domingo, 19 de março de 2017

VIRA CATÓLICO - PASTOR MISSIONÁRIO E CATEDRÁTICO UNIVERSITÁRIO DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS

Era professor de teologia evangélica, mas o estudo dos Padres da Igreja o levou ao catolicismo



Foi pastor, missionário e catedrático universitário das Assembleias de Deus

Salvador Melara nasceu em O Salvador há 48 anos, e sua vida tem sido uma constante busca de Deus. De pequeno, como tantos meninos, “queria ser sacerdote e celebrar Missa”, e quando chegou à adolescência sentiu que Deus o chamava ao sacerdócio. Entretanto sua mãe “longe de apoiar-me, me disse que estava louco, que prontamente ia conhecer alguma garota bonita e ia me apaixonar, e que se me fizesse padre não ia poder porque eles não se casam".

Pareceu que a coisa ficava decidida, mas em 1983 sucedeu algo que mudaria sua vida radicalmente: um companheiro de escola o convidou para ir a um grupo protestante chamado as Assembleias de Deus. Demorou a começar, mas acabaram gostando dos louvores e pregação, até que finalmente abandonou a Igreja Católica. Uma vez na universidade, depois de seu primeiro ano de medicina e depois de uma convenção missionária, decidiu dedicar-se à vida religiosa, agora sim e neste grupo evangélico. A partir desse momento já não havia outro assunto em sua vida que seus estudos de Licenciatura em Teologia na Universidade de sua denominação.
Com seus estudos acabados em 1992, Salvador se marchou como missionário a Boize, onde fundou três congregações das Assembleias de Deus e foi pastor associado em duas congregações mais da mesma denominação. Seu alto nível intelectual o permitiu, inclusive, chegar a ser catedrático de Teologia em duas Universidades.

Jesus Cristo o esperava nos estudos
Em uma destas universidades teve que encarregar-se de ensinar uma matéria intitulada "História do pensamento cristão", o que implicava explicar a seus alunos a doutrina dos Padres da Igreja, ou seja, aqueles primeiros eclesiásticos filósofos e teólogos do cristianismo primitivo sobre os que se assenta a ortodoxia doutrinal da Igreja Católica. Foi nesse momento quando, nas palavras do próprio Salvador Moara, “notei que os padres da Igreja haviam sido Católicos".

Sua reflexão não ficou apenas por aí. Oe mesmo explica nas seguintes cinco conclusões:

1. Jesus disse que o mundo nos ia reconhecer por ser "perfeitos" em unidade, mas há milhares de igrejas evangélicas e todas são produtos de divisões de outras igrejas.

2. Minha denominação foi produto de uma subdivisão por uma suposta visita do Espírito Santo.

3. Ensinaram-me a odiar à Igreja Católica e me disseram que era a "Grande Prostituta", e "guarida de demônios", mas quando comecei a conhecê-la me encontrei com expressões como "Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo"... na Hora Santa se diz: "Bendito seja Deus, Bendito seja seu Santo Nome, Bendita seja o precioso sangue de Jesus Cristo, etc.". No rito de comunhão se diz: “Livra-nos Senhor de todos os males e concede-nos a paz em nossos dias para que ajudados por tua misericórdia vivamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto, vivendo a esperança, aguardamos a vinda a vinda de Cristo salvador... Vosso é o Reino, vosso o Poder e a Gloria por sempre Senhor…” um demônio jamais pode dizer isso.

4. Disseram-me que os católicos acrescentaram livros à Bíblia e descobri que no século XIX, Sociedades Bíblicas eliminaram os livros deuterocanônicos da versão Reina Valera (a chamada Bíblia evangélica (espanhola)) por pressões econômicas das igrejas protestantes dominantes nessa época, porque se não os eliminassem essas igrejas não seguiriam aportando o subsídio econômico que recebia.

5. Mas o maior conflito, segundo me disseram, foi que a Eucaristia era uma invenção dos católicos, que o pedacinho de pão e o refresco de uva que tomávamos na santa ceio "representavam" o Corpo e a Sangue de Cristo, mas nos Evangelhos e em 1 Coríntios cap. 11, Jesus disse claramente "Isto é o Meu Corpo".

A verdade, as dificuldades e Deus
Os estudos o estavam fazendo ver que tudo o que havia pregado não era como ele cria. Mas não era uma decisão fácil ser coerente com a verdade. Isto implicava também a sua mulher e a seus filhos. Salvador se armou de valor e comunicou estas descobertas a sua mulher: “Eu pensei que ia haver uma reação negativa por parte dela, mas não. Minha esposa – explica Salvador com emoção - já estava lutando contra isto fazia algum tempo, mas não podia dizer-me porque eu era pastor, e quando soube que eu também estava lutando, juntos buscamos a forma de voltar à Igreja”.

Esta decisão não estava isenta de problemas. Ele e sua família viviam do sustento que tinha por ser pastor evangélico e professor de teologia, mas agora todo isto se acabava. Não obstante, foram coerentes: era o ano 2004, e Salvador e sua mulher Marisol renunciaram às Assembleias de Deus para entrar na comunhão total da única e verdadeira Igreja fundada por Cristo Jesus, a Santa Igreja Católica: “Fomos recebidos novamente depois de cumprir alguns requisitos como batizar a nossos filhos, David e Maria, e receber o sacramento do matrimônio”.
As dificuldades chegaram a sua porta, mas Deus não se olvidou deles: “Ele nos sustentou, nos proveu trabalho a ambos, e agora com sua ajuda compartilho meu testemunho para ajudar aos que estão dentro da Igreja, mas que sua fé é muito débil para que se afirmem na verdadeira fé, a fé católica”.

Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >