sábado, 12 de novembro de 2011

ROMA NÃO TINHA AUTORIDADE PARA ESTABELECER O CÂNON BÍBLICO


"... o cânon do NT não estava reconhecido em finais do século I, mas também não foi a Igreja de Roma que o estabeleceu. Esta última idéia é um anacronismo fatal, já que no século IV a Igreja de Roma - hoje conhecida como Igreja Católica - não tinha a autoridade nem o poder que depois se arrogou..."


Índice das Mentiras




10 nov (2 dias atrás) 


Sobre o Canon

Algumas questões no mínimo interessantes sobre o cânon [foram colocadas em pauta por um rapaz (que também é protestante claro) na comunidade, Martinho Lutero].

.




I - A MENTIRA




E também esse estudo:



"A regra enunciada por Agostinho é bastante reveladora sobre o verdadeiro processo de formação do cânon. Por sinal, o cânon do NT não estava reconhecido em finais do século I, mas também não foi a Igreja de Roma que o estabeleceu. Esta última idéia é um anacronismo fatal, já que no século IV a Igreja de Roma - hoje conhecida como Igreja Católica - não tinha a autoridade nem o poder que depois se arrogou. Portanto, não poderia determinar por si mesma nenhum cânon, nem sequer no suposto que o tivesse claro.
.
A verdade é que o cânon foi reconhecido e proclamado não pela Igreja Católica romana, mas pela igreja católica (ou universal) antiga, que certamente não era governada desde Roma, por mais que esta fosse uma sede apostólica de enorme influência. 
.


De facto, os bispos de Roma não falaram mais alto no tema do cânon, longe disso. Embora segundo o testemunho de Eusébio em princípios do século IV o consenso final estivesse próximo, foi fundamental a intervenção dos bispos africanos, primeiro Atanásio e depois Agostinho, sob cuja influência os sínodos de Hipona (393) e o III e VI de Cartago, respectivamente de 397 e 419, determinaram os limites do cânon"


II - ONDE SE ENCONTRA


Veja o restante desse estudo nesse link:



10 nov (2 dias atrás) 

Gustavo escreve o que segue: 



Minha intenção, postando esse material aqui é ver as disposições a respeito.

Não pretendo debater sobre o tema. Quero conhecer as suas opiniões. Se quiserem usar o material para fazer uma refutação mais bem elaborada também não seria ruim, mas minha intenção é tão somente conhecer suas respostas.

Se acharem que o tópico está em desacordo, entenderei sua exclusão.

Fiquem na paz de Nosso Senhor.





III - A VERDADE





IMAGENS 




A verdade??? E ele prefere o que então? A mentira?



"A verdade é que o cânon foi reconhecido e proclamado não pela Igreja Católica romana, mas pela igreja católica (ou universal) antiga, que certamente não era governada desde Roma, por mais que esta fosse uma sede apostólica de enorme influência".

Quantos mesmo são os livros inspirados, que esta Igreja inspirada pelo Espírito Santo, que ele prefere chamar de Igreja Católica decidiu como o cânon inspirado??

73, ou 66 Livros?




Fernando (respondendo ao):




Gustavo,



não perca seu tempo lendo estes embustes anti-históricos protestantes.


1- O desonesto articulista ali, apenas tenta inutilmente separar a "Igreja Universal" da Igreja Católica, como se não fossem a mesma Igreja.



2- Tal ignorante sequer sabe que os livros do Novo testamento passavam de 50 [na verdade mais que o dobro de 50, Ao todo, 116 livros, isto é, 89 apócrifos + 27 canônicos], antes de a Igreja Católica definir o Cânon do NT que determinou os quatro evangelhos.





3 - Martinho Lutero em seu Comentário sobre São João disse: “Somos obrigados a admitir dos Papistas que eles têm a Palavra de Deus, que a recebemos deles e que sem eles não teríamos nenhum conhecimento dela”. Esta Igreja pronunciou que TODOS os 73 livros que compõe o Antigo e Novo Testamento são revelação.



Santo Agostinho no seculo IV bem disse: "Eu não acreditaria no Evangelho se isso primeiro não me movesse a autoridade da Igreja Católica"

Sobre a desonestidade das editoras evangélicas, alerta o presbiteriano Prof. Juan Pablo, mestrado em História pela UFES:




“Bem, a respeito do estudo sobre o cristianismo antigo, a primeira coisa que devemos aceitar, é que os protestantes de modo geral, em especial os brasileiros, conhecem muito pouca coisa de História cristã. 



Infelizmente, a grande maioria dos livros de história do cristianismo publicados por editoras evangélicas aqui no Brasil não são fontes confiáveis para o estudo da história cristã antiga e medieval, e isso por dois motivos:



1 - são escritos por teólogos com péssima formação histórica;


2 - seu objetivo real não é realmente informar o leitor, e sim combater o catolicismo, para dar a falsa impressão de que tudo o que a ICAR alega seria mentira e portanto fazer apologética da teologia protestante. Ou seja: pecam por desonestidade intelectual.



Faz-se necessário estudar a história do cristianismo a partir da historiografia acadêmica.”



Se pretende de fato entender o Cânon Bíblico, leia este artigo:


10 nov (2 dias atrás) 


Cris Macabeus (ao que segue):





"De facto, os bispos de Roma não falaram mais alto no tema do cânon, longe disso. Embora segundo o testemunho de Eusébio em princípios do século IV o consenso final estivesse próximo, foi fundamental a intervenção dos bispos africanos, primeiro Atanásio e depois Agostinho, sob cuja influência dos sínodos de Hipona (393) e o III e VI de Cartago, respectivamente de 397 e 419, determinaram os limites do cânon".




RESPOSTA: - Será que esse comediante teve pelo menos a capacidade de ler que na ata dos concílios regionais de Hipona e Cartago foi dito que esse cânon definido por eles teria que passar pela AUTORIDADE e o reconhecimento da "Igreja do outro lado do mar (Roma)" e assim teria que ser reconhecido pelo Bispo de Roma?
10 nov (2 dias atrás) 


Cris Macabeus (Continuação)




CONSTITUIÇÃO CONCILIAR

ATA (Concílio de Hipona, 08.Out.393).



"Cânon 36 - Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome 'Divinas Escrituras'. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos2, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão3, doze livros dos Profetas4, Isaías, Jeremias5, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras6 e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos7, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo8, uma do mesmo aos Hebreus9, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João.10 Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar11. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários12"

10 nov (2 dias atrás) 

Cris Macabeus (continuação)




Creio que eu não preciso mostrar no mapa qual igreja ficava do outro lado do mar.



10 nov (2 dias atrás) 




ATA do Concílio de Cartago III (397) e (419)




"Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome 'Divinas Escrituras'. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos, dois livros dos Paralipômenos, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão, doze livros dos Profetas, Isaías, Jeremias, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo, uma do mesmo aos Hebreus, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João12. Isto se fará saber também ao nosso santo irmão e sacerdote, Bonifácio, bispo da cidade de Roma, ou a outros bispos daquela região, para que este cânon seja confirmado, pois foi isto que recebemos dos Padres como lícito para ler na Igreja"


10 nov (2 dias atrás)


Fernando (diz ao Gustavo)

Gustavo, 
Quem foi que definiu o cânone do Novo Testamento, esse que você crê? Não pense que só existiram os 27 livros. Havia mais, muito mais. Alguns achavam que o livro do Apocalipse não era inspirado, mas o Pastor de Hermas era. Então, quem acabou com a discussão e definiu que esses 27 eram Palavra de Deus? 


RESPOSTA: O PAPA SÃO DÂMASO DA IGREJA CATÓLICA.


Veja “apenas alguns” exemplos de apócrifos do Novo Testamento que o Papa descartou: 



A Hipostase dos Arcontes, (Ágrafos Extra-Evangelhos), (Ágrafos de Origens Diversas), Apocalipse da Virgem, Apocalipse de João o Teólogo, Apocalipse de Paulo, Apocalipse de Pedro, Apocalipse de Tomé, Atos de André, Atos de André e Mateus, Atos de Barnabé, Atos de Filipe, Atos de João, Atos de João o Teólogo, Atos de Paulo, Atos de Paulo e Tecla, Atos de Pedro, Atos de Pedro e André, Atos de Pedro e Paulo, Atos de Pedro e os Doze Apóstolos, Atos de Tadeu, Atos de Tomé, Consumação de Tomé, Correspondência entre Paulo e Sêneca, Declaração de José de Arimatéia, Descida de Cristo ao Inferno, Discurso de Domingo, Ditos de Jesus ao rei Abgaro, Ensinamentos de Silvano, Ensinamentos do Apóstolo [T]adeu, Ensinamentos dos Apóstolos, Epístola aos Laodicenses, Epístola de Herodes a Pôncio Pilatos, Epístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões), Epístola de Pedro a Filipe, Epístola de Pôncio Pilatos a Herodes, Epístola de Pôncio Pilatos ao Imperador, Epístola de Tibério a Pôncio Pilatos, Epístola do rei Abgaro a Jesus, Epístola dos Apóstolos, Eugnostos, o Bem-Aventurado, Evangelho Apócrifo de João, Evangelho Apócrifo de Tiago, Evangelho Árabe de Infância, Evangelho Armênio de Infância (fragmentos), Evangelho da Verdade, Evangelho de Bartolomeu, Evangelho de Filipe, Evangelho de Marcião, Evangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia), 1Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias), Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos), Evangelho de Pedro, Evangelho de Tome o Dídimo, Evangelho do Pseudo-Mateus, Evangelho do Pseudo-Tomé, Evangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos), Evangelho dos Egípcios, Evangelho dos Hebreus, Evangelho Secreto de Marcos, Exegese sobre a Alma, Exposições Valentinianas, (Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros), (Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas), História de José o Carpinteiro, Infância do Salvador, Julgamento de Pôncio Pilatos, Livro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem Maria, Martírio de André, Martírio de Bartolomeu, Martírio de Mateus, Morte de Pôncio Pilatos, Natividade de Maria, O Pensamento de Norea, O Testemunho da Verdade, O Trovão, Mente Perfeita, Passagem da Bem-Aventurada Virgem Maria, "Pistris Sophia" (fragmentos), Prece de Ação de Graças, Prece do Apóstolo Paulo, Primeiro Apocalipse de Tiago, Proto-Evangelho de Tiago, Retrato de Jesus, Retrato do Salvador, Revelação de Estevão, Revelação de Paulo, Revelação de Pedro, Sabedoria de Jesus Cristo, Segundo Apocalipse de Tiago, Sentença de Pôncio Pilatos contra Jesus , Sobre a Origem do Mundo, Testemunho sobre o Oitavo e o Nono, Tratado sobre a Ressurreição, Vingança do Salvador, Visão de Paulo e etc. 



Portanto a Igreja Católica é mãe da Bíblia e isso basta! 



Até o séc IV não havia “Bíblia”, mas havia a Igreja, coluna e fundamento da verdade (1Timóteo 3,15).



Cai a farsa.


10 nov (2 dias atrás) 

Renan


Quem foi que definiu o cânone do Novo Testamento, esse que você crê? Não pense que só existiram os 27 livros. Havia mais, muito mais. Alguns achavam que o livro do Apocalipse não era inspirado, mas o Pastor de Hermas era. Então, quem acabou com a discussão e definiu que esses 27 eram Palavra de Deus?



RESPOSTA: O PAPA SÃO DÂMASO DA IGREJA CATÓLICA.(2)




É incrível como algumas pessoas querem negar tanto que são o que são, por causa da Santa Igreja, que até querem dizer que mais de 2000 mil anos de história são pura mentira.



Daqui a pouco vai aparecer alguém dizendo que foi algum "Protestante" (algumas pessoas pensam que naquela época , já existiam...rsrs) que definiu o NT!



Portanto a Igreja Católica é mãe da Bíblia e isso basta. Até o séc IV não havia “Bíblia”, mas havia a Igreja, coluna e fundamento da verdade (1Timóteo 3,15).(2)


10 nov (2 dias atrás) 

Fernando:

 


Gustavo,


o Diabo é astuto, e tem feito uso da ignorância de muitos para iluminar o inferno.


Um exemplo está no que você postou aqui.



Ainda bem que você não põe toda sua fé neste laço.


10 nov (2 dias atrás)


Renan:
 


Lembro-me como se fosse hoje....


Certa vez na comunidade "Evangélicos" em um tópico sobre "Adventistas"


Um deles, solta uma pérola dizendo que o NT havia sido definido "logo após a morte dos apóstolos" e que a Igreja Católica, tinha mascarado isso em forma de Concílio anos depois...



Então perguntei... Você pode provar isso?



Ainda não tive resposta!





Não debato mais com protestantes que só querem ser infantis e nem se dão ao trabalho de ler minhas postagens e ainda apresentam argumentos sem nenhum embasamento...



Por fim, não adianta negar, pode falar o que for, a história não mente. A Bíblia Sagrada, foi definida por Deus, através da Santa Igreja. Ponto final!





10 nov (2 dias atrás)


Patrick




Um Adventista, solta uma perola dizendo que o NT havia sido definido "logo após a morte dos apóstolos" e que a Igreja Católica, tinha mascarado isso em forma de Concílio anos depois.....


nunca irão responder!


10 nov (2 dias atrás) 

André Queiroz


Pois é, estudar história é abdicar do protestantismo.

Fernando, descobri um outro site com obras patrísticas. Há textos muitissíssimos interessantes. 





10 nov (2 dias atrás) 

Fernando



André Queiroz.


pois é, motivos para o Gustavo amar a verdade e odiar a mentira não faltam.



11 nov (19 horas atrás)

Gustavo 



Obrigado!




Pois é, o amor à verdade nos faz defender aqueles que deveríamos ter como inimigos e contrariar aqueles que deveríamos apoiar!



Enfim, estou de acordo.




Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >