domingo, 29 de setembro de 2013

FOI DEUS QUE FUNDOU SUA IGREJA?

I - A MENTIRA



EVANGÉLICO: - "Um dos recursos favoritos dos apologistas romanos é fazer a seguinte pergunta: «Quem fundou a sua Igreja?». Depois apresentam uma lista de Igrejas X, fundadas no ano Y, pelo fundador Z, para concluir que a Igreja Católica foi a única Igreja fundada por Jesus Cristo, na Palestina, no ano 33. E invocam textos como Mateus 16:18-19 e Actos 2.



Eis um exemplo de uma dessas listas:







=======================================
        Ano - Denominação - Origem - Fundado
=======================================

- 1945 Igreja Católica Apostólica Brasileira (ICAB) Brasil Carlos D.Costa
- 1955 Cruzada o Brasil para Cristo Brasil Manoel de Mello
- 1962 Igreja Deus é Amor Brasil David Miranda
- 1977 Igreja Universal do Reino de Deus Brasil Edir Macedo"



Réplica de: OSWALDO


II  - ONDE SE ENCONTRA


III - A VERDADE

EVANGÉLICO - "Respondamos a esta estultícia:Jesus Cristo certamente fundou uma única Igreja, mas:
1. Não foi a Igreja de Roma, que hoje usurpa a prerrogativa de ser em exclusividade a Igreja de Cristo".

RESPOSTA - Acertou em cheio quando disse que Cristo fundou uma só Igreja. Faço entretanto uma observação: se a Igreja Católica não tem a exclusividade de ser a única, então admite que existe, pelo menos, uma outra que também é única. Mas, "única" não significa apenas UMA? Nessa lógica malacafenta do autor, pode-se, então, admitir que o Deus ÚNICO, já não é tão único assim, porque podem existir outros deuses igualmente únicos!
2. Historicamente a Igreja de Cristo manifestou-se concretamente em congregações locais, cuja comunhão não dependia de uma hierarquia humana centralizada (papado) mas da fidelidade à doutrina de Cristo e dos Apóstolos tal como esta se expressa nas Escrituras.
RESPOSTA - É uma afirmação bizarra, rigorosamente antibíblica e sem nenhum fundamento, pois não se faz acompanhar das competentes provas históricas como farei para demonstrar o contrário:
PROVA HISTÓRICA - Veja o que escreveu um cristão primitivo ainda no século II de nossa era: 

"Mas visto que seria coisa bastante longa elencar, numa obra como esta, as sucessões de todas as igrejas, limitar-nos-emos à maior e mais antiga e conhecida por todos, à igreja fundada e constituída em Roma pelos dois gloriosíssimos apóstolos, Pedro e Paulo, e, indicando a sua tradição recebida dos apóstolos e a fé anunciada aos homens, que chegou até nós pelos sucessões dos bispos... COM ESTA COMUNIDADE, DE FATO, DADA Á SUA AUTORIDADE SUPERIOR, É NECESSÁRIO QUE ESTEJA DE ACORDO TODA TODA COMUNIDADE, ISTO É, OS FIÉIS DO MUNDO INTEIRO; nela sempre foi conservada a tradição dos apóstolos. [...] [Pedro e Paulo] confiaram a Lino o ministério do episcopado. [...] A Lino sucedeu Anacleto. A seguir, Clemente; Clemente vira os apóstolos, conversara com eles e ainda tinha ouvido sua pregação. [...] A Clemente sucedeu Evaristo, e a Evaristo, [sucedeu] Alexandre. Depois, em sexto lugar após os apóstolos, veio Xisto... " (Ireneu de Lião, 180 d.C., Contra as Heresias III,3,2-3). Ver esta lista:






Vejamos mais esta lista, organizada em ordem cronológica e incompleta, já que seria impossível listar as 300 mil igrejas cristãs hoje existentes segundo o pastor norteamericano Wayne Cordeiro, sem contar também as milhões de micro-seitas constituídas por um só fiel (evangélicos sem igreja):



AnoDenominaçãoOrigemFundador
~33Fundação da Igreja CatólicaPalestinaJesus
~55Igreja Católica se fixa em Roma, com Pedro e Paulo
1054Igreja OrtodoxaConstantinoplaMiguel Cerulário
1521Igreja LuteranaAlemanhaMartinho Lutero
1523AnabatistasAlemanhaZwickau
1523Batistas MenonitasHolandaMenno Simons
1531Igreja AnglicanaInglaterraHenrique VIII
1536Igreja PresbiterianaSuiçaJoão Calvino
1592Igreja CongregacionalistaInglaterraJohn Greenwood e outros
1612Igreja Batista Arminiana ou GeralInglaterraJohn Smith
~1630Sociedade dos Amigos (Quakers)InglaterraGeorge Fox
1641Igreja Batista Regular ou ParticularInglaterraRichard Blount
1739Igreja MetodistaInglaterraJohn Wesley
1816Igreja AdventistaEUAWillian Miller
1830MórmonsEUAJoseph Smith
1865Exército da SalvaçãoInglaterraWillian Booth
1878Testemunhas de JeováEUACharles T.Russel
1901Igreja PentecostalEUACharles Parham
1903Igreja Presbiteriana IndependenteBrasilOthoniel C. Mota
1909Congregação Cristã no BrasilBrasilLuís Francescon
1910Igreja Assembléia de DeusEUA/BrasilD.Berg/G.Vingren
1918Igreja do Evangelho QuadrangularEUAAimée McPherson
1945Igreja Católica Apostólica Brasileira (ICAB)BrasilCarlos D.Costa
1955Cruzada o Brasil para CristoBrasilManoel de Mello
1962Igreja Deus é AmorBrasilDavid Miranda
1977Igreja Universal do Reino de DeusBrasilEdir Macedo


PROVA BÍBLICA - Mencionar todas as provas bíblicas em favor do primado e investidura de Pedro neste pequeno artigo, seria bastante tedioso e, como isso já foi feito com grande eruditismo  pelo padre Leonel Franca, tomo a liberdade de remeter o caríssimo leitor ao índice de seu livro "A Igreja, a Reforma e a Civilização", indicando-lhe porém que, para este caso, basta ler apenas os capítulos I e II que tratam do assunto:




3. A Igreja de Roma nunca teve autoridade universal; certamente não a teve sobre as Igrejas do Oriente, apesar das suas pretensões que levaram ao cisma no século XI. E no Ocidente pôde manter uma unidade só em estreito contubérnio com o poder secular, a sangue e fogo, por uns poucos séculos mais, até à Reforma Protestante do século XVI.

RESPOSTA - O bom relacionamento com o poder secular jamais figurou como condição indispensável da única e verdadeira Igreja de Cristo. Já com o protestantismo, que foi imposto de cima para baixo, não se pode dizer o mesmo. 


(As palavras seguintes deste item não são minhas;  foram copiadas, formatadas e acrescidas de notas)

"Toda a grande máquina de guerra montada contra Roma, apesar de tão bem manejada pelos seus construtores, ainda assim não explicaria, só de per si, a rápida difusão da heresia, se o poder civil não lhe viesse bem cedo trazer o inestimável reforço da espada


Com a promessa dos bens eclesiásticos e com oportunas concessões morais" (Ver "3. Bigamia de Filipe de Hesse" em: autorização de bigamias e práticas de poligamias), "com a perspectiva da mais completa independência, LUTERO e os seus acólitos souberam aliciar reis e príncipes, que puseram logo as suas armas a serviço da propaganda "evangélica":

- na Inglaterra, 


com a introdução do protestantismo prevaleceu a doutrina que o rei era "vigário de Deus na terra, o Papa do seu reino, o expositor nato da verdade religiosa e o canal da graça". Ainda em tempos modernos Lord CLARENDON, historiador e estadista, afirmava que a supremacia espiritual dos reis da Inglaterra era "a melhor metade de sua soberania"; 

- na Escócia, 


com o calvinismo entrou a mais absoluta tirania das consciências. O poder civil começou a oprimi-las despoticamente em favor das novas doutrinas. Quem celebrava a missa pela segunda vez era punido com pena de morte; 


- na Dinamarca 


foi a introdução do protestantismo obra de CRISTIANO II, por suas crueldades cognominado o Nero do Norte. CRISTIANO III continuou a mesma política, encarcerou os bispos, confiscou-lhes os bens, expulsou os religiosos em nome da liberdade evangélica e proclamou-se chefe supremo da Igreja dinamarquesa; 


- na Suécia, 


GUSTAVO WASA bateu o mesmo caminho. Dois bispos católicos, JACKSON e KNUT foram decapitados; os outros constrangidos a fugir, o patrimônio eclesiástico, recolhido ao fisco real; o culto católico, por toda a parte proscrito. Exacerbado pelos atos de prepotência e libertinagem que no seu entusiasmo pelo liberdade evangélica praticavam os soldados alemães, o povo mais de uma vez recorreu às armas para defender a religião de seus pais. Gustavo afogou no sangue estas reivindicações das consciências oprimidas; 


- na Suíça e na Holanda


foi o senado na Suiça e na Holanda foram os estados gerais, que decretaram o protestantismo, religião oficial


- na Alemanha 


não foi menos violenta a opressão da força bruta. Aí vulgarizaram os inovadores o princípio: quem domina no território, domina na religião (cujus regio illius et religio). À autoridade do Papa é substituída pela tirania dos soberanos sobre as consciências. Eis o que afirmava Lutero:  "A fim de prevenir funestas sedições e outras desordens, o príncipe não deve tolerar no seu território nenhuma seita ou divisão" (Cfr. JANSSEN, Gescjocjte des deutschen volkes, t. III, 57-70.).

Enfim, o
nde não encontrou o apoio da espada, a Reforma não vingou. Em nenhuma região do mundo o protestantismo se estabeleceu pelo livre exame. Ultimamente ele se impõe nas classes menos alfabetizadas pela mentira e calúnia e pelos milagres falsificados que não suportam uma análise mais acurada.


Em todas as discussões serenas e livres entre católicos e protestantes, estes foram sempre manifestamente batidos. Basta lembrar as célebres controvérsias entre S. FRANCISCO DE SALES x TEODORO BEZA; O CARDEAL DU PERRON x DUPLESSY; MORNAY, BOSSUET x CLÁUDIO JURRIEU".



4.
 A Igreja de Roma não é católica em sentido exclusivo; no melhor caso é uma parte da Igreja universal.
5. A Igreja de Roma não é Apostólica, porque distorceu a doutrina dos Apóstolos e tirou e acrescentou a ela à sua vontade.
6. A Igreja de Roma é isso: romana, e ponto.


RESPOSTA - Somente porque o sr. articulista quer e disse? Falar por falar até papagaio! E tem o topete de chamar de "estultície" esta lista de datas, nome de seitas, locais e fundadores, cuja verdade histórica é admitida por todos inclusive por ele mesmo!;

7.
 É verdade que as portas do Hades não prevalecerão contra a Igreja, e que Cristo está com ela até o fim dos tempos. Em cada período, por mais obscuro que fosse, Deus preservou, como no Israel do velho pacto, um remanescente de crentes fiéis. E assim será até que o Senhor volte. Mas é intolerável a arrogância romana de ser ela a única representante cabal de tal remanescente.

RESPOSTA - A lorota do "remanescente de crentes fiéis" que permaneceu incógnito e apagado no decorrer dos séculos denota uma só coisa: A MENTIRA PROTESTANTE. Se Cristo disse que deveríamos ser a luz do mundo e o sal da terra, onde foi que se meteu esta cambada absolutamente inútil? Enquanto ela se acovardava, os católicos levavam a luz de Cristo às mais distantes partes do mundo, convertendo romanos e bárbaros, levando a fé e a cultura a todos os povos com suas inúmeras escolas paroquiais e universidades. Nem se deve esquecer do sobre-humano trabalho dos jesuítas no Brasil e nos países deste continente pela fé, pela cultura e em defesa dos povos indígenas.

E o "remanescente"? 


Enquanto os católicos arrostavam martírios, todo tipo de perigo e dificuldade para ENSINAR às nações tudo o que Cristo lhes havia prescrito, esse mequetrefe inútil "remanescente" se escondia borrando-se de medo! 
8. A evidência histórica mostra que a igreja de Roma, como outras, no seu percurso através dos séculos por vezes defendeu a ortodoxia e por vezes a abandonou. O problema é que se nega a reconhecer o seu desvio doutrinal e a ser disciplinada pelas Escrituras.

RESPOSTA - E agora o autor se arrisca a defender a ortodoxia das centenas de milhares de seitas e as mais de uma dezena de milhões de micro-seitas oriundas da rebelião protestante, verdadeiras fábricas de ateus! Todas ensinam a mesma coisa? Não! Pelo contrário, cada seita anuncia um Evangelho diferente das demais, com doutrinas total e radicalmente opostas entre si. Vejamos algumas delas: 

- algumas igrejas afirmam que a Santíssima Trindade é uma fórmula pagã (unitaristas); 

- algumas igrejas dizem que JESUS é a única pessoa de DEUS (unicistas); 
- algumas igrejas dizem que não existem sacramentos, mas ordenanças; 
- algumas igrejas acreditam que CRISTO reinará num milênio antes do juízo final; 
- algumas igrejas afirmam que o Inferno não existe como realidade; 
- algumas igrejas creem que o Inferno não é eterno; 
- algumas igrejas defendem que o Batismo no Espírito Santo é conhecido unicamente pelo dom de línguas; 
- algumas igrejas dizem que o batismo não é necessário para salvação, mas puro símbolo; 
- algumas igrejas creem numa terceira revelação, num terceiro testamento; 
- algumas igrejas afirmam que os grandes milagres pararam nos tempos pós-apostólicos; 
- algumas igrejas não dão valor a alguns livros do Novo Testamento; 
- algumas igrejas não aceitam como válido o batismo de crianças; 
- algumas igrejas guardam o sábado como dia santo. etc, etc, etc... 

9. As diversas comunidades protestantes têm certamente um princípio histórico que pode ser traçado (coisa que não pode dizer-se de Roma, já que ninguém senão Deus sabe quem iniciou a Igreja ali), mas todas elas têm em comum a pertença à Igreja autenticamente católica, fundada por Cristo. Nós reconhecemos a história, mas não exaltamos indevidamente os servos que Deus usou em cada período histórico.

RESPOSTA - Não resta dúvida nenhuma sobre a história da rebelião protestante acontecida há cinco séculos atrás e melhor ainda quanto às muitíssimas subdivisões do próprio protestantismo que foram aparecendo de lá para cá sendo que a sua quase totalidade não têm sequer um século de existência. Quanto à comunidade católica de Roma também não existem dúvidas quanto às pessoas que a estabeleceram ali. Volte à minha resposta à questão n.º 2 e encontrará um documento histórico escrito em 180 d.C. pelo bispo católico Irineu de Lyon, Gália, que diz textualmente:

"... à maior e mais antiga e conhecida por todos, à igreja fundada e constituída em Roma pelos dois gloriosíssimos apóstolos, PEDRO e PAULO... "  (Ireneu de Lião, 180 d.C., "Contra as Heresias" III,3,2-3).

As centenas de milhares de seitas protestantes nada têm a ver com a "Igreja autenticamente católica" porque contra ela se rebelaram separando-se do corpo que é o próprio Cristo. A partir daí tornaram-se ramos secos que só servem para ser juntados e lançados ao fogo (Jo 15,6). São os anticristo de que falou São João:

"Ouvistes dizer que o ANTICRISTO deve vir; e já vieram muitos ANTICRISTOS: daí reconhecemos que é chegada a última hora. ELES SAÍRAM DE ENTRE NÓS, mas não eram dos nossos" (I Jo 2,18) 
10. Neste sentido, é ofensivo e inaceitável que em tais listas sejamos incluídos no mesmo saco de grupos como os mórmons ou as testemunhas de Jeová.

RESPOSTA - Para ser condenado basta não crer apenas uma verdade ensinada pela única e verdadeira Igreja instituída por Cristo, a santa Igreja Católica. Veja o que escreve São Marcos:

"... Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas QUEM NÃO CRER SERÁ CONDENADO" (Mc 16,15-16)




POSTAGEM SEGUINTE - Aguardar...


POSTAGEM ANTERIOR - ... estudos escatológicos afirmam que o próximo Papa será ninguém menos que a Besta do Apocalipse.






Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >