domingo, 28 de julho de 2013

DEFENDENDO-SE CONTRA O ASSÉDIO DOS EVANGÉLICOS

O Espírito Santo, falando na pessoa do Senhor, designa esta Igreja única quando diz no Cântico dos Cânticos: "Uma só é a minha pomba, a minha perfeita, única filha da sua mãe e sem igual para a sua progenitora" (Cânt 6,9). Aquele que não guarda esta unidade poderá pensar que ainda guarda a fé? Aquele que resiste e faz oposição à Igreja poderá confiar que ainda está na Igreja? (CIPRIANO - A UNIDADE DA IGREJA CATÓLICA)

O assédio das seitas evangélicas aos Católicos que não estudam a doutrina da Santa Igreja


O artigo abaixo é de autoria de: V.De Carvalho com a colaboração de A.Silva – O qual o Blog Igreja Militante tem o prazer de reproduzir à pedido dos autores. Fonte: ECLESIA MILITANS

O contexto abaixo destina-se aos católicos para que estejam preparados para os ataques constantes de maus protestantes aos dogmas e confissões de fé da Santa Igreja. Lembramos que nem todos os protestantes observam o catolicismo com hostilidade e não poucos fiéis e pregadores realizam boas obras e assumem compromissos sólidos com a palavra de DEUS. Abaixo, conforme já disse, apresento uma espécie de sugestões que visam afugentar membros de denominações que se dizem protestantes, as quais insistem em polêmicas e que visam atacar dogmas de fé e preceitos católicos. Reconheço que é direito de todo e qualquer cidadão exercer livremente sua fé e até mesmo propaga-la, desde que tal empenho não venha demandar qualquer ato de violência ou grave ameaça. Repudio toda e qualquer forma de discriminação religiosa.........A abordagem de um protestante a um católico desinformado sobre a Santa Igreja inicia-se geralmente da seguinte maneira:

Protestante: “Posso falar um minutinho com o senhor ?”


Católico: “Sim”

Protestante: “O Senhor crê em DEUS ?”


Católico: “Sim”


Protestante: “O senhor crê na Bíblia ?”


Católico: “Sim”


ARQUEOLOGIA - VERDADES FORA DA BÍBLIA
Protestante: “O senhor concorda que a Bíblia é a verdade ?”. Nesse ponto o católico será doutrinado e muitas vezes convencido. A resposta do católico à pergunta do protestante, naturalmente, é sim. Lógico que o católico crê na Bíblia. Então o protestante diz, por exemplo: 


“O senhor diz crer na bíblia. Portanto, o senhor concorda que tudo aquilo que está fora da Bíblia não deve merecer crédito ?” 

Resposta de um católico sem instrução: “Sim. O que está fora da Bíblia tem que ser rejeitado.” 

O católico está pronto para questionar a fé católica e o magistério da Santa Igreja.

Prossegue o protestante: “O senhor poderia me mostrar pela Bíblia onde está escrito que Maria é medianeira ?” Ou então: “O senhor poderia me mostrar na Bíblia onde está escrito que Maria foi assunta ao céu ?”


O católico não instruído e que concordou com o protestante começa a se enrolar. A resposta católica à pergunta protestante deveria ser: Católico: 



“Creio sim na Bíblia. Creio tanto que sigo o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade. E dessa forma, não questiono seus dogmas e confissões de fé. Não duvido, não divido e não careço de provas. Creio de todo o meu coração.” E o católico deveria perguntar ao protestante: “Onde está na sua Bíblia que própria Bíblia é a única fonte de revelação ?”
Infelizmente, grande parte dos católicos desconhece que o depósito integral da fé católica constitui-se de Sagradas Escrituras,Tradição Apostólica e o Magistério da Igreja. Por isso o católico acaba por aceitar os argumentos protestantes. 

Não estamos obrigados a provar nada pela Bíblia. São os protestantes que estão obrigados. Foram eles que acataram as heresias de Lutero homem.

O fato é que sempre que se parte de premissas falsas, chega-se a conclusões igualmente falsas. 

A Bíblia não se auto define como única fonte de revelação. 

Este é um questionamento que o protestante não faz a si mesmo. Quem lhe dá certeza de que a Bíblia é a única fonte de revelação se ela nada fala a respeito de si própria como tal ? Em verdade, o protestante copia a doutrina de Lutero. Lutero homem, portanto, falho.
Outra pergunta que um católico poderia fazer ao protestante é: 


A BÍBLIA DOS MÓRMONS INVENTADA PELO FALSO PROFETA
JOSEPH SMITH
“Onde está na sua Bíblia a relação dos livros inspirados ?” 

Ora, se a Bíblia nada fala a respeito dos livros inspirados, só é possível ao protestante crer na Bíblia se vier aceitar a autoridade católica, já que foi a Santa Igreja que compilou e definiu todos os textos e livros. O que Lutero homem, adúltero e bêbado fez, foi retirar livros e distorcer tantos outros. Eis a Bíblia protestante !
Como o protestante pode ter certeza se os livros que consulta são aqueles que foram inspirados se a Bíblia nada fala a respeito dos livros inspirados ? Para provar que sua Bíblia é a Bíblia correta, o protestante necessariamente terá que sair da Bíblia e crer em homens. Na prática, quando o protestante “provar” que a sua Bíblia é a Bíblia correta, estará em verdade dizendo que nem tudo está na Bíblia, pois a sua “veracidade” só poderá ser demonstrada fora da Bíblia que nada diz respeito sobre ser única fonte de revelação ou sobre os livros inspirados.
O protestantismo é contraditório em si mesmo. Algumas sugestões práticas podem ajudar aos católicos a inibirem o proselitismo protestante. Vejamos alguns exemplos:
Sabemos que a Bíblia não é contraditória em ponto algum e portanto, não seria possível que a mesma se auto definisse como única fonte de revelação e ao mesmo tempo instruísse os cristãos a seguirem o magistério da Igreja. Faça como eles. Peça o texto bíblico que define a Bíblia como única fonte de revelação. Certamente eles não encontrarão o texto e então o católico poderá dizer-lhe: “A Igreja e somente a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. Sem a Igreja a verdade não se sustenta.”

Quando um protestante disser, por exemplo, que crianças não devem ser batizadas, pergunte onde está escrito na Bíblia que não se deve batizar crianças e que todos só devem ser batizados quando tiverem “entendimento” ou quando decidirem levantar o dedo e “aceitar Jesus” em algum templo protestante? Pergunte logo a seguir por que ele não recita o pai nosso que está na bíblia e que Jesus professou ? E peça sempre os textos bíblicos.
Quando o protestante começar a citar dogmas católicos que ele julga que não encontram referências bíblicas, pergunte outra vez: “você crê na bíblia ? “ Pergunte ainda: “você crê de fato que a bíblia é 100% verdadeira ? “ Ele responderá sim. Não terá outra saída. Então diga: “A Igreja é coluna e sustentáculo da verdade”. Conclua: “Eu sigo o magistério da Igreja.” E pergunte: “você faz o mesmo ou crê em sua interpretação pessoal ? “ E logo a seguir afirme. “A Bíblia ensina que interpretação alguma é de caráter individual.” (2Pd 1,20 combinado com 3,15-16).


Se ele disser que segue o magistério da Igreja, pergunte de que Igreja ele está falando se nenhuma das igrejas protestantes existiam quando da compilação que deu origem a Bíblia.
O protestante poderá alegar que pertence à Igreja Invisível. Eles utilizam muito tal expressão para justificarem sua rebeldia contra a Santa Igreja. Aproveite e pergunte onde está na Bíblia que existe uma igreja invisível? Peça o texto bíblico que fala claramente sobre a Igreja invisível. Nós é que podemos falar em Igreja invisível. A Igreja nos ensina que igreja é muito mais do que construções.

Em algum momento ele dirá que a palavra de Deus manda examinar as escrituras. Eles confundem examinar com interpretar. Você pergunta mais uma vez:
“O senhor já leu na bíblia que nenhuma interpretação é de caráter individual?". Quando não possuem respostas eles fazem duas outras perguntas fora do contexto inicial. Fique atento. Só se deve passar para outro tema havendo a conclusão do tema anterior.
MAIS NOVA INVENÇÃO PENTECOSWTAL:
CHEIRAR A PALAVRA DE DEUS. O
ESPÍRITO SANTO NADA TEM A VER
COM ISSO!
Ele tentará dizer: “a bíblia manda ir a todo lugar e pregar.” Então lhe diga: “Ora, se a cada protestante pode ler a Bíblia e interpreta-la, ao invés de dízimos, por que não a impressão de Bíblias para todos?". E acrescente também: “Se você é inspirado pelo Espírito Santo quando lê a Bíblia, basta você entregar uma Bíblia para o seu irmão que ainda não crê que o próprio Espírito Santo irá iluminá-lo e orienta-lo também”.
O protestante poderá então dizer que a fé vem pelo ouvir. Então diga que se a fé vem pelo ouvir, e de fato vem, é melhor escutar o que a Santa Igreja ensina do que confronta-la a partir de um leitura meramente privada. E se todos que são protestantes já estão salvos pelo Sola Fide (basta crer), por que eles continuam pregando para quem já está salvo a partir de cultos e reuniões que celebram?
Pergunte, por exemplo, onde está escrito que Lutero é santo? Ele dirá que Lutero não é santo ou que não existe amparo bíblico para considera-lo como tal. Então emende: “Lutero não é santo? Você está me dizendo que ele é pecador como eu ou você ?” Eles gostam de jogar com palavras e estão prontos para usar tudo que você disser contra você mesmo. Ele terá que dizer que Lutero era pecador. Então pergunte por que ele segue a teoria de Lutero sobre o Sola Scritpura (Só a Bíblia) se sabe que Lutero era pecador ?
Antes que ele responda, pergunte se ele já leu na bíblia: “maldito o homem que confia em outro homem”? Se você fosse protestante debochado diria que se ele permanecer confiando em outro homem, no caso Lutero, estará afrontando a bíblia e andando fora da Palavra. Essas são expressões que eles gostam. Mas não use de escárnio. Isto não nos fica bem. Se você fosse protestante ainda poderia dizer-lhe para olhar somente para Jesus. Eles sempre dizem isso para nós. Por certo ele ficaria irritado e já não seguiria a doutrinação mental que recebeu. Mas nesta hipótese, usando deboche e presunção, que méritos teríamos?
Concentremo-nos nos ensinamentos da Santa Igreja e deixemos de lado os chavões comuns aos protestantes. Talvez nem seja necessário esse grande número de questionamentos que apontei para um católico se ver livre do assédio de um mau protestante. Talvez você não tenha experiência ou eloquência para sustentar um debate tão prolongado e tão cheio de nuances.
Alguns doutrinadores protestantes dizem que eles não devem insistir com alguém resistente. Segundo um destes doutrinadores, se um não quer, tem 8 ou 9 que são frágeis e, portanto não se deve perder tempo com aqueles que oferecem resistência. Você só não pode esperar que ele facilmente concorde com você e se converta. O objetivo é dispersá-lo.


A conversão de um protestante ao catolicismo raramente se dá por exercício intelectual. O protestante é filho de Lutero. E quando falamos filho e não seguidor, é porque até mesmo Lutero é seguido apenas parcialmente. Apenas quando lhes interessa, em especial no Sola Scriptura para afrontar o catolicismo. Portanto, sendo filhos de Lutero, são necessariamente auto suficientes e apologistas de suas próprias doutrinas particulares. Cada protestante é uma espécie de dono da Bíblia. Professor, mestre, teólogo, rei, sacerdote, profeta e sempre julgará conhecer mais de catolicismo do que o próprio católico.

Se consideram superiores ao Papa e mesmo ao Magistério da Igreja de 2000 anos. Não aceitam nem mesmo os seus pares, razão pela qual fundam milhares de denominações. Se chamado atenção, o protestante muda de denominação, faz beicinho, nega fala, rompe relacionamentos, sai de casa, larga família, deixa a denominação e vai para outra, quando não funda a sua própria seita.


Mesmo apontando alguns de seus pares como hereges, estes mesmos, quando o adversário é o catolicismo ou quando a questão é meramente estatística, rapidamente voltam a ser irmãos em Cristo e todos estão salvos e todos são bênçãos. É comum ouvir um crente dizendo: “Já somamos 20% da população brasileira.” É como se este crente conhecesse todos os demais crentes, todas as denominações e ao mesmo tempo fosse possível a todos pregarem o Cristo verdadeiro ao mesmo tempo que cada um prega um Cristo diferente do outro. O MAU protestante é um divisor por excelência. Por onde passa divide, questiona e jamais agrega. Só protesta e nada atesta. O protestante é ávido por falar e nunca está pronto para ouvir. Tudo quer ensinar e nada quer aprender. E como sabemos, quem sabe de tudo não carece de instrução.


Nós católicos, por nada sabermos é que seguimos o magistério da Igreja. Por isso nenhum de nós tem seguidores, mas todos seguimos a voz do pastor. Eles costumam dizer que “tomaram posição diante de DEUS.” Eles gostam desse chavão, entre tantos que criaram. Judas também tomou posição diante de DEUS. O Resultado todos já conhecem. Estivemos muito tempo adormecidos e a nossa mansidão aprendida na Igreja foi tratada como covardia pelos nossos “juízes”. Está na hora de reagirmos com sabedoria, rejeitando sempre qualquer tipo de violência, difamação, ofensas e preconceitos, mas jamais esquecendo que devemos combater a heresia, até mesmo por amor ao próximo, e, sempre, sempre, sempre, defender a Santa Igreja e a honra e dignidade da Santíssima Virgem.Combatamos o bom combate e não recusemos a perseguição.

Conclusão: 

Lembrem-se católicos que não estamos obrigados a responder ou provar nada pelo Sola Scriptura(Só a Bíblia). 

Nós seguimos o magistério da Igreja. Seguimos a Bíblia e a Tradição. É o protestante que está obrigado pelo princípio criado por Lutero homem.


Nossa fé pode ser explicada pela tradição e pelo Magistério da Igreja. A fé protestante não pode ser explicada pela Bíblia. 

Este é o “pulo do gato” do protestante. Imaginem que eu cobre de um ateu a guarda do domingo.. Seria estúpido da minha parte, sabendo que ele não é cristão, fazer-lhe tal cobrança. Agora imaginem que eu faça esta mesma cobrança, sendo que eu mesmo não guardo o domingo. Pois é. O protestante que escolheu para si o critério antibíblico “Só a Bíblia”, estabelece para nós o mesmo critério. Critério para o qual não estamos obrigados. E ele mesmo, que criou para si e para os demais o critério “Só a Bíblia”, é o primeiro a ignorá-lo quando, entre muitas situações, não observa a proibição da interpretação privada e a consagração da igreja como coluna e sustentáculo da verdade.
Poderíamos citar uma série de inobservâncias às disposições bíblicas cometidas pelos protestantes. Mas nem precisamos. Se um protestante não é igual ao outro em matéria de fé e doutrina, e, se todos utilizam a mesma Bíblia, é óbvio que, não havendo concordância, tem alguém andando fora da Bíblia. Não estamos dizendo que católicos são melhores do que protestantes ou que podemos julgar a fé que reside no coração de cada ser humano. Estamos apenas defendendo a fé católica contra os ignorantes e os maus.
Reconhecemos até mesmo que é direito de qualquer homem ou mulher permanecer no erro doutrinário se assim desejarem. Respeito o direito de qualquer homem ou mulher aderirem à fé, crença ou religião que mais lhe agradam.

Paz em Cristo e Salve Maria.

POSTAGEM SEGUINTE -  "... em tempos mais recentes, pela vontade de Deus, nos foi legado por eles nas Escrituras, para que sejam o fundamento e pilar de nossa fé” (...). RESPOSTA: Deveria mencionar livro, capítulo e subdivisões, para que pudéssemos examinar o contexto em que isto foi escrito. 

POSTAGEM ANTERIOR - Após efetuar uma exata verificação da possessão (Infestatio) em setembro de 1975, o Bispo de Würzburg, Josef Stangl, autorizou os padres Ernest Alt e Arnold Renz a realizarem os rituais do Grande Exorcismo, cuja base é o Rituale Romanum, que ainda era, à época, uma lei canônica válida desde o século XVII.



Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >