segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

OS SETE SACRAMENTOS SEGUNDO A BÍBLIA



Silvinho Fernandes  solicita:

1. Mostre-me na Bíblia onde Jesus Cristo estabeleceu o ofício de papa como se encontra na igreja católica, e onde fez provisão para a continuidade de tal ofício.

OFÍCIO DE PAPA - O termo Papa foi dado popularmente ao bispo de Roma. Mas você pergunta é sobre o "ofício", ou melhor sobre qual é a função exercida pelo PAPA:

1.º - Tal está contida, primeiramente na oração infalível de Cristo pela qual diz: "Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos" (São Lucas, 22,32);


2.º - Cristo promete instituir sua Igreja sobre a pessoa de KEPHAS: "Tu é KEPHAS (pedra) e sobre esta KPEHAS (pedra) EDIFICAREI a minha Igreja..." (Mt 16, 18);

3.º - Jesus, após sua ressurreição solenemente investe seu discípulo Simão com poderes para APASCENTAR seu rebanho, isto é, cordeiros (fiéis) e ovelhas (bispos, presbíteros e diáconos):

"Tendo eles comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros. Perguntou-lhe outra vez: Simão, filho de João, amas-me? Respondeu-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros. Perguntou-lhe pela terceira vez: Simão, filho de João, amas-me? Pedro entristeceu-se porque lhe perguntou pela terceira vez: Amas-me?, e respondeu-lhe: Senhor, sabes tudo, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas". (São João 21, 15-17)





2. Mostre-me na Bíblia onde Jesus Cristo estabeleceu o sacerdócio católico. Onde nós encontramos tal sacerdócio descrito?

O sacerdócio católico é semelhante ao do Antigo Testamento que era comum e ministerial:



NO VELHO TESTAMENTO:


A) - SACERDÓCIO COMUM A TODOS OS FIÉIS: "Vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa" (Êx 19,6)


B) - SACERDÓCIO MINISTERIAL: "Revestirás desses ornamentos teu irmão Aarão e seus filhos e os ungirás, os empossarás e os consagrarás, a fim de que sejam sacerdotes a meu serviço. "(Êxodo 28,41)


NO NOVO TESTAMENTO


A) - SACERDÓCIO COMUM: "...e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai, glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém".(Ap 1,6)


B) - SACERDÓCIO MINISTERAIL: "Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. " (Tg 5,14)
- Nota: A palavra presbítero significa sacerdote, padre .








3. Onde nós encontramos os padrões para escolha de tais sacerdotes?


"Não descuides do dom da graça que há em ti, que foi conferido, mediante profecia, junto com a imposição das mãos do presbítero" (1Tm 4,14) MÃOS - "A ninguém imponhas as mãos inconsideradamente, para que não venhas a tornar-te cúmplice dos pecados alheios. Conserva-te puro" (I Timóteo 5,22)

ORDEM

1 - BISPO - "Não descuides do dom da graça que há em ti, que te foi conferido mediante profecia junto com a imposição das mãos em vista do presbiterato" (1Tm 4,14).


2 - PRESBÍTEROS“Eu te [Timóteo, bispo] deixei em Creta para acabares de organizar tudo e estabeleceres anciãos (sacerdotes) em cada cidade, de acordo com as normas que te tracei” (Tt 1,5).


3 - DIÁCONOS - "Apresentaram-nos (os diáconos) aos apóstolos e, tendo orado, impuseram-lhes as mãos" (At 6,6).




4. Onde nós encontramos uma descrição de como ordenar tais sacerdotes?

Imposição das mãos - PODER MINISTERIAL:  Em At 6,6 mostrado acima vimos que a ordenação se fazia mediante a imposição das mãos.






5. Onde nós encontramos uma descrição dos sete sacramentos que eles executam?


1 - BATISMO -  "Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ENSINANDO-AS a observar tudo quanto vos ordenei..." (Mt 28,19-20)/

2 - CRISMA ou CONFIRMAÇÃO - (Jo 20,22; At 2,11; At 8,14-17) - Está em Atos dos Apóstolos Felipe era um dos primeiros cristãos, homem cheio de Espírito Santo e de sabedoria, que a comunidade, e os apóstolos tinham escolhido para ser diácono – servidor da Igreja, no trabalho de assistência aos pobres e de evangelização. Por causa de uma perseguição brava contra os cristãos (um deles, o diácono Estêvão, fora apedrejado e morto!). Felipe deixou a cidade de Jerusalém e foi para o Norte, na Samaria. Lá, Felipe começou a falar ao povo sobre Jesus Cristo, pregando o Evangelho do Reino, curando doentes, espalhando entre todos uma nova esperança. Muitos daqueles samaritanos, até um feiticeiro chamado Simão, acreditaram na mensagem de Jesus e quiseram tornar-se “seguidores do caminho“. Aí, Felipe os batizou. Quando, na comunidade–mãe de Jerusalém chegou a notícia da conversão pelo batismo dos samaritanos, os apóstolos Pedro e João foram para lá. Reuniram os recém-batizados, oraram e invocaram o Dom do Espírito; depois impuseram-lhes as mãos e eles receberam o Espírito Santo. (At 8,4–19; ver também um fato parecido em At 19,1-6). Está aí uma das provas bíblicas daquele que nós chamamos de Crisma, ou melhor, Sacramento da Confirmação!Vejam a palavra “COM – FIRMAÇÃO”: “tornar-se firme, forte, em união com a Igreja de Jesus Cristo e com sua missão”. Não se trata de confirmar o Batismo, como se ao batismo faltasse alguma coisa; trata-se de assumirmos, com firmeza e a força que vem do Espírito, os compromissos de nosso Batismo: nossa vida de cristãos e de “seguidores do caminho”, nosso “ser Igreja” e nossa missão.

3 - EUCARISTIA - Instituída por Cristo na última ceia.


A palavra "Eucaristia" provém de duas palavras gregas "eu-cháris": "ação de graça", e designa a presença real e substancial de Jesus Cristo sob as aparências de pão e vinho.

Essa presença não foi contestada nem mesmo por Lutero. Em carta a seu amigo Argentino (De euch. dist. I, art.) falando sobre o texto evangélico "Isto é o meu corpo", ele diz: "Eu quereria que alguém fosse assaz hábil para persuadir-me de que na Eucaristia não se contém senão pão e vinho: esse me prestaria um grande serviço. Eu tenho trabalhado nessa questão a suar; porém confesso que estou encadeado, e não vejo nenhum meio de sair daí. O texto do Evangelho é claro demais".

Eis, em S. João, os termos de que Jesus Cristo se serviu, falando a primeira vez deste grande sacramento: "Eu sou o pão da vida; vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra. Eu sou o pão vivo, que desci do céu. Se alguém comer deste pão, viverá eternamente, e o pão que eu darei é a minha carne, para a vida do mundo" (Jo 6, 48-52).

Que clareza nessas palavras! Que quer dizer isso: "Eu sou o pão vivo - o pão que eu darei é a minha carne". É ou não é a carne de Cristo? É ou não é Cristo que será o pão que deve ser comido? Será que Deus não saberia se expressar direito se desejasse fazer uma simples alegoria?

E não é só isso! Nosso Senhor continua, cada vez mais positivo e mais claro: "Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. O que comer a minha carne e beber o meu sangue terá a vida eterna. Porque a minha carne é verdadeiramente comida, e o meu sangue é verdadeiramente bebida. O que come a minha carne e bebe o meu sangue, fica em mim e eu nele. O que me come... viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu... O que come este pão, viverá eternamente!" (Jo 6, 54 - 59).

Eis um trecho claríssimo, que não deixa margem à dúvidas. Nosso Senhor afirma categoricamente: "... minha carne é verdadeiramente comida". É impossível negar algo tão claro: a carne de Cristo, dada aos homens para remissão dos pecados, é para ser comida; e quem comer desta carne "viverá eternamente".

Cristo afirma, repete, reafirma, e explica que o pão que ele vai dar é o "seu próprio corpo" - que seu corpo é uma "comida" - que seu sangue é uma "bebida" - que é um pão celeste que dá a vida eterna. E tudo isso é positivo, repetido mais de 50 vezes, sem deixar subsistir a mais leve hesitação.

Ao negar a presença eucarística, o protestante nega as palavras de Cristo.

4 - CONFISSÃO: Mt 16,19; 18,18; 28,16-20; Jo 20,21-23.

5 - ORDEM: At 6,1-6; Tim 3,1; 2Tim 1,6; Tt 1,5.

6 - UNÇÃO DOS ENFERMOS: Mc 6,13; Tg 5,14-15.

7 - MATRIMÔNIO - É o último na série dos sacramentos. O casamento que era antes de Jesus Cristo mero contrato, é um verdadeiro sacramento da nova lei. Não sabemos exatamente o tempo nem o lugar em que Jesus Cristo instituiu este sacramento; pensam os teólogos que foi nas bodas de Caná. Outros pensam que foi na ocasião em que o Salvador restaurou a unidade e a indissolubilidade primitivas. Interrogado a respeito do divórcio, Cristo responde que não era lícito por nenhum motivo, que nem o direito de separar-se tem o homem e a mulher, exceto o caso de adultério (Mt 19, 3-9). 

Outros, ainda, pensam que foi instituído depois da ressurreição, e promulgado por S. Paulo, na epístola aos efésios (5, 25-33).

Pouco importa o tempo e o lugar, o certo é que o matrimônio foi por Jesus elevado à dignidade de sacramento, como resulta positiva e irrefutavelmente da Sagrada Escritura: "Não separe o homem o que Deus uniu" (Mt 19, 6). Ou seja, Deus uniu os noivos!

Este mistério, ou sacramento, é grande em relação a Cristo e à Igreja, diz S. Paulo (Ef 5, 32). Isso é grande, em relação a Cristo, porque é instituição divina; grande em relação à Igreja, que deve mantê-lo na sua unidade e indissolubilidade.

O rito externo foi indicado por S. Paulo: é a mútua tradição e aceitação do direito sobre os corpos, em ordem aos fins do casamento, formando uma união santa, como é "santa a união do Cristo com a sua Igreja" (Ef 5, 25).




6. De minha parte, eu tenho autoridade bíblica: A) para o evangelho que eu creio (isto é, que a salvação é somente pela graça de Jesus Cristo [sozinho], através somente de completa expiação feita por Ele [sozinho] na cruz, através somente da fé, sem obras e sem sacramentos... E para o tipo simples de igreja do Novo Testamento da qual eu tomo parte.


Você, por acaso, recebeu direta ou indiretamente esta incumbência dos apóstolos? Se evangélico nada entende de Bíblia como é que quer sair por aí ensinando? Porventura Cristo enviou sua Igreja ou enviou um bando de protestantes que não se entendem nem entre si mesmos, pois cada um que lê a Bíblia a interpreta de forma diferente? Que os apóstolos acham das pessoas que procedem à maneira dos evangélicos? Veja aqui o parecer deles: "Temos ouvido que alguns dentre nós vos têm perturbado com palavras, transtornando os vossos espíritos, SEM LHES TERMOS DADO SEMELHANTE INCUMBÊNCIA" (Atos dos Apóstolos 15, 24), 





7. Minha fé está em Jesus Cristo, e eu aprendo dEle com as Escrituras que Ele deu através de inspiração divina.

.

Autor: Oswaldo
Gosta de DEBATES? 
Acesse "Mentiras em Sites Religiosos-MSR-4
 no Grupia e 
no Face Book
Veja também o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:

.
Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >