sexta-feira, 12 de agosto de 2016

OS 7 LIVROS "APÓCRIFOS" CONSTAVAM DA SEPTUAGINTA USADA POR JESUS E PELA IGREJA PRIMITIVA

JESUS E OS APÓSTOLOS E A IGREJA PRIMITIVA USAVAM A SEPTUAGINTA QUE TINHA OS 7 LIVROS. JÁ OS PROTESTANTES USAM O CÂNON DOS JUDEUS.




NOTAS :

TUDO ISO SE PROVA COM FONTES PATRÍSTICAS E LISTAS DE PERGAMINHOS PAPIROS CODEX E COM AS MAS DE 100 MIL VARIANTES DO NOVO TESTAMENTO JÁ PROTESTANTES CONTESTAM COM MENTIRAS DESCARADAS E FONTES FORJADAS QUE NUNCA EXISTIRAM.
AGORA:
Passemos agora a provar que a versão grega dos 70 (LXX) que contam os livros Baruc, Judite, Tobias, Sabedoria, 1 e 2 Macabeus e Eclesiástico, que hoje fazem parte da bíblia católica e que não existem na bíblia protestante, foi usada por Jesus e seus Apóstolos, e que esses livros são verdadeiramente inspirados por Deus.
Vamos abrir a nossa bíblia (católica ou protestante) em Gn 46,27. Deixe marcada e abra também em At 7,14. Vejamos:
“José teve dois filhos nascidos no Egito. O total das pessoas da família de Jacó que foram para o Egito era de setenta” (Gn 46,27) “Enviando mensageiros, José mandou vir seu pai Jacó com toda sua família, que constava de setenta e cinco pessoas” (At 7,14)
Entrada dos Hebreus no Egito - Observem a cor da pele mais clara, as vestimentas coloridas dos "barbudinhos" indicando os hebreus na figura. O egípcios são os moreninhos. Essa figura representa a chegada de Jacó e seus filhos, junto com suas esposas, filhas e animais.
Observe que na passagem do livro do gênesis o total das pessoas da família de Jacó era de setenta; já no livro de Atos dos Apóstolos (escrito pelo evangelista Lucas), o número total era de setenta e cinco. Por que a diferença? Isso ocorre devido ao fato de que tanto na bíblia católica quanto na bíblia evangélica o antigo testamento foi traduzido a partir do original hebraico. Porém, o antigo testamento que Lucas usava era o da versão grega dos 70, em que nele constava que o número total de pessoas da família de Jacó era de setenta e cinco.
É esse posicionamento que encontramos na bíblia de estudos Almeida (evangélica) no comentário de Gn 46,27:
“A versão grega (LXX) acrescenta aqui ainda cinco descendentes dos filhos de José, dando assim o total de setenta e cinco pessoas, número mencionado em At 7,14.”
Outra prova está em Gn 47,31 em comparação com Hb 11,21:
“José jurou-lhe e Israel prostrou-se sobre a cabeceira de sua cama” (Gn 47,31).
“Foi pela fé que Jacó [Israel], estando para morrer, abençoou cada um dos filhos de José e venerou a extremidade de seu bastão” (Hb 11,21).
Estas passagens mostram claramente que o autor de Hebreus usava a versão grega dos 70, já que, na sua carta, ele faz uma citação do livro do Gênesis do jeito que aparece na versão grega, e bem diferente do que aparece no original hebraico.
Observemos o que dizemos comentários da bíblia católica Ave-Maria sobre isso, ao comentar as passagens mencionadas:
“A carta aos hebreus (Hb 11,21) cita esta passagem [Gn 47,31] de acordo com a versão grega.” (pág. 97)
“A extremidade de seu bastão: esta frase obscura é uma citação do texto grego do Gn 47,31. O texto original hebraico diz: ele adorou, voltando-se para a cabeceira de sua cama.” (pág. 1536)
O apóstolo Paulo era o que mais usava citações da versão grega dos 70. Na introdução à epístola aos Hebreus (Bíblia de estudo Almeida, pág. 327), João Ferreira de Almeida fala exatamente isso: “O autor [Paulo] demonstra ser um profundo conhecedor do antigo testamento, cujo texto cita sempre da tradução grega conhecida como LXX ou versão dos setenta (LXX).”
Paulo nos dá outra prova de que usou a septuaginta (LXX) em 2Co 4,13, onde ele faz uma citação do salmo 116,10 da forma como aparece na versão grega, e diferente da versão hebraica.
Por fim, até Jesus usou a versão grega dos 70, quando foi à sinagoga e fez a leitura do livro do profeta Isaías (Is 61,1-2) de acordo com a LXX, conforme está escrito em Lc 4,14-18 e no comentário da Bíblia de Jerusalém e de João Ferreira de Almeida a esta passagem. Jesus usou até mesmo os livros deuterocanônicos em suas pregações: Em Lc 6,31 Jesus cita uma passagem do livro de Tobias (Tb 4,15); em Mc 11,25 Jesus cita Eclo 28,2; e há fortes indícios de que ele teria se baseado em Eclo 11,18-19 para compor a parábola de Lc 12,16-21, dentre outras.
Veja também Tg 4,6 e 1Pd 5,5 (que citam Pr3,34); At 7,53, Gl 3,19 e Hb 2,2 (que citam Dt 33,2); Jo 1,23 quando cita Is 40,3; e Mt 1,23 que cita Is 7, 14. Todos eles em citações do texto grego. Só com estas passagens citadas, descobrimos que, apenas Marcos e Judas não nos dão provas suficientes de que usavam a septuaginta. Mas, alguns ainda poderiam duvidar, dizendo: “sim, mas, quem garante que os apóstolos leram realmente esses livros, não há, em toda a bíblia, nenhuma citação deles”.
Na verdade, há sim diversas citações, posso mencionar 20 delas que encontrei. Uma está no livro de Tiago (Tg 1,19), que cita o texto grego de Eclo 5,11: “Já sabeis meus diletíssimos irmãos: todo homem deve ser pronto para ouvir, porém tardo para falar e tardo para se irar”. (Tg 1,19)
“Sê pronto para ouvir, e lento para responder”. (Eclo 5,11 ou 13, dependendo da tradução).
Obs 1: Diferentemente dos outro escritores dos livros do NT, Tiago não se importava em citar exatamente igual ao que parecia no AT. Veja Tg 4,5, em que Tiago faz uma citação da Bíblia com suas próprias palavras
Obs 2: A passagem “e lentos para se irar” é uma citação de Ecl 7,9 e também de Eclo 44,16.
No livro de Hebreus (Hb 11,5) encontramos uma citação de Gn 5,24 e também de Eclo 44,16. Observe que em Hb 11,5 Paulo afirma que Henoc, antes de ser arrebatado por Deus recebeu testemunho de que agradara a Deus. Porém, como podemos ver, no texto de Gn 5,24 não está dito que Henoc agradou a Deus. Então, de onde Paulo retirou tal afirmação? Foi de Eclesiástico 44,16, que diz assim:
“Henoc agradou a Deus e foi arrebatado, exemplo de conversão para as gerações”.
Ademais, é interessante mencionar que na Bíblia católica Ave-Maria há um detalhe interessante na passagem de Hb 11,5. O autor de Hebreus (Paulo) considera o livro do Eclesiástico como Escritura Sagrada.
Vejamos:
“Pela fé Henoc foi arrebatado, sem ter conhecido a morte; e não foi achado, porquanto Deus o arrebatou; mas a Escritura diz que, antes de ser arrebatado, ele tinha agradado a Deus”.
Ora, a única passagem das Escrituras que fala que Henoc agradou a Deus é em Eclesiástico, não em Gênesis, que em nenhum momento fala que Henoc agradou a Deus.
Mas outro poderia dizer: “certo, mas a Bíblia da Ave-Maria é uma Bíblia católica. Eu acreditaria se fosse uma bíblia protestante que dissesse isso”. Não tem problema. É só pegar a Bíblia protestante Nova Tradução na Linguagem de Hoje e ler o que diz em Hebreus 11,5: “Foi pela fé que Enoque escapou da morte. Ele foi levado para Deus, e ninguém o encontrou porque Deus mesmo o havia levado. As Escrituras Sagradas dizem que antes disso ele já havia agradado a Deus.”
Algumas passagens do Novo Testamento, embora não façam citações, fazem referências a livros deuterocanônicos, como Sb 2,12-20 que profetiza a paixão de Cristo (Mt27,43; Fl 2,8 e 1Jo 2,1).
Além disso, temos pelo menos para o livro de Baruc uma prova de seu caráter inspirado na própria Bíblia. O livro de Baruc é o mesmo que aparece em Jr 36, considerado inspirado conforme Jr 36,4: Jeremias chamou, então, Baruc, filho de Nerias, que escreveu em um rolo, conforme o ditado de Jeremias, todas as palavras que o Senhor lhe dirigia.”
É bom lembrar que o livro de Baruc foi escrito originalmente em Hebraico, mas nós só temos a cópia grega, pois o original se perdeu com o tempo. O mesmo com o livro de Eclesiástico, cujo original também era em Hebraico.
Só para completar, é bom que se diga que os livros do Cântico dos Cânticos e de Ester, que são considerados inspirados, não são citados em nenhum outro livro da Bíblia, e ninguém fica dizendo que, só por causa disso, eles não são inspirados.
Obs: Os livros deuterocanônicos (chamados apócrifos) foram incluídos na Bíblia no concílio de Cartago em 397 e não pelo concílio de Trento de 1546, o qual apenas confirmou o concílio anterior. É curioso, que as mais de 80 seitas depois de Lutero aceitam o concílio de Cartago onde se definiu o Novo Testamento, mas estranhamente o rejeitam quanto à definição do Cânon do Antigo Testamento. '
Texto extraído do livro “Doutrina Católica para leigos”.
' Fonte: IGREJA MÃE

VEJA:  MINHAS PUBLICAÇÕES NO GOOGLE+

Leia também esta:




.
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >