasce uma mulher (com efeito, a maioria das vezes, pois os antigos não tinham coo sabê-lo, porque as matavam). Mas o que teria acontecido? A resposta que davam é que ocorreu um defeito no processo e, portanto, não era um homem, mas uma mulher. 
Ou, falando de outro modo:
"O nascimento da mulher se deve à debilidade da potência ativa, ou à má disposição  da matéria, ou também à alguma mudança dos ventos do sul, que são úmidos".
Eis aqui uma conclusão científica, da ciência do século XIII, mas afinal, trata-se de ciência. Então, o que faz com que o santo ao  reproduzi-la, não está emitindo uma opinião religiosa, mas afirmando um fato científico que em sua época parecia ser correto.
Não é demais recordar que seguidamente, Santo Tomás considera inaceitável que esta conclusão científica tenha aplicação ante os olhos de Deus quando agrega:
Mas se considerarmos a mulher com relação à natureza toda, ela não é ocasional, senão algo estabelecida pela natureza para a geração. A intenção de toda a natureza depende de Deus, seu autor, que veio a criar não somente o homem, mas também a mulher.

Voltando a estabelecer o homem e a mulher em pé de igualdade, não obstante a opinião em contrário dos cientistas.
Concluindo para os ateus:
  1. Se vão citar, pelo menos citem bem.
  2. Não se metam com o que não entendem.
E para os crentes:
  1. Não se deve "casar-se" a ciência do passado com a de nosso tempo. Nem com a  eva mitocondrial, nem com o big bang como o momento da criação, pois que os cientistas podem de um momento para o outro mudar de opinião e lançar isso na cara dos crentes.

  2. ANOTAÇÕES - TUDO SOBRE
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >